Publicidade:

11 cuidados a ter no IRS para evitar surpresas desagradáveis

Mesmo para quem se sente mais à vontade, há cuidados a ter no IRS que não deve descurar. Deixamos-lhe algumas dicas que não pode esquecer.

11 cuidados a ter no IRS para evitar surpresas desagradáveis
Quer evitar surpresas desagradáveis? Então não descure estes cuidados

Há muitos cuidados a ter no IRS. Preencher o IRS pode ser uma tarefa fácil para muitas pessoas, também graças aos processos de simplificação introduzidos pela Autoridade Tributária (AT). No entanto, é melhor estar atento para que um erro não lhe saia caro.

Agora que estamos na altura do ano em que deve entregar a sua declaração de rendimentos, tenha muita atenção para evitar coimas de centenas de euros ou sofrer perdas de imposto a recuperar.

Cuidados a ter no IRS: 11 recomendações a não esquecer


1. Verifique se está dispensado de entregar IRS

Saber se está ou não dispensado de apresentar a declaração de IRS é um dos cuidados a ter no IRS. Em 2019, há mais pessoas abrangidas, por isso se cumprir as condições de isenção, não terá mais que se preocupar.

2. Não perca os prazos de vista

Ainda não entregou a sua declaração de IRS? Esteja atento e não deixe passar prazos. Por isso, nada melhor que tomar nota dos prazos da entrega desta importante declaração: 1 de abril a 30 de junho.

Caso entregue a sua declaração fora de prazo, corre o risco de ser multado e a sua carteira pode ressentir-se.

As coimas para apresentação da declaração fora do prazo podem ir desde 375 a 22.500 euros (a que acrescem as despesas associadas a encargos com o processo), de acordo com o artigo 119.º do RGIT – Regime Geral das Infrações Tributárias. Evitar pagar coimas é um dos cuidados a ter no IRS mais relevantes.

cuidados-a-ter-no-IRS

3. Certifique-se de que a sua declaração está corretamente preenchida

Sabia que não dar toda a informação ou informação incorreta pode valer-lhe multas ou significar pagar mais imposto ou receber menos? Por isso, importa verificar, depois de preenchida a declaração e respetivos anexos, se não esqueceu nenhuma informação importante ou de declarar alguma coisa.

Embora possa corrigir os erros e entregar uma declaração de substituição, é de todo o interesse evitar erros, lapsos ou omissões que possam ser evitados com uma dose adicional de atenção.

4. O IRS automático também requer atenção

O IRS automático é uma funcionalidade que chega a cada vez mais contribuintes. Além dos trabalhadores dependentes e pensionistas que não aufiram mais nenhum rendimento, em 2019, juntam-se também os contribuintes com Planos Poupança Reforma ou certificados de reforma, conhecidos como o “PPR do Estado”, abrangendo cerca de 3 milhões de contribuintes.

Embora com o IRS automático a declaração já esteja preenchida e quase pronta a validar, não deve descurar a sua validação e lembre-se que a responsabilidade pela informação que está na declaração de IRS é de cada contribuinte a que diz respeito. Pode sempre rejeitar a declaração automática e entregar uma preenchida por si.

Os dados que a Autoridade Tributária (AT) utiliza constam da informação que está no E-Fatura e das informações que vai enviando à AT, por exemplo, sobre o agregado familiar.

Tenha presente que se esquecer alguma comunicação ou a validação de faturas, potenciais deduções não serão consideradas.

Cuidados a ter no IRS

5. Simule a entrega conjunta e a entrega separada

Os casais ou unidos de facto têm a possibilidade de entregar o IRS em conjunto ou em separado. Um dos cuidados a ter no IRS é simular ambas as situações e verificar qual é a situação que é mais vantajosa, que será sempre aquela em que ou pagam menos imposto ou recebem um reembolso superior. Este é um dos cuidados a ter no IRS que lhe pode permitir poupar algum dinheiro.

6. Verifique todas as deduções e benefícios fiscais

As despesas registadas e validades no portal E-Fatura serão utilizadas para calcular as deduções ao rendimento coletável. Por isso, deve não só ir verificando o portal como também aceder à página “deduções à coleta” na sua área reservada no Portal das Finanças e conferir se lá estão todas as faturas e documentos de despesas de 2018 correspondentes às respetivas deduções nas diferentes categorias.

Se der pela falta de alguma fatura ou não concordar com alguma despesa e quiser fazer alguma alteração, deverá introduzir essa despesa, bem como todos os benefícios fiscais no anexo H, manualmente.

cuidados-a-ter-no-IRS

7. Submeta o anexo da Segurança Social

Se é trabalhador independente, ou seja, se se insere como trabalhador da categoria B, deve entregar também o anexo da Segurança Social. Se acumular trabalho dependente com trabalho independente e tiver atividade aberta nas Finanças, deve, igualmente, apresentar este anexo na sua declaração de IRS.

8. Confira se pode entregar o IRS dos filhos com o dos pais

Em certas circunstâncias, os filhos não precisam de entregar o IRS sozinhos e podem entregá-lo juntamente com o IRS dos pais, sendo ainda considerados como dependentes. Para isso, os filhos devem ter até 25 anos e não receber mais que 8120 euros, correspondente a 14 salários mínimos. Caso contrário, terão que entregar a sua declaração de IRS separadamente.

Cuidados a ter no IRS

9. Esteja atento ao prazo para reclamações

Já consultou as suas despesas que foram apuradas em cada uma das categorias de despesas dedutíveis? Não deixe passar esse período se verificar que existem erros no registo de despesas ou se algumas delas não constarem na sua área pessoal no portal E-Fatura.

10. Verifique se o seu IBAN está correto

Outro dos cuidados a ter no IRS que não deve descurar é verificar se o seu IBAN/NIB estão corretos antes de submeter a declaração. Se tiver direito a reembolso do IRS e escolher receber o reembolso através de transferência bancária, fará toda a diferença.

Cuidados a ter no IRS

11. Não hesite em pedir ajuda

Se não se sente à vontade para preencher a declaração de IRS sozinho e não quer ter custos com um contabilista para fazer esse trabalho, pode sempre solicitar à AT todos os esclarecimentos de que precisa.

Veja também:

Catarina Gonçalves Catarina Gonçalves

Catarina Gonçalves é economista, com experiência em finanças, gestão e inovação estratégica. Estudou economia porque queria entender o modus operandi do mundo. Apaixonada pelo conhecimento, das letras às ciências, sem esquecer a música, adora criar, discutir ideias e desenvolver projetos em equipa. Foi coautora de vários livros e colaboradora em diferentes publicações. Acredita que tudo tem um propósito e um tempo certo para acontecer. Coleciona experiências e viagens.

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O E-Konomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].