Publicidade:

ASMR: contamos-lhe tudo sobre os vídeos mais populares do momento

Os vídeos ASMR têm-se tornado cada vez mais populares entre pessoas de todos os géneros e idades. Se nunca assistiu a nenhum, saiba do que se trata.

ASMR: contamos-lhe tudo sobre os vídeos mais populares do momento
Já ouviu falar sobre os vídeos ASMR?

O ASMR e os seus vídeos têm-se tornado bastante populares e estão a espalhar-se no Youtube como um canal eficaz para o relaxamento e, até, para dormir melhor.

Apesar de não haver evidências científicas de que estas gravações ASMR provoquem alterações no mecanismo cerebral de quem assiste aos mesmos, a verdade é que eles também não apresentam quaisquer contra-indicações, pelo que não há nenhum risco em visualizá-los e, caso o relaxem, colocá-los na sua playlist do Youtube.

ASMR: descubra qual Resposta Sensorial Autónoma do seu Meridiano


relaxar com videos para adormecer

Definição

ASMR é a sigla para Autonomous Sensory Meridian Response ou, em português, Resposta Sensorial Autónoma do Meridiano. Este é a designação para um fenómeno biológico que se carateriza por uma agradável sensação de prazer, semelhante a um formigueiro, geralmente sentido na zona da cabeça, couro cabeludo ou regiões periféricas do corpo em resposta a vários estímulos visuais, auditivos e cognitivos. O termo foi popularizado pela americana residente em Nova Iorque Jennifer Allen, profissional de cibersegurança que em fevereiro de 2015 formou um grupo de facebook intitulado Grupo ASMR.

Vídeos

O conceito ASMR está muito relacionado com os tais vídeos que proporcionam uma sensação de prazer obtida, principalmente, através da conjugação de barulhos de objetos, sons da boca, sopros e vozes baixas e calmas. Há ainda vídeos que simulam situações quotidianas potencialmente relaxantes, como ir ao cabeleireiro, fazer uma tatuagem ou visitar o dentista.

Para estimular a concentração do espectador, a maioria dos vídeos ASMR enquadram apenas o rosto do youtuber ou, às vezes, até só a boca. Os protagonistas destes vídeos fazem gestos em direção à câmara, de modo a simular o contacto físico e até afetivo. Entre os principais objetivos destes vídeos está promover o sono e a calma junto do espectador.

Tipos de vídeos

Os triggers ou “gatilhos”, em português, referem-se aos diferentes tipos de sensações que podem ser exploradas nestes vídeos e que funcionam como uma espécie de categorizações para diferenciar os diversos vídeos. A pesquisa britânica da Universidade Swansea, já citada anteriormente, conclui que os gatilhos favoritos são: sussurros (75%), atenção pessoal (69%), sons nítidos (bater as unhas em objetos, arranhar, etc) (64%), sons vagarosos (53%), sons repetitivos (36%), sorriso (13%), barulho de avião (3%), barulho de aspirador (2%), risada (2%).

Existem ainda os roleplays, vídeos em que o youtuber simula uma situação com falas e barulhos que façam o espectador sentir as mesmas sensações agradáveis que o youtuber está a viver. Este é o caso de vídeos de limpezas de pele, sessões de tatuagem, limpezas de ouvidos, idas ao cabeleireiro e, até, os que simulam episódios de um namoro.

Efeitos binaurais

Muitos vídeos ASMR recorrem a efeitos binaurais, ou sejam, os sons são gravados de forma ao espectador obter perceções distintas em cada um dos phones. O intuito é simular um som ambiente, em que ouvimos em volumes diferentes, dependendo de onde vem o barulho. Tal aproxima o vídeo do espectador e dá-lhe um toque de maior realismo.

Gravar vídeos

Qualquer pessoa pode gravar um vídeo ASMR, uma vez que tal não se trata de uma técnica clínica que requeira formação específica. O importante é conseguir alcançar um tom de voz suave e pausado e explorar alguns dos sons e barulhos que aqui descrevemos.

Verdade ou mito?


Muitos se perguntam sobre o real efeito que estes vídeos verdadeiramente operam no espectador. Segundo a Associação Brasileira do Sono, o efeito relaxante destes vídeos não tem a ver com nenhuma alteração no mecanismo cerebral, mas antes com o exercício de concentração que exige ao espectador.

Na hora de dormir, ocorre uma diminuição da frequência de ondas cerebrais, de uma frequência beta (de 12 a 30 Hz quando estamos acordados), para uma frequência alfa (de 8 a 12 Hz, quando estamos em estado de vigília). Quando adormecemos, a frequência baixa para 8 Hz. Existem, também, outras alterações neste momento, como o acalmar do sistema respiratório e o suavizar dos movimentos do pulmão e do diafragma. A temperatura corporal cai e a hormona corticóide endógeno diminui, voltando a aumentar pela manhã.

Este processo de adormecimento pode ser dificultado por pensamentos turbulentos ou outros problemas, como a insónia. Ou seja, nestes casos a diminuição da frequência das ondas cerebrais e das restantes respostas físicas não acontece. É aqui que “podem entrar” os vídeos ASMR como elementos que distraem e como que “fazem esquecer” essas inquietações interiores. Porém, segundo alguns neurologistas, este efeito produzido não é em nada diferente ao clássico “contar carneirinhos” ou “ler um livro” para adormecer.

Benefícios

Como referimos, não há estudos científicos que relacionem a interferência destes vídeos no funcionamento cerebral. Porém, pode considerar-se que todos os mecanismos que induzam o relaxamento e à distração e, assim, promovam o sono são bem-vindos.

O estudo da Universidade Swansea, no Reino Unido, questionou 475 pessoas que assistem a vídeos de ASMR e a maioria afirmou sentir alguns benefícios, tais como relaxamento (98%), promoção do sono (82%) e diminuição do stress (70%). Entre os espectadores que sofrem de dor crónica, 38% assumiram sentir melhorias depois de terem começado a assistir estes vídeos. Já apenas 5% declarou sentir algum estimulação sexual com os vídeos.

Insónia

A insónia pode definir-se como um distúrbio persistente que prejudica a capacidade de adormecer ou de permanecer a dormir durante toda a noite. As pessoas que sofrem deste transtorno tendem a estar num estado de hipervigilância, em que as ondas cerebrais são rápidas, mesmo na hora de dormir. Antes de consultar um profissional de saúde e/ou tomar algum tipo de medicação, pode e deve proceder a algumas mudanças de hábitos, tais como alterar a alimentação; recorrer a remédios naturais como chás ou plantas; e, até, ler ou assistir aos populares vídeos ASMR.

Porém, se a sua dificuldade em dormir for mesmo patológica e for um caso de insónia, então nenhuma destas mudanças de hábitos irá surtir algum efeitos, uma vez que não há prova de que os vídeos ASMR interfiram nos mecanismos fisiológicos cerebrais. Em casos mais graves, deve mesmo visitar um clínico geral, psiquiatra, neurologista ou, mesmo, um médico do sono.

Sensação de formigueiro

Recuperando a investigação da Universidade Swansea, 88% dos inquiridos relataram uma sensação de formigueiro, durante a visualização dos vídeos de ASMR. Dentro desta percentagem, alguns referem que os formigueiros foram sentidos atrás da cabeça, enquanto em outros ocorreram nos ombros, na linha da coluna, nos braços e, até, nas pernas.

Se ainda não tinha conhecimento destes vídeos ASMR ou, simplesmente, é demasiado cético e não decidiu experimentar, agora que já sabe que não há quaisquer contra-indicações ou riscos em fazê-lo, por que não espreitar e, quem sabe, pode encontrar nestes vídeos ASMR uma boa forma de descontrair e “cair” mais rápida e facilmente num sono longo e profundo.

Se, por outro lado, é um interessado ou mesmo expert nesta matéria e espectador assíduo, por que não atrever-se na gravação destes vídeos e, assim, ajudar outros a relaxar.

Veja também: