Publicidade:

Saiba como funciona uma caixa de velocidades manual

Já pensou como funciona a caixa manual de um automóvel? Saiba como este componente mecânico influencia as capacidades de potência do motor.

 
Saiba como funciona uma caixa de velocidades manual
Conheça em detalhe o funcionamento de uma caixa de velocidades manual

Para os amantes da condução, é mandatório um carro estar equipado com uma caixa de velocidades manual, e para os verdadeiros petrolheads, é igualmente importante compreender como esta funciona.

Este componente mecânico é essencial para gerir e influenciar a forma como cada veículo se comporta na estrada. Ainda que existam também vários sistemas automáticos para controlar as marchas, a caixa manual continua a ser o sistema equipado mais comum e aquele que permite uma relação mais próxima entre a máquina e o condutor.

Enquanto num veículo equipado com uma caixa de velocidades automática o sistema electrónico encarrega-se de forma independente por engrenar a mudança mais indicada para um determinado registo de condução, por outro lado, com uma caixa manual, é o condutor que tem na sua posse o controlo total sob a escolha das mudanças a engrenar.

Desta forma, importa ainda perceber as vantagens e desvantagens ao utilizar uma caixa de velocidades manual e entender quais os erros mais correntes no uso deste componente complexo e frágil. Assim sendo – e por forma a evitar reparações dispendiosas – saiba como funciona a caixa manual de velocidades para poder manusear corretamente e desfrutar do prazer de condução.

Como funciona uma caixa de velocidades manual

homem a mudar de velocidades

A caixa de velocidades manual serve para transformar a potência do motor em força ou velocidade. Ao fazer a ligação entre o sistema de embraiagem e o eixo de transmissão, a rotação do motor é transmitida para o diferencial, convertendo assim, a potência do motor em força ou velocidade.

Simplificando, a caixa manual é na prática um componente mecânico que funciona como um multiplicador de força ou velocidade do motor.

Conforme já mencionado, uma caixa de velocidades manual exige a interferência do condutor. Este encarrega-se constantemente em escolher a mudança mais adequada para cada momento na sua condução. Recorrendo à alavanca das velocidades, o condutor pode acionar a mudança que permita tirar partido das capacidades do motor do carro, quer em termos da sua potência, estilo de condução ou consumos.

Além da ação do condutor, a forma como funciona a caixa manual obriga ainda ao uso de um pedal de embraiagem, que deve ser pressionado pelo condutor, cada vez que troca as mudanças.

Como funciona a caixa manual: engrenar corretamente as mudanças

Perceber o correto funcionamento da caixa manual pode inicialmente levar algum tempo. Por este mesmo motivo, só os condutores com alguma experiência acumulada percebem de facto quando devem engatar a mudança certa com facilidade tendo por percepção o “ouvindo” do motor do seu automóvel.

Desta forma, para que entenda esta lógica, revelamos qual a altura correta para fazer a troca das mudanças, de acordo com a velocidade e todos os momentos da sua condução.

Note que, ao utilizar corretamente a caixa manual, estará ao mesmo tempo a economizar combustível e a prolongar a vida útil do motor e da caixa de velocidades.

  1. A primeira velocidade deve ser engrenada meramente para colocar o veículo em andamento. Nunca deve continuar a condução com a primeira mudança.
  2. Após arrancar com o carro, o condutor deve colocar a segunda mudança.
  3. Ao atingir uma velocidade entre os 40/50 km/h, o condutor deve optar por engatar a terceira mudança.
  4. Se o veículo registar uma velocidade acima dos 60/70 km/h, a troca para a quarta mudança é a mais recomendada.
  5. Se o veículo conseguir desenvolver maior velocidade, acionam-se mudanças superiores. Geralmente, a quinta mudança deve ser utilizada sempre que possível e quando o velocímetro estiver acima dos 70/80 km/h.

Para que a sua condução permita economizar combustível, sugerimos que siga as instruções acima indicadas ao mesmo tempo que seja modesto na forma como doseia as acelerações entre cada mudança selecionada.

velocímetro do carro

Vantagens da caixa manual

  • Melhor recurso da potência do motor;
  • Redução de gastos com o combustível – se utilizada corretamente.

Desvantagens da caixa manual

  • Desgaste progressivo da embraiagem, nomeadamente se a caixa for mal utilizada;
  • Exige que o condutor retire a mão direita do volante.
  • Uso constante do pé esquerdo na condução.

Erros mais comuns no uso da caixa de velocidades manual

  • Descansar a mão na caixa de velocidades

Este é um dos hábitos mais comuns dos condutores com maior experiência e carrega consigo vários inconvenientes. Por um lado, conduzir com a mão fora do volante pode ser perigoso e, ao mesmo tempo, o peso da mão sobre a caixa de velocidade agrava o desgaste dos componentes que compõem o sistema de transmissão.

  • Não reduzir velocidades quando devido

Quando se conduz num regime de baixa rotação numa mudança de altas velocidades e se carrega a fundo no acelerador, o veículo terá um rendimento inferior ao que se espera e a caixa terá consequências no seu correto funcionamento, mesmo que a médio/longo prazo.

  • Não acionar o ponto morto ao parar num semáforo

Ao parar num semáforo e não engatar nenhuma mudança, o condutor acaba por forçar o pedal de embraiagem, o que, a longo prazo, contribui para o desgaste da caixa manual.

  • Pouco domínio da embraiagem/acelerador nas subidas

Outro erro comum e que pode condicionar o ciclo de vida da caixa manual é quando os condutores não dominam o uso da embraiagem e do acelerador para encontrarem o ponto de embraiagem, nomeadamente, nas subidas.

  • Repousar o pé esquerdo no pedal de embraiagem

Utilizar o pedal de embraiagem para dar descanso ao pé esquerdo é outro hábito que desgasta progressivamente o pedal e condiciona o seu correto funcionamento.

  • Ativar a primeira mudança sem que o carro esteja parado

Evite também engatar a primeira mudança sem que o carro esteja totalmente parado. Desta forma, a transmissão não será forçada a realizar ações para as quais não estaria ainda preparada.

  • Arrancar o carro com a segunda mudança engatada

Tal como já referido na nossa lista de passos para a correta troca das mudanças, arrancar com a segunda mudança engrenada pode trazer problemas. Entre eles, no disco de embraiagem.

  • Pressionar o travão quando queria acionar o pedal de embraiagem

Confundir os pedais é outro erro que desgasta o sistema de travões e a caixa manual.

Veja também: