Publicidade:

Abate de carros: o que precisa de saber

O processo de abate de carros é simples. Saiba o que fazer para garantir a correta destruição daquele veículo que já só ocupa espaço na sua garagem.

Abate de carros: o que precisa de saber
Saiba como garantir a legalidade da operação

Foi um bom companheiro ao longo dos últimos anos. Não faltam histórias para contar, mas a carroçaria já começa a ceder e a mecânica há muito que só dá despesa e dores de cabeça. Não há mais nada a fazer: a opção que lhe resta é avançar para um centro de abate de carros e desfazer-se do veículo que o foi acompanhando ao longo dos últimos anos.

No final de 2016, o Governo terminou com o incentivo ao abate de carros em fim de vida e foi substituído por uma medida que incentiva a compra de veículos elétricos. “No âmbito das medidas tendentes à redução de emissões de gases com efeito estufa, é mantido o incentivo à introdução no consumo de veículos de baixas emissões”, pode ler-se no documento oficial do Orçamento do Estado para 2018.

Na prática, ao longo deste ano, quem quiser comprar um veículo elétrico receberá do Estado um cheque no valor de 2250€. Este incentivo é suportado pelo Fundo Ambiental e tem um custo máximo de 2,3 milhões de euros. O objetivo do Estado é, também, dotar o parque automóvel estatal com 1200 veículos elétricos até 2019 e instalar mais 250 postos de carregamento ao longo deste ano.

Abate de carros: quais os documentos necessários

abate-de-carros

O incentivo ao abate de Veículos em Fim de Vida (VFV) terminou, mas poderá recorrer aos centros especializados para garantir que o seu automóvel é desmantelado de forma segura e legal.

Assim que se dirige a um centro de desmantelamento autorizado deverá entregar os seguintes documentos:

  • Documento de identificação do veículo (DUA);
  • Registo de Propriedade;
  • Fotocópia do Cartão de Cidadão do proprietário do veículo;
  • Requerimento de anulação da matrícula assinado pelo proprietário.

Abate de carros: como é feito o processo?

Assim que entrega o seu veículo num centro especializado é efetuada uma verificação do carro e de toda a documentação necessária para o cancelamento da matrícula.

Feita a respetiva validação, é emitido o certificado de destruição que servirá de suporte legal para a anulação da matrícula da carro. 

A viatura é, de seguida, enviada para “reciclagem”: é submetida a respetiva referenciação e codificação interna. 

O carro passa pelo processo de descontaminação (para eliminar materiais perigosos ou tóxicos), é desmantelado (para que sejam retirados os componentes ou as peças que serão reutilizadas) e a carcaça é reciclada.

No processo de despoluição são feitos os seguintes procedimentos:

  • Remoção dos filtros de óleo, baterias e dos depósitos de gás de petróleo liquefeito (GPL);
  • Neutralização do airbag e dos pré-tensores dos cintos de segurança;
  • Remoção do combustível (gasolina ou gasóleo);
  • Remoção do óleo lubrificante da caixa da velocidade e do motor, do óleo dos sistemas hidráulicos, do fluído dos travões, do líquido de arrefecimento e do fluído do sistema de ar condicionado;
  • Remoção dos componentes com mercúrio e outros que estejam identificados nos termos do DL 196/2003.

No processo de desmantelamento é feito o seguinte trabalho:

  • Remoção de catalisadores, pneus e vidros;
  • Remoção dos grandes componentes de plástico e de componentes suscetíveis de reutilização (peças em segunda mão).

Veja também: