Publicidade:

O que é que os cartões com cashback têm?

E se o seu cartão de crédito lhe devolvesse uma percentagem do valor das suas compras? Dizia que não? Saiba tudo sobre os cartões cashback.

O que é que os cartões com cashback têm?
Ainda não conhece os cartões com cashback? Não sabe o que anda a perder

Poupar enquanto consome. É o que lhe propõem os cartões com cashback. A palavra inglesa cashback significa devolução de dinheiro e, como a própria palavra indica, a essência deste cartão é devolver-lhe uma parte do montante que gastou em compras.

Os cartões com cashback são um tipo de cartão de crédito que trazem uma vantagem adicional: um sistema automático de poupança. Basta gastar! Gastar na conta, no peso e na medida que a sua conta e saúde financeira permitirem.

Os cartões cashback na primeira pessoa


cartões com cashback

A funcionalidade cashback está associada a cartões de crédito e dá-lhe a possibilidade de recuperar uma parte do valor gasto com a utilização do cartão previamente estabelecida, no mês seguinte.

Este tipo de cartões é muito popular nos Estados Unidos e tem uma relação próxima com as startups tecnológicas e com o comércio eletrónico, mas não só.

Um exemplo simples deste tipo de cartão pode ser o dos cartões de supermercado com que pode pagar as compras a crédito em determinada superfície e ainda lhe devolvem uma parte para as compras seguintes e descontos em produtos selecionados. Mas a devolução de dinheiro que os cartões com cashback proporcionam não é sinónimo de desconto, embora também os possam oferecer.

Como funcionam?

Estes cartões funcionam como um cartão de crédito, com a vantagem de recuperar uma parte do crédito gasto. Por exemplo, se gastar este mês 500€ e o seu cartão tiver associada uma taxa de cashback de 2%, receberá 120€, ou seja, 500€ x 0,02 x 12 meses = 120€. O montante devolvido poderá, no mês seguinte, ser gasto a gosto pelo titular do cartão ou em produtos ou estabelecimentos definidos.

Como e porque surgiram estes cartões?

O conceito de cashback está ligado ao comércio eletrónico e é uma estratégia de fidelização de clientes. Existem sites de comércio eletrónico, como o Beruby ou o Cashbackcard World, em que o utilizador se regista, escolhe as marcas que lhe interessam e também disponibilizam cupões para utilizar nas compras online.

A parte má é que, normalmente, o cliente só pode escolher entre um gama de produtos selecionados e disponíveis online. À distância de uma comissão, as marcas têm mais visibilidade e ganham clientes também pela via eletrónica.

Como escolher o seu cartão com cashback?


cartões com cashback

Se está a pensar em adquirir um cartão com cashback, saiba que não são todos iguais. Uma das coisas mais importantes a analisar é se vai pagar alguma anuidade pelo cartão ou se terá outro gasto qualquer associado, quer mediante o seu uso, quer mesmo se não o utilizar e depois onde o poderá utilizar.

Há outras perguntas que também deverá fazer: será que o cartão é generalista e posso utilizar o cashback onde quiser? Ou só posso utilizar esta funcionalidade em determinadas lojas físicas ou sites de comércio eletrónico ou em determinadas marcas e só em alguns produtos e serviços? Pode acontecer que só possa gastar o montante devolvido em produtos que não utiliza ou que não lhe interessam.

Os prós e os contras

A vantagem deste cartão parece ser óbvia: receber dinheiro que já havia transformado em bens de consumo que só por isso já o satisfaziam e poder, como cartão de crédito, não lhe sair o dinheiro logo da conta. Mas importa saber, desde logo, onde pode utilizar o cartão e se tem ou não anuidades associadas.

Alguns destes cartões têm anuidade gratuita, especialmente os que são oferecidos por entidades que lhe oferecem crédito, mas que não instituições financeiras, é mais uma forma de angariar clientes e da qual pode tirar partido. Mas, cuidado!

Que cuidados ter?

Como qualquer cartão de crédito, antes de tudo, precisa conhecer o que pode e o que não pode gastar. O facto de pensar que vai poder “ganhar” dinheiro por consumir pode ser mais um estímulo à utilização destes cartões, mas não se esqueça que “não há almoços grátis” e que a grande maioria das compras que fizer, vai mesmo pagá-las na totalidade.

Se decidir fracionar pagamentos, não se esqueça que tem uma taxa de juro associada à mensalidade. Estes cartões podem ainda causar-lhe o desconforto de não poder gastar o cashback onde entender ou ainda só poder utilizá-lo em bens ou serviço que não consome.

Atenção aos pagamentos fracionados…

Os cartões de crédito são uma das principais causas do endividamento. Com estes cartões a tentação do consumo poderá ser aguçada pela devolução de dinheiro, que pode fazê-lo entrar num círculo vicioso.

Se ainda fizer compras de maior valor e optar por fracionar pagamentos e pagar o chamado “mínimo confortável”, em que é possível pagar uma percentagem mínima de uma compra mais avultada.

Por exemplo, fazer hoje com o seu cartão de crédito uma compra de 2000 €, que irá poder pagar nos próximos meses, por exemplo, 50€ por mês. O que não se pode esquecer é da taxa de juro associada ao cartão de crédito pelo que o montante dos juros poderão agravar significativamente a sua suave mensalidade.

… E aos montantes mínimos

É habitual estes cartões exigirem um montante mínimo mensal de utilização para ter direito a utilizar a vantagem cashback. Assim, terá mais um impulso para utilizar o seu cartão.

Dependendo também se o cartão tem ou não anuidade, pode não ser compensatório contratar um cartão com estas características se as suas compras não chegarem a atingir o montante mínimo mensal. Nestas situações, em vez de poder ser recompensado, pode ser antes prejudicado.

Veja também:

Catarina Gonçalves Catarina Gonçalves

Catarina Gonçalves é economista, com experiência em finanças, gestão e inovação estratégica. Estudou economia porque queria entender o modus operandi do mundo. Apaixonada pelo conhecimento, das letras às ciências, sem esquecer a música, adora criar, discutir ideias e desenvolver projetos em equipa. Foi coautora de vários livros e colaboradora em diferentes publicações. Acredita que tudo tem um propósito e um tempo certo para acontecer. Coleciona experiências e viagens.

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O E-Konomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].