Spreads altos só para novos contratos

Esta é a garantia dos principais bancos nacionais, no seguimento do anunciado aumento dos "spreads". Nos actuais contratos de crédito à habitação, uma parte dos bancos indica que não vai alterar as condições, aplicando estes aumentos apenas a novos contratos.

Spreads altos só para novos contratos

Recorde-se que esta semana foi anunciado um aumento recorde no spread no crédito habitação. Curiosamente, as taxas Euribor têm vindo a descer e o spread médio ultrapassou pela primeira vez, os 3%.

Se bem se lembra, o Banco de Portugal em Maio de 2011, determinou que os bancos que nos seus contratos tenham a cláusula que prevê o aumento unilateral das condições do crédito, poderão fazê-lo se as condições de mercado o justificarem.

Alguns bancos não colocam a hipótese de alterar o spread nos actuais contratos de crédito habitação, mas sim apenas perante novos contratos, até porque nem sequer têm essa clásula nos seus contratos, segundo os bancos BPI, Santander Totta e Millennium BCP.

Os bancos mais pequenos e os estrangeiros são os que praticam os preços mais altos, na altura de concessão de crédito habitação.

As condições de acesso ao crédito estão cada vez mais exigentes, sendo um resultado claro das dificuldades que os bancos estão a atravessar, além do facto de terem demasiados imóveis em carteira.