Publicidade:

Como obter crédito com problemas bancários

Quer saber como obter crédito com problemas bancários? Damos-lhe algumas dicas e conselhos que lhe podem vir a ser úteis.

Como obter crédito com problemas bancários
Sai mais caro, mas é possível

Dizem os especialistas que o pico da crise económica já passou, mas ainda ficaram muitas marcas em grande parte das famílias portuguesas, que hoje enfrentam grandes dificuldades em obter ajudas junto de instituições bancárias por conta de erros do passado. Então, como obter crédito com problemas bancários?

Obter crédito com problemas bancários não é impossível, mas certamente também não é tão fácil como se tivesse uma “ficha limpa” no Banco de Portugal. Ainda assim, reunimos algumas dicas para fazer face a necessidades urgentes quando todos os bancos parecem querer fechar-lhe a porta.

Como obter crédito com problemas bancários


como obter crédito com problemas bancários

1. Ofereça mais garantias

Se procura saber como obter crédito com problemas bancários, saiba desde já que esses problemas não dão para esconder. Todos os bancos têm acesso a um documento com o registo de todos os portugueses que já entraram em incumprimento de dívida alguma vez – a famosa “lista negra” do Banco de Portugal – e vão usá-lo na hora de avaliar o grau de risco que assumem ao emprestar-lhe dinheiro.

Ter problemas bancários na hora de pedir um crédito significa pedir ao banco que assuma um grande risco – e o risco, já se sabe, paga-se muito caro. Assim, a melhor opção quando quer obter um crédito com problemas bancários é tentar minimizar o risco do crédito oferecendo o máximo de garantias que puder.

Ofereça hipotecas, fiadores, valores mais altos de entrada… tudo o que der a entender ao banco que o risco de lhe emprestar dinheiro não é tão grande como parece vai ajudá-lo a ver o crédito aprovado.

2. Peça crédito pessoal imediato

Este está longe de ser o melhor tipo de créditos do mercado, porque é naturalmente mais caro do que todos os outros, mas tem a vantagem de ser um processo rápido e com poucas perguntas.

Não queremos com isto dizer, no entanto, que a instituição que lhe concede o crédito não olhe para a “lista negra” do Banco de Portugal – ela olha, mas, como o crédito é mais caro (paga mais juros), fica disposta a correr mais riscos do que em situações alternativas.

Apesar de ser ideal para situações de emergência e para consumidores que querem obter crédito com problemas bancários – porque o dinheiro é depositado na sua conta em poucas horas e sem grandes complicações -, convém ter em atenção que os créditos pessoais são bastante mais caros do que as outras modalidades de crédito e tendem a ter prazos de pagamento mais curtos, ou seja, vai contratar um esforço financeiro muito grande e por isso deve garantir que consegue pagar.

3. Peça a familiares e amigos

Se tiver bons amigos, saiba que é muito mais fácil obter crédito com problemas bancários se tiver a ajuda deles. Os empréstimos informais são uma ótima opção para quem precisa de pequenas quantidades de dinheiro com urgência e, muitas vezes, a relação de confiança com o credor ajuda a negociar boas condições de crédito.

Também esta modalidade tem, contudo, algumas desvantagens: além de arriscar a amizade (em caso de incumprimento, fica difícil de gerir), tem de ter cuidados redobrados na hora de negociar as condições do empréstimo.

O ideal é assinar mesmo um contrato formal, independentemente do valor. Faça por ter as assinaturas reconhecidas pelo notário e por fixar logo a taxa de juro ou a ausência desta. Se não o fizer, as condições podem ser alteradas mais tarde, por vontade do credor, sem que haja proteção legal para si.

4. Peça crédito a particulares

Além das instituições bancárias, também há fundos de investimento e até investidores particulares que concedem crédito. Estes casos, contudo, funcionam à margem do Banco de Portugal, o que significa que, do seu lado, há menos garantias de proteção legal.

Pedir crédito com problemas bancários é possível nestas situações – há, aliás, investidores que oferecem empréstimos especialmente dirigidos a estes casos -, mas prepare-se para pagar taxas de juro muito inflacionadas e condições de pagamento muito menos simpáticas do que nas instituições reguladas.

Esta modalidade deve, por isso, ser um recurso a ponderar apenas quando todos os outros tiverem sido esgotados, porque vai, muito provavelmente, agravar a sua situação a longo prazo. No entanto, se está a precisar de dinheiro com muita urgência, esta é uma opção com menos burocracia do que a maioria dos bancos, o que ajuda a agilizar a disponibilização do montante de que precisa.

Obter crédito com problemas bancários não é tarefa fácil. Se o seu nome está na “lista negra” do Banco de Portugal como sendo um mau pagador, os bancos vão ficar muito reticentes a dar-lhe dinheiro para a mão, porque o risco de se meterem num mau negócio é muito grande.

Se tem tido histórias menos boas no capítulo financeiro, o ideal é sempre evitar contrair créditos durante uns anos e procurar soluções alternativas para fazer face às suas despesas (como encontrar fontes adicionais de rendimento, por exemplo). Se não consegue mesmo, tente contactar amigos e familiares para fugir às taxas de juro inflacionadas.

As entidades oficiais são sempre o último recurso a ponderar – e, mesmo assim, devem ser abordadas por ordem: primeiro as “oficiais” e reguladas pelo Banco de Portugal, e só depois as que funcionam à margem da instituição reguladora.

Em todo o caso, lembre-se sempre que problemas bancários significam risco de negócio, e esse risco vai sempre fazer-se sentir sob a forma de um aumento das taxas de juro que lhe são cobradas.

Veja também: