Venda de carros em declínio

A venda de carros sofre a maior queda do ano em Maio, isto se comparado com o ano anterior. As razões prendem-se com o facto dos consumidores estarem mais pessimistas e portanto, estarem mais avessos a novos investimentos, mas também as maiores restrições ao crédito automóvel contribuíram para esta quebra.

Venda de carros em declínio

De acordo com a ACAP - Associação Automóvel de Portugal, este ano em Maio venderam-se menos 23,6% de automóveis ligeiros que em Maio do ano passado, sendo esta a maior queda do ano.

Em relação ao ano passado, as vendas de carros este ano têm dminuído consecutivamente sendo o mês de Maio o que regista a maior quebra deste ano.

De acordo com declarações da Associação, "as expectativas dos portugueses sobre a situação financeira das famílias, a situação económica no país e a evolução da taxa de desemprego no país nos próximos doze meses registaram uma deterioração", deixando as famílias avessas a novos investimentos.

Este comportamento no sector automóvel está principalmente relacionado com dois factores: o pessimismo dos consumidores, tendo em conta a actual conjuntura, assim como o acesso ao crédito automóvel estar mais restrito.

Como já era esperado, o fim dos incentivos ao abate de veículos, veio afectar o mercado automóvel, assim como o aumento de benefícios fiscais decorrentes da importação de veículos usados, acaba por se reflectir negativamente no mercado dos automóveis novos.