Publicidade:

Análises ao sangue em jejum: tudo o que precisa de saber

Vai fazer análises ao sangue em jejum e não sabe quanto tempo deve ficar sem ingerir alimentos? Explicamos tudo.

Análises ao sangue em jejum: tudo o que precisa de saber
Saiba o que fazer antes de fazer análises

Tem dúvidas sobre fazer análises ao sangue em jejum? Não sabe qual é o tempo de jejum recomendado? Não se preocupe. Queremos esclarecer todas as suas dúvidas sobre o assunto neste artigo.

Para que servem as análises ao sangue?


análises ao sangue jejum

As análises ao sangue são extremamente importantes para que o seu médico consiga controlar o seu estado de saúde. Não se assuste se o médico lhe pediu para realizar algumas análises clínicas. Por vezes, elas são pedidas só para que seja possível monitorizar a sua saúde e confirmar que o seu corpo está a funcionar corretamente.

No entanto, as análises ao sangue são essenciais na deteção de possíveis complicações na saúde, muitas vezes relacionadas com doenças crónicas ou hereditárias.

Também conhecidas por flebotomia (processo de tiragem de sangue), as análises devem ser feitas com muito cuidado por parte dos profissionais de saúde.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (DGS), “cada passo do processo flebotómico afeta a qualidade da amostra e é, portanto, importante evitar erros de laboratório, lesões de pacientes e mesmo a morte”.

Por isso sempre que se dirigir a um laboratório para fazer análises ao sangue, certifique-se que todos os processos estão a decorrer de forma correta.

As análises têm que ser sempre feitas em jejum?

As análises ao sangue em jejum nem sempre são necessárias, ou seja, nem sempre tem de fazer jejum para que possa fazer a tiragem de sangue.

No caso do hemograma simples, não tem de fazer qualquer tipo de jejum. Contudo, se tiver de monitorizar os níveis glicémicos bem como os triglicéridos, terá que ficar algum tempo sem ingerir alimentos para que não sejam alterados os resultados das suas análises.

Qual o tempo necessário de jejum?

Vai fazer análises ao sangue em jejum e não sabe quanto tempo deve estar sem comer? Não fique preocupado. O tempo de jejum vai depender do tipo de análises que tiver de realizar. No entanto, na maioria das análises são suficientes 8 horas de jejum.

Se se tratarem de análises aos triglicerídeos ou colesterol, o tempo de jejum já aumenta um pouco, sendo recomendadas entre 12 a 10 horas respetivamente. É importante que nunca ultrapasse as 12 horas de jejum.

Para que se torne num processo mais fácil para si, a melhor opção será mesmo realizar as análises ao sangue em jejum logo de manhã. Desta forma, irá conseguir estar as devidas horas sem ingerir qualquer tipo de alimento (visto que estará a dormir durante o período da noite), e fazer a colheita sem que se sinta mal ou desconfortável.

Para que se torne mais claro este assunto, damos alguns exemplos do tipo de exames ao sangue e respetivo tempo de jejum:

Colesterol: para que este exame seja preciso e para que não existam fatores externos que influenciem os resultados, deve ficar até 12 horas em jejum.

Glicemia: no caso dos adultos, são recomendadas entre 8 a 10 horas de jejum. Se se tratarem de crianças, basta que permaneçam entre 3 a 4 horas sem ingerir qualquer tipo de alimento.

Hemograma: se vai realizar um hemograma não tem de se preocupar sequer com o jejum. Este tipo de análise vai avaliar as células pelas quais o sangue é composto tais como, os leucócitos (conhecidos como glóbulos brancos), as plaquetas e as hemácias (também conhecidas como glóbulos vermelhos ou eritrócitos). Todos estas células não são alteradas pela alimentação, e por este mesmo motivo não necessita de ficar sem comer.

Níveis de TSH (função tiroidea): recomenda-se que faça um jejum de no mínimo 4 horas.

Níveis de PSA (antigénio específico da próstata): no caso de ter de fazer este tipo de análise, o tempo recomendado de jejum é de cerca de 4 horas também.

Outras questões sobre análises ao sangue em jejum

análises ao sangue jejum

É normal que surjam outro tipo de questões como o facto de poder ou não beber água antes de fazer análises em jejum, a toma de medicamentos, a questão de o exame ter de ser feito de manhã ou à tarde ou até mesmo se o álcool ou o tabaco podem interferir nos resultados.

Para que não lhe restem dúvidas sobre esta temática, a toma de água antes de fazer análises em jejum não interfere nos resultados. No entanto, deve apenas beber a quantidade suficiente para que não se sinta com sede e nunca mais do que isso.

Para além disto, é importante que não se esqueça que a toma de refrigerantes ou até mesmo chás e outro tipo de bebidas não devem de todo ser ingeridas antes do exame, pois contêm outro tipo de substâncias como o açúcar, por exemplo, que podem alterar significativamente os resultados.

Em relação à toma de medicamentos, é importante que confirme com o seu médico que a medicação que faz não interfere nas análises. Alguns fármacos como os antibióticos ou anti-inflamatórios, não devem ser tomados antes do exame. Nos casos em que não é possível fazer uma interrupção na toma da medicação, não se preocupe, pois, serão tidos em conta no momento da avaliação do resultado por parte do seu médico.

Se a sua dúvida é o facto de fazer os exames de manhã ou à tarde, na verdade é um fator que não tem muita relevância. Desde que cumpra os requisitos que lhe irão ser pedidos, pode fazer o exame quando achar mais pertinente.

No caso de as suas análises englobarem a avaliação do ferro ou cortisol, deve realizá-las de manhã para que os valores não se alterem ao longo do dia.

As recomendações em relação ao tabaco, são para que não fume antes das análises ao sangue. Para além de estar em jejum, pode sentir-se mal ou ter uma quebra de tensão quando colocar o cigarro na boca.

Sobre o álcool, é recomendável que não ingira qualquer tipo de bebida alcoólica antes das análises. Estas contêm um elevado teor de gorduras e poderão comprometer e muito, os resultados obtidos.

Veja também:

Catarina Milheiro Catarina Milheiro

Finalista da licenciatura em Gestão de Marketing, entende a partilha de informação através da escrita, como uma forma nobre da comunicação.