Publicidade:

Crédito para jovens empreendedores: 3 opções

O empreendedorismo jovem tem sido um motor de crescimento para a economia nacional. Saiba aqui que apoios de crédito para jovens empreendedores existem.

Crédito para jovens empreendedores: 3 opções
Conheça as possibilidades existentes

Continua a ser pertinente apoiar os jovens no que diz respeito a soluções para ajudar a melhorar o seu futuro. Porque o trabalho não pode ser apenas um emprego, é bom conhecer algumas oportunidades de crédito para jovens empreendedores, e ajudá-los a cumprir sonhos.

Estas linhas de crédito acabam por ser um incentivo à melhoria do crescimento económico do país e do valor de Portugal perante o resto do Mundo. Confira se alguma é passível de ser aproveitada.

Crédito para jovens empreendedores

empreendedores

1. Programa Finicia

Este programa, promovido pela IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas), pretende facilitar o acesso a soluções de financiamento e assistência técnica na criação de empresas. Resulta de uma parceria com o Instituto Português da Juventude e algumas entidades bancárias, apresentando soluções especiais para jovens até aos 35 anos para projetos de empreendedorismo e PMEs em fase de arranque.

Está distribuído em 4 eixos de intervenção: Zero, I, II e III – consoante o projeto, financiamento e sector de atividade. Está especialmente destinado aos sectores da indústria, comércio, turismo, serviços, construção e energias.

2. Caixa Jovem Empreendedor

Este programa da Caixa Geral de Depósitos pretende financiar a aquisição de equipamentos e outras componentes de investimento que sejam necessários ao desenvolvimento e/ou lançamento de pequenos negócios. Destina-se a jovens até aos 40 anos, com um montante de 50 mil euros, com o limite de 80% do valor do investimento total. Funciona também em parceria com a ANJE (Associação Nacional de Jovens Empresários).

3. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego – IEFP

Este programa funciona ao abrigo da medida Investe Jovem e é destinado a pessoas que estejam a beneficiar do subsídio de desemprego. Caso pretendam criar o próprio negócio, esta medida subdivide-se em duas linhas de crédito. A MICROINVESTE (financiamento até 20 mil euros para investimentos com o mesmo valor) e a INVST+ (financiamento até 100 mil euros para investimentos entre os 20 mil e 200 mil euros). As taxas de juro prometem algumas facilidades, assim como também é fornecido apoio técnico.

É obrigatório que os candidatos tenham 18 anos para serem selecionados e não podem acumular outras atividades com a que é financiada.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.