Publicidade:

Claustrofobia: tudo o que tem de saber

Se espaços fechados lhe parecem assustadores, então talvez tenha claustrofobia. Fique agora a saber tudo sobre este distúrbio.

Claustrofobia: tudo o que tem de saber
Conheça melhor esta fobia

Entra num elevador e já está a tremer e a contar os segundos para sair porta fora? Andar no metro é um suplício do qual só se quer ver livre? O medo de espaços fechados e pequenos afeta muitas pessoas que, por vezes, nem compreendem o motivo. O mais provável é que sofram de claustrofobia e não consigam suportar a ideia de passar mais de 1 minuto em locais que lhes pareçam pouco espaçosos ou atolados, vendo-os até como perigosos.

Esta é uma das perturbações de ansiedade mais frequentes e conhecidas, podendo mesmo originar ataques de pânico. É, portanto, importante que fique a conhecer o tema de A a Z.

Saiba tudo sobre a claustrofobia


saiba tudo sobre a claustrofobia

A claustrofobia trata-se de um transtorno psicológico que se caracteriza pela incapacidade de uma pessoa permanecer por longos períodos de tempo em locais apertados, escuros, fechados ou com pouca circulação de ar – se o espaço estiver lotado a situação pode tornar-se ainda mais incómoda. Este incómodo pode ir desde um leve desconforto, fácil de ultrapassar, até uma sensação de pânico intensa, que pode mesmo impedir a realização de tarefas normais do dia-a-dia.

Muitas pessoas que sofrem de claustrofobia sentem o ambiente à sua volta a encolher: na sua cabeça as paredes comprimem o espaço e o teto aproxima-se do chão. Curiosamente, poucas são as pessoas com esta condição que procuram ajuda psicológica para ultrapassar a perturbação e fazer uma vida o mais normal possível.

Embora não exista uma causa concreta, acredita-se que a claustrofobia tem origem em eventuais episódios traumáticos. Se o indivíduo experienciou um trauma num espaço pequeno e fechado, seja em criança ou já na idade adulta, então existe a probabilidade de desenvolver este distúrbio.

Sintomas

Como acontece com qualquer outra fobia, este transtorno pode desencadear vários sintomas. Contudo, a intensidade varia de pessoa para pessoa e de acordo com a situação:

  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Calafrios;
  • Suores;
  • Respiração acelerada;
  • Boca seca;
  • Tonturas;
  • Tremores;
  • Desmaios;
  • Ansiedade;
  • Dormência;
  • Desorientação.

Tratamento

conheça o tratamento para a claustrofobia

Regra geral, a psicoterapia é o tratamento mais utilizado para tratar a claustrofobia. Desta forma, é possível identificar e compreender os motivos do medo e, ao mesmo tempo, promover a aprendizagem de técnicas que ajudam a acalmar os sintomas do distúrbio.

Em alguns casos, pode ser também necessário recorrer a medicamentos capazes de combater os sintomas provocados por esta fobia. Os médicos costumam recorrer, por exemplo, a antidepressivos de modo a evitar o desenvolvimento de uma depressão por parte do paciente – isto porque é habitual os doentes procurarem viver em isolamento.

Veja também:

Inês Pereira Inês Pereira

Licenciada em Jornalismo e Pós-Graduada em Branding e Content Marketing, sempre se deu bem com a escrita. Embora prefira escrever com um teclado, não acredita nessa ideia de ler um livro através de um ecrã: um livro lê-se em papel e tem um marcador. Gosta de fotografia, de história e de conhecer o mundo.