Publicidade:

Como conduzir um carro automático: caixa e embraiagem

Caixas automáticas já são quase a norma nos carros vendidos atualmente. Saiba fazer a transição do manual e como conduzir um carro automático.

Como conduzir um carro automático: caixa e embraiagem
Caixas automáticas começam a ser a norma

Para quem está habituado a conduzir automóveis com mudanças manuais, fazer a transição para um carro de caixa automática pode ser uma desafio. Conduzir torna-se um processo tão mecânico com a experiência, que tentar de repente simplificar o processo pode tornar-se um problema. Saiba como conduzir um carro automático.

Antes de tudo, lembre-se que uma caixa de mudanças automáticas é suposto ajudar o condutor e facilitar a condução. Contudo, todos os automóveis têm as suas especificidades e torna-se obrigatório ler o manual de instruções de cada um, observar bem a caixa e perceber o que cada indicação significa. Se os comandos estão no meio dos assentos como é tradicional ou se estão em comandos no volante.

Estas noções ajudam-no tanto a melhorar sua experiência, como a prolongar a vida do seu carro.

Como conduzir um carro automático: a caixa

conduzir

As mudanças automáticas foram concebidas em termos de conforto e comodidade, diminuindo ao máximo as distrações interiores do carro. Para se tornar intuitiva e realmente simples, tome atenção às posições básicas da caixa. Podem mudar de carro para carro (daí a necessidade de ler o manual).

São normalmente estas as posições na caixa de mudanças automática:

  • P (Parking) – Para quando o veículo está parado;
  • R (Reverse) – Para fazer marcha-atrás;
  • N (Neutral) – Corresponde ao ponto morto, à partida o carro arranca com esta posição;
  • D (Drive) – A utilizar quando for conduzir, em alguns carros pode estar presente a letra A;
  • S (Sport) – Prolonga as mudanças e diminui o tempo de comutação entre as mesmas, nem todos os carros têm esta posição.

Como conduzir um carro automático: a embraiagem

Outra grande novidade dos carros de caixa automática, é que deixa de ser necessário fazer ponto de embraiagem. Deixa de ser necessário carregar neste pedal para fazer a mudança na caixa manual, porque este deixa de existir. Pode ser o aspeto a que os condutores mais têm dificuldade a adaptar-se: o que fazer com o pé esquerdo? Mantenha-o em descanso.

Como só existem pedais para acelerar e travar, e é impossível vir a precisar de ambos ao mesmo tempo, logo usa-se apenas o pé direito para conduzir. Quando começar a conduzir um carro automático, tenha cuidado com a tentação de usar o pé esquerdo, por motivos de segurança.

Tendo estas questões em mente, tenha também em atenção como funciona o travão de mão no carro. Existem modelos automáticos que não têm o formato mais tradicional. Sublinhamos novamente que é importante ler o manual de instruções do carro.

Para pôr o carro a andar, é preciso pressionar o pedal do travão para poder tirar o carro da posição P ou N. O pé vai do pedal do travão para o acelerador. O carro começa a mexer e a partir daí basta acelerar, travar e ter algum controlo, que carro ajuda em certas coisas. Não existe consenso quanto a paragens pontuais. Há quem defenda que o melhor é colocar em N para poupar combustível, mas também há quem diga que meter sempre em N causa desgaste desnecessário. Tudo depende do tempo que passa com o carro parado.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.

Também lhe pode interessar: