Trabalhar 6 horas por dia? Suécia diz que não compensa

Depois de uma experiência de dois anos num lar de idosos, a Suécia concluiu que redução do horário de trabalho para 6 horas tem demasiados custos.

Trabalhar 6 horas por dia? Suécia diz que não compensa
Funcionários mais felizes, mas com grande aumento dos custos

Ao longo de dois anos, as 68 enfermeiras de um lar de idosos da cidade de Gotemburgo, na Suécia, trabalharam apenas 6 horas por dias, mantendo os ordenados.

Esse teste à redução do horário de trabalho mostrou resultados: os funcionários estiveram menos tempo de baixa por doença, sentiram-se mais felizes e o seu relacionamento com os pacientes melhorou. Mas também tiveram que ser contratados mais 17 colaboradores e isso implicou um aumento significativo dos custos.

Por isso, os políticos da Câmara de Gotemburgo defendem que os custos desta experiência não compensaram os benefícios obtidos, pelo que não pensam avançar para a redução da jornada de trabalho para 6 horas diárias.

Na Suécia já estão a ser realizadas outras experiências neste âmbito. Uma outra empresa reduziu o horário de trabalho, desde 2014, e concluiu que os seus funcionários se tornaram mais felizes e também mais produtivos.

O exemplo de maior sucesso é o da fábrica da Toyota, em Gotemburgo, que adoptou o horário de 6 horas, há 13 anos, conseguindo até aumentar as suas receitas. 

Veja também: