Publicidade:

Cuidados a ter quando comprar carros usados em stands

Pensa comprar carros usados em stands? Saiba os cuidados a ter antes de avançar para a compra e garantir que faz um bom negócio.

Cuidados a ter quando comprar carros usados em stands
Embora possam parecer ótimos negócios é necessário ter cuidados

Não há dúvida que comprar carros usados em stands é a melhor forma de escapar à desvalorização inicial que um automóvel sofre quando é vendido por um concessionário. É verdade que os carros em segunda-mão são bastante mais baratos do que os veículos novos, mas sempre que compra um carro que já foi usado por outra pessoa, é também verdade que está a correr alguns riscos, por isso é necessário avaliar bem o seu futuro automóvel e ponderar bastante no momento da compra.

Em média, um automóvel novo perde cerca de metade da cotação de mercado ao fim de apenas 3 anos de vida, e se pensarmos mais concretamente nos do segmento premium, estes são os carros que mais desvalorizam. Novos custam mais de 50.000€, mas se comprar estes carros carros usados em stands irá poupar quase 20.000€ na compra de uma viatura com pouco uso (porque convenhamos, um carro com 3 anos é essencialmente um carro novo).

Comprar carros usados em stands tem sido o meio preferido para mudar de carro. Os preços mais apelativos têm cativado cada vez mais portugueses, que em 2017 compraram mais do dobro de viaturas usadas do que novas (cerca de 500.000 carros usados, ao passo que as vendas dos carros com zero quilómetros não ultrapassou as 240.000 unidades).

Conheça então quais os cuidados que deve ter quando comprar carros usados em stands e garanta que faz um ótimo negócio.

6 cuidados a ter quando comprar carros usados em stands


stand

1. Faça sempre um test drive

Antes avançar para a compra definitiva faça sempre um teste ao veículo em andamento. Esteja atento a eventuais barulhos provenientes do motor e ao estado de conservação dos travões e da suspensão. Estes poderão ser os componentes que maior desgaste sofreram ao longo da vida útil do carro e serão aqueles mais caros para reparar.

2. Verifique se existe alguma fuga

Depois de circular alguns quilómetros com o carro, estacione-o durante alguns minutos num local com o piso seco. De seguida, puxe o carro à frente e procure por vestígios de alguma fuga de óleo. Se encontrar alguma, isto poderá ser um sinal de dores de cabeça, e deve continuar a sua procura por um outro carro usado.

3. Verifique toda a chapa em redor do carro

Falhas na pintura e diferenças de tonalidade nos painéis da criaria podem indiciar que o carro teve uma vida algo complicada nas mãos do anterior proprietário, e que poderá ter tido algum acidente mais grave. Procure por soldaduras suspeitas, sobretudo nas uniões da várias partes da carroçaria, procure também nas zonas internas do capot, na zona traseira junto ao guarda-lamas e também junto à porta da da bagageira. Estes são os locais mais críticos e mais propícios a sofrerem toques. Se possível, faça-se sempre acompanhar de um íman para verificar se o carro já teve algum acidente.

4. Inspeccione o interior

Procure eventuais sinais excessivos de desgaste na zona do tablier ou bancos e avalie o desgaste destes materiais em função dos quilómetros indicados no odómetro do carro. Se o carro tem um interior aparentemente muito desgastado mas tem poucos quilómetros, poderá tratar-se de uma fraude e deve estar atento. Inspeccione literalmente todo o interior e veja em que condições está.

Um interior demasiado desgastado poderá ser sinal de maus tratos ou de pouco cuidado, indicando que o anterior dono provavelmente era bastante descuidado com o carro e ele poderá não estar em condições, ou então que nunca terá sido guardado numa garagem, e estando sujeito às condições climáticas, é natural que o desgaste dos componentes seja sempre maior.

5. Peça ajuda a um mecânico para examinar o motor

Peça ao vendedor para levar o carro a um mecânico de sua confiança, ou se possível, peça a um mecânico para o acompanhar ao stand para fazer uma inspecção minuciosa a todos os componentes. Os mecânicos poderão identificar sinais de desgaste e de ferrugem que poderão passar despercebidos aos seus olhos e evitar assim futuros problemas.

6. Não compre por impulso

Não compre por impulso. O coração pode falar mais alto, mas quando falamos de um investimento tão significativo como um carro, a razão é que deve imperar. Depois de ver e testar todas as opções e tomar o seu tempo para decidir qual será aquele que mais satisfará os seus requisitos. Se for preciso, faça novamente uma visita aos stands para ver o carro.

Se o carro correspondeu a toda as suas expectativas, não se esqueça também de tentar negociar o valor do carro. Vá com um número na cabeça mas não comece logo as negociações com ele. Faça uma oferta inicial que seja mais baixa do que o preço máximo que está disposto a pagar e deixe a negociação seguir até que haja um acordo.

Se seguir estas todas dicas, podemos assegurar-lhe que comprar carros usados em stands poderá revelar-se num excelente negócio para si! Existem por aí excelentes oportunidades, apenas é preciso estar atento e seguir todos os passos para fazer a compra certa.

Veja também:

Marvin Tortas Marvin Tortas

Licenciado em Ciências da Comunicação, homem do Norte, apaixonado por carros e com experiência em desporto automóvel. A seguir a mamã e papá, as palavras Ferrari, Mercedes, Audi e Fiat foram respetivamente as 3ª, 4ª, 5ª e 6ª palavras do seu vocabulário.

Também lhe pode interessar: