Subida do IMI para imóveis com boa exposição solar terá limites

O Imposto Municipal sobre os Imóveis (IMI) vai de facto subir mediante a exposição solar e as vistas: mas há limites.

Subida do IMI para imóveis com boa exposição solar terá limites
Ainda a questão do sol e das vistas

A subida do IMI vai realmente acontecer com base nos critérios da exposição solar e também das vistas da propriedade, porém, a proposta do PCP - já aprovada em parlamento - limita essa subida em 5% para os imóveis avaliados até aos 250 mil euros.


Subida do IMI limitada a 5% para imóveis até aos 250 mil euros

A proposta do governo de agosto passado lançou a polémica para a opinião pública, avançando que o imposto subiria mediante as vistas e a exposição solar, caso o proprietário ou as autarquias solicitassem a reavaliação do imóvel. Nesse caso, seriam recalculados os coeficientes de localização e operacionalidade relativa. Na altura, o governo chegou a falar em possíveis subidas de 20% ou descidas de 10%.

No entanto, a proposta do PCP limita a aplicação da subida a 5% para os imóveis abaixo dos 250 mil euros e este valor foi encontrado com base no valor da grande maioria das casas que existem no país, isto é, este valor faz com que a maioria das famílias proprietárias no nosso país não seja afetada pelas subidas mais elevadas.

O valor de 250 mil euros é correspondente a um valor de 603 euros por metro quadrado de propriedades com até 415 metros quadrados. A fórmula para chegar estes números foi explicada por Paulo Sá, deputado comunista.

Veja também: