Publicidade:

Saiba tudo sobre o cancro na garganta

O cancro na garganta é raro, no entanto pode aparecer em qualquer idade e é importante que esteja atento a alguns sinais e sintomas.

Saiba tudo sobre o cancro na garganta
Há alguns fatores de risco associados: saiba quais são

O cancro na garganta, apesar de ser raro, pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade. Trata-se de um tipo de cancro que se pode desenvolver muito rápido e é por isso necessário que esteja atento a alguns sinais de alerta.

Cancro na garganta: o que é


O cancro na garganta refere-se a qualquer tumor que se desenvolva em zonas como a faringe, laringe, amígdalas ou qualquer outra parte da garganta. Ou seja, o cancro na garganta refere-se então a qualquer tipo de cancro que se desenvolva na parte de trás da boca.

Existem vários tipos de cancro na garganta, no entanto, os mais comuns são o cancro da faringe e o cancro da laringe.

Em relação ao cancro da faringe, este forma-se no tubo oco que vai desde a parte anterior do nariz até ao início da traqueia (faringe), e pode ser categorizado em 3 tipos:

  1. cancro da orofaringe – forma-se a meio da garganta, atrás da boca;
  2. cancro da nasofaringe – este cancro forma-se na parte de cima da garganta, atrás do nariz;
  3. cancro da hipofaringe – trata-se de um cancro que se forma na parte inferior da garganta, acima de laringe.

O cancro da laringe é um cancro que se forma nos tecidos da laringe. Como sabe, a laringe faz parte da garganta e situa-se entre a base da língua e a traqueia. Para além disto, a laringe é formada por 3 partes principais:

  • supraglote – corresponde à parte superior da laringe por cima das cordas vocais, incluindo a epiglote;
  • glote – é a parte onde se situam as cordas vocais, a meio da laringe;
  • subglote – situa-se entre as cordas vocais e a traqueia, e é a parte inferior da laringe.

Sinais e sintomas do cancro na garganta

O cancro na garganta é um tipo de cancro que se desenvolve muito rápido e é por isso essencial que esteja atento aos sinais e sintomas que se podem manifestar na sua presença.

Dores de garganta que não passam, alterações na voz repentinas ou uma sensação de que tem um bola na garganta frequentemente, podem ser alguns dos sinais e sintomas desta doença.

Vamos conhecê-los.

  • Presença de um nódulo na zona do pescoço;
  • Dor de garganta constante;
  • Tossir sangue;
  • Dor no ouvido que prevalece;
  • Dificuldade em engolir e mastigar;
  • Dificuldade e/ou barulho a respirar;
  • Alterações na voz repentinas;
  • Perda de peso inesperada.

Saiba como aliviar os sintomas da garganta inflamada >>

Estes sintomas podem variar conforme o local onde se encontra alojado o tumor. Contudo, se se tratar de um cancro na laringe, o sintoma mais comum nos doentes é a alteração na voz. Em doentes cujo o cancro se encontra na faringe, o sintoma que tem vindo a ser mais observado é a dificuldade em respirar.

Para que consiga um diagnóstico acertado da doença ou do problema em questão, deve sempre consultar um médico para que não exista margem para dúvidas.

Diagnóstico do cancro na garganta

Antes de mais, queremos alertar para o facto de existirem muitos casos em que tudo leva a crer que a pessoa tenha um cancro na garganta e quando é feito o diagnóstico, por vezes, não é cancerígeno. O que quer isto dizer que se deve manter sempre calmo e se por algum motivo pensa que este pode ser o seu caso, deve marcar um consulta com o seu médico para que tire todas as suas dúvidas.

No caso de estar na presença de um cancro na garganta, e depois de ter sido confirmado o diagnóstico, existem alguns exames que têm de ser feitos.

Falamos de endoscopia, radiografia à garganta e ao pescoço, ecografia, tomografia computorizada e ainda de ressonância magnética. Importa salientar que, nem todos estes exames podem ser necessários porque tudo irá depender do estado em que se encontra o tumor do paciente.

Contudo, se este for o seu caso não fique assustado. Tratam-se de exames normais e que em qualquer fase da vida todos nós teremos que os fazer.

De acordo com o grau de desenvolvimento do tumor, o médico atribui um estado que corresponde ao tamanho e avanço da situação.

Como é feito o tratamento do cancro na garganta?

O tratamento do cancro na garganta vai depender do estado em que se encontra o tumor da pessoa. Ou seja, do tamanho do tumor, do local onde se encontra e ainda do seu tipo e do que envolve à sua volta.

Os tumores na laringe que são diagnosticados numa fase inicial, podem na maioria dos casos, ser tratados com radioterapia e cirurgia. Este tipo de tratamento irá permitir que se consigam matar alguns células cancerígenas, passando depois para a cirurgia. Por vezes, a cirurgia pode ser o primeiro passo, e só depois então é que o paciente é submetido aos tratamentos de radioterapia.

Para tumores com um tamanho um pouco maior, o tratamento pode passar pela quimioterapia e radioterapia, para que seja possível diminuir o seu tamanho o mais rápido possível.

Os tumores que se encontram num estado avançado, são normalmente removidos através de uma cirurgia.

Existem fatores de risco associados?

Sim! Como para qualquer outro tipo de cancro, existem alguns fatores de risco que estão fortemente associados ao cancro na garganta.

  • Tabaco
  • Consumo excessivo de álcool
  • Alimentação pouco saudável (descuidada)
  • higiene oral

Como pode ver, existem alguns fatores de risco que podem contribuir para o aparecimento do cancro na garganta. Cabe a si tentar reduzir ou até mesmo acabar com alguns hábitos como estes, que não são de todo saudáveis.

Mude de atitude hoje e terá com certeza uma vida melhor e duradoura.

Veja também: