Publicidade:

Como funcionam as bolsas de estudo para mestrado

Pode parecer um bicho de sete cabeças, mas candidatar-se a bolsas de estudo para mestrado é, atualmente, muito simples. Explicamos o processo passo a passo.

Como funcionam as bolsas de estudo para mestrado
Passo a passo para a candidatura

A licenciatura está feita e, agora, o plano é seguir com o trajeto académico. Como? Fazendo um mestrado, claro. As condições financeiras não são as ideais? Na verdade, isso pode não representar qualquer impedimento, uma vez que existem bolsas de estudo para mestrado. Basta perceber se é elegível e tentar a sua sorte.

Tal como para as licenciaturas, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior atribui todos os anos milhares de bolsas de estudo para quem prossegue os estudos na universidade e decide fazer mestrado. Contudo, o apoio só é dado a quem tiver dificuldades financeiras comprovadas. Ou seja, terá que apresentar a sua candidatura enviando dados referentes aos seus rendimentos, bem como do seu agregado familiar.

Depois de submetida, a candidatura será avaliada pelos serviços da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) e, se preencher os critérios necessários, terá direito a um apoio mensal em dinheiro.

Quem pode candidatar-se às bolsas de estudo para mestrado


bolsas de estudo para mestrado

Para concorrer à bolsa, o aluno – em conjunto com o agregado familiar – tem de reunir determinadas condições. São elas:

  • estar inscrito num mestrado;
  • o agregado familiar não ter um rendimento anual per capita superior a 16 vezes o Indexante de Apoios Sociais (IAS), fixado atualmente nos 428,90 euros, acrescido do valor da propina anual para o primeiro ciclo de estudos do Ensino Superior público;
  • em caso de haver posse de património mobiliário, este não deve ser superior a 240 vezes o valor do IAS;
  • ter uma situação tributária e contributiva regularizada.

Os alunos que tiveram um desempenho excecional, com uma média de notas igual ou superior a 16, podem ter a felicidade de obter uma bolsa de mérito – também atribuída a alunos de mestrado. Esta bolsa não exige candidatura, uma vez que é concedida por seleção e mediante os resultados académicos.

Como me candidatar?

O processo de candidatura às bolsas de estudo para mestrado é em tudo idêntico ao que é feito para quem está inscrito numa licenciatura. É tudo feito online na plataforma BeOn do site da DGES.

Se já se candidatou antes, basta usar a mesma senha de acesso e revalidar os dados que estão no site. Caso tenha havido alguma alteração, nomeadamente na composição do agregado familiar ou nos rendimentos que o agregado aufere, deve ser comunicada alterando os dados online.

Depois, só tem que preencher o formulário e submeter – em PDF – os documentos requeridos, como por exemplo, documentos pessoais (cartão do cidadão, número de contribuinte, etc), declaração/declarações de IRS ou comprovativos de entrega das mesmas, e o número de conta bancária para onde quer que o dinheiro seja transferido.

Se aplicável, também serão necessários os documentos dos imóveis que possui (IMI, registos prediais) e declaração de modelo 22 do IRC, sem esquecer da certidão de registo comercial atualizada de todas as sociedades por quotas das quais qualquer elemento do agregado seja sócio.

Prazos e valores

A candidatura às bolsas de estudo de mestrado deve ser realizada entre 25 de junho e 30 de setembro. Sempre que a matrícula na universidade ocorre após 30 de setembro, o aluno tem 20 dias úteis para fazer a sua candidatura.

Existe, ainda, a possibilidade de a candidatura ser submetida entre 1 de outubro e 31 de maio, mas neste caso o valor da bolsa de estudo será proporcional ao valor calculado para um ano, tendo em conta o período entre o mês posterior ao da submissão do requerimento e o final do período letivo.

Relativamente a valores, eles variam consoante a situação financeira do estudante. No entanto, há uma fórmula fixa para calcular o montante: (11 × IAS + PE) – C.

Traduzindo, o valor anual da bolsa será 11 vezes o Indexante de Apoios Sociais, mais o valor da propina, menos o rendimento per capita do agregado familiar do aluno.

O aluno pode simular a atribuição das bolsas de estudo para mestrado de forma online. Na página da DGES, é possível encontrar um simulador com referência à situação de mestrado. Este simulador vai dar o valor aproximado da bolsa.

Veja também: