Publicidade:

As 6 cidades mais caras para viver na Europa em 2017

Se está a pensar emigrar, saiba quais as cidades mais caras para viver na Europa. Conheça o ranking das cidades europeias com o custo de vida mais elevado.

As 6 cidades mais caras para viver na Europa em 2017
O top 6 das cidades com custo de vida mais pesado

Sabe quais são as cidades mais caras para viver na Europa? De país para país há inúmeras diferenças. Não só a nível cultural, mas também económico. Basta pensar na diferença entre os salários médios de cada país da Europa, por exemplo.

A par do salário está depois o custo de vida que se verifica em cada país ou cada cidade. E é sobre o custo de vida que incide o estudo da Eurostat, o gabinete de estatística da União Europeia, que analisou 31 países europeus.

Para chegar ao ranking, o Eurostat utilizou “coeficientes de correção”, que incluiu informação sobre o custo de vida para assegurar que os funcionários públicos da União Europeia tivessem um poder de compra equivalente em todo o continente.

As cidades mais caras para viver na Europa em 2017: o Top 6

londres

1. Londres

A capital Londrina ocupa o lugar de ouro no pódio. Tem um dos salários médios mais elevados da europa, que, no entanto, não parece ser suficiente para fazer face ao elevado custo de vida da cidade. As rendas imobiliárias são muito elevadas, os transportes (mesmo públicos) também não são baratos e ir almoçar ou jantar fora é um verdadeiro luxo.

2. Copenhaga

No segundo lugar das cidades mais caras para viver na Europa está a capital da Dinamarca, Copenhaga. Esta é também a maior cidade do país e assume-se como o centro cultural, económico e governamental do país. Também o turismo é bastante caro em Copenhaga e não é fácil encontrar hotéis a bom preço.

estocolmo

3. Estocolmo

A Suécia tem um dos mais altos padrões de vida na Europa, graças ao custo dos bens e serviços locais (incluindo alimentação, transporte e rendas de casas). Em comparação com o que se ganha, pode dizer-se que é equilibrado, mas ainda assim ocupa o terceiro lugar no ranking da Eurostat das cidades mais caras para viver na Europa.

4. Helsínquia

A capital finlandesa tem um dos custos de vida mais elevados da Europa em todas as categorias (rendas de casa, transportes, etc.). Em contrapartida, estes custos são balançados com os rendimentos médios, motivo que a impede de entrar nos lugares mais cimeiros da lista. Em todo o caso a posição de quarto lugar é garantida.

dublin

5. Dublin

Sabia que capital da República da Irlanda tem um dos salários mais elevados da Europa? E a par dos salários surge também o custo de vida. Pagar casa, transportes e alimentação não fica barato por estes lados.

6. Paris

A chamada “cidade do amor” não tem um dos salários mais elevados da Europa, mas o mesmo não se pode dizer do custo de vida. Os preços das casas, por exemplo, são muito elevados e fazem com que Paris ocupe a sexta posição deste ranking. Além disso, não podemos esquecer a grande aglomeração de marcas de luxo com produtos caríssimos e apenas acessíveis a uma franja da sociedade muito diminuta.

A título de curiosidade, o estudo da Eurostat referenciou Sofia, na Bulgária, como a cidade europeia menos cara para viver. Além do custo de vida foram considerados uma série de outros itens de análise que pode consultar aqui.

Veja também: