Publicidade:

8 destinos fundamentais a visitar no Minho

Indiscutivelmente uma das mais belas regiões de Portugal, os destinos no Minho deslumbram e conquistam todos aqueles que os visitam e se deixam perder de amores pelo verde estonteante...

8 destinos fundamentais a visitar no Minho
Verdes paisagens, praias dramáticas, cidades históricas e muito mais

Os destinos a visitar no Minho que hoje lhe sugerimos pertencem a uma das regiões mais deslumbrantes de Portugal, parecendo concentrar em si cada um dos sedutores traços do nosso tão variado país: cidades seculares, nas quais a história parece esconder-se em cada pormenor arquitetónico; paisagens frondosas de um verde intenso e brilhante; encantadores rios que atravessam vales pitorescos; montanhas imponentes; deliciosas praias banhadas pelo selvagem Oceano Atlântico ou rios locais; e uma riqueza cultural absolutamente insuperável.

Se juntar a tudo isso a impressionante simpatia das suas gentes, vai obter o destino turístico perfeito para os próximos dias de descanso e passeio.

Destinos a visitar no Minho: 8 sugestões imperdíveis


Porque queremos que usufrua do melhor que esta região tem para oferecer, partilhamos oito destinos a visitar no Minho imperdíveis e ainda indicamos o que deve comer e onde pode ficar hospedado. Fique atento!

1. Braga

bragaFonte: Max Pixel

Braga é uma das mais antigas cidades do país, construída há mais de dois mil anos, e, ao mesmo tempo, uma das mais jovens da Europa, tendo sido eleita Capital Europeia da Juventude em 2012.

Mas Braga é muito mais do que isso: conjugando uma arquitetura e cultura históricas com uma elegância e sofisticação indiscutivelmente atuais, a cidade deslumbra quem a visita com as inúmeras praças e ruelas em paralelo, os vibrantes cafés e excelentes restaurantes, a incomparável oferta comercial e, claro está, a grande quantidade de igrejas e santuários, entre os quais se destaca, inevitavelmente, o Bom Jesus do Monte – ou não fosse Braga um dos principais centros de culto do país, com a epítome de “Cidade dos Arcebispos”.

Um facto de interesse: a Sé Catedral de Braga é uma das mais antigas do país, tendo sido construída no séc. XII pelos pais de D. Afonso Henrique, D. Henrique e D. Teresa, que se encontram ambos aí enterrados. Da venerável idade deste icónico edifício originou a expressão “Mais velho que a Sé de Braga”, para designar algo realmente antigo.

Uma sugestão gastronómica: Rojões com Papas de Sarrabulho; Bacalhau à Braga; “Frigideiras” (grandes pastéis de massa folhada com recheio de carne); Pudim Abade de Priscos; Vinho verde.

Onde ficar:

2. Guimarães

guimarãesFonte: Max Pixel

Um dos mais importantes destinos não só do Minho, mas de todo o país, Guimarães é frequentemente apelidada de “cidade berço”, uma vez que aí nasceu D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal.

O centro histórico, absolutamente imperdível, foi considerado Património Cultural da Humanidade, estando associado à formação e à identidade portuguesas. O cuidado e dedicação colocados na preservação da herança da cidade são bem patentes em detalhes como pórticos, torres e edifícios nobres, que nos remetem para o encanto de uma bem estimada época medieval. No entanto, a Capital Europeia da Cultura em 2012 consegue conciliar, talvez como nenhuma outra, o amor à tradição com uma dinâmica empresarial e de modernidade verdadeiramente invejáveis.

Um facto de interesse: pode desfrutar de uma das mais fabulosas vistas panorâmicas do Norte de Portugal, apanhando o teleférico que o levará até ao Monte da Penha, o ponto mais elevado da área urbana de Guimarães e onde poderá visitar um dos mais emblemáticos locais da região: o Santuário da Penha.

Uma sugestão gastronómica: Galo de Cabidela ou Arroz de “Pica no chão”; Bacalhau com Broa; Naco à Conquistador; Toucinho do céu; Tortas de Guimarães.

Onde ficar:

3. Viana do Castelo

viana do castelo

A designada “joia da Costa Verde”, localizada entre o impressionante oceano Atlântico e as verdejantes montanhas do Norte de Portugal, combina de forma exemplar esta impressionante diversidade de paisagens com um intenso respeito pela história da região e respetivas tradições e folclore.

A visita a esta cidade deverá começar pelo magnífico centro histórico, um verdadeiro museu vivo, no qual encontrará amplas avenidas e estreitas ruelas repletas de mansões e monumentos dos mais diversos estilos e épocas. De seguida, pode optar pelas encantadoras praias douradas, mesmo à saída da cidade, ou pela deslumbrante paisagem do monte de Santa Luzia, com o seu magnificente santuário. De não perder é também uma passagem pela impressionante Serra da Arga e, podendo, pelas Festas da Sr.ª da Agonia, expoente máximo das belas romarias portuguesas e que se realizam entre 17 e 20 de agosto.

Um facto de interesse: junto à água, perto do Largo 5 de outubro, vai encontrar o navio hospital Gil Eanes, símbolo da qualidade de construção naval de Viana e que é uma memória viva da assistência prestada à nossa frota bacalhoeira, no Atlântico Norte e que foi transformado em museu.

Uma sugestão gastronómica: Arroz de Sarrabulho; Bacalhau à Gil Eanes; Bolas de Berlim do Natário; “Manjericos”.

Onde ficar:

4. Gerês

gerês

Apresentando uma variedade paisagística, histórica e cultural verdadeiramente impressionantes, o Gerês foi a primeira e única área protegida portuguesa a ser designada como Parque Nacional, de forma a preservar não só a sua invejável fauna e flora, mas também o próprio modo de vida dos habitantes.

Quem se aventura pelo Gerês não fica seduzido só pelas íngremes montanhas, encantadores vales e opulenta vegetação, como também pelos serpenteantes rios e ribeiras, borbulhantes cascatas, cristalinas lagoas e riquíssima vida animal. Igualmente impressionante é o facto de as suas mais de cem aldeias de granito pouco terem mudado desde o séc. XII, data de nascimento de Portugal, mantendo quase intactos o ambiente, tradições e formas de vida rurais.

Um facto de interesse: o Parque Nacional da Peneda-Gerês integra 37 monumentos funerários rupestres. Entre estes destaca-se a necrópole megalítica da Serra da Amarela que, por ser um exemplo raro do património arqueológico e paisagístico, e pela sua importância para a investigação histórica e científica, foi classificada como Sítio de Interesse Público pelo Estado Português.

Uma sugestão gastronómica: Carne de Cabrito de Castro Laboreiro; Lampreia; Truta recheada; Charutos de Ovos Moles; Rebuçados dos Arcos; Queijo da Cachena.

Onde ficar:

5. Caminha

moledo

A bonita vila de Caminha ainda é um destino pouco procurado no extremo norte de Portugal. Mas lá há muito com que se entreter: desde desfrutar de praias incríveis, a passeios por rios, rios, montanhas e florestas, até aproveitar para testemunha bonitos exemplos de arquitetura gótica, renascentista e barroca e deliciar-se com comida fabulosa.

Um facto de interesse: a Praça Conselheiro Silva Torres, com o seu formato circular, possui uma fonte bem no centro, que já foi a principal fonte de água potável na cidade.

Uma sugestão gastronómica: Arroz de robalo; Açorda de Robalo.

Onde ficar:

6. Valença

valença

A cidade fortificada de Valença é uma ode à beleza das águas do Minho, que, durante a noite ficam de tal forma iluminadas que quase é possível ver além das águas azuis e cristalinas.

A vila foi construída de modo a estar rodeada por um antigo e até hoje bem conservado e fortificado burgo, mantendo inúmeras belezas históricas e potenciando o máximo de contacto em harmonia com a natureza.

Perca-se pelas ruas estreitas, casas, restaurantes e lojas, que fazem a alegria de qualquer visitante e onde é possível desfrutar dos produtos mais características e típicos da região.

Um facto de interesse: visitar a vila é sentir-se como se tivesse entrado num qualquer cenário de filme, pormenorizadamente preparado para lhe proporcionar uma experiência de outros tempos.

Uma sugestão gastronómica: Bacalhau à São Teotónio; Bacalhau à Contrasta; Cabrito à Sanfins; Anho no Forno.

Onde ficar:

7. Ponte de Lima

ponte de lima

Em pleno coração do Vale do Lima, encontra-se a vila mais antiga de Portugal. Ponte de Lima esconde raízes profundas e lendas ancestrais, protegidas por um burgo medieval cercado de muralhas e nove torres, das quais ainda restam duas, além de vários vestígios das restantes e de toda a estrutura defensiva de então. O acesso à vila é feito através de seis portas que foram resistindo aos sinais dos tempos.

A partir do séc. XVIII começa a prosperar por todo o concelho a opulência das casas senhoriais que a nobreza da época se encarregou de criar. A tudo isto somam-se inúmeros pontos de beleza natural magníficas, góticas, maneiristas, barrocas, neoclássicas e oitocentistas, aumentando significativamente o valor histórico de cada referência.

Um facto de interesse: a ponte que deu nome a esta nobre terra foi sempre de elevada importância para a região, sendo, inclusivamente, até ao final da idade Média, a única passagem segura do Rio Lima.

Uma sugestão gastronómica: Arroz de Sarrabulho; Arroz de Lampreia; Lampreia à Bordaleza; Bacalhau de Cebolada.

Onde ficar:

8. Vieira do Minho

vieira do minho

Vieira do Minho localiza-se num local com uma paisagem privilegiada e é caracterizada pelas maravilhosas serras que a rodeiam: a Serra do Gerês e a da Cabreira.

Pela região ainda se encontram inúmeros vestígios arqueológicos, símbolos de presenças humanas bem antigas que adotaram esta região como casa, pela sua beleza, e terrenos férteis.

Como tal, é uma região de carácter notoriamente agrícola e rural. Não é, então, de estranhar que se encontrem diversas unidades de turismo rural e de habitação que tiram o máximo de proveito da região onde estão inseridas, fornecendo inúmeras atividades outdoor.

Um facto de interesse: ainda existem vestígios de alguns troços da do itinerário Antonino que ligava Braga, Chaves a Astorga, da época romana.

Uma sugestão gastronómica: Couves com Feijão; Vitela Assada; Cabrito no Forno; Anho Assado.

Onde ficar:

Não existem dúvidas de que uma visita a estes destinos no Minho é absolutamente obrigatória. Siga as nossas sugestões e deixe-se envolver por um mundo em que as paisagens deslumbrantes se sucedem, a história espreita em cada esquina, a cultura está mais viva que nunca e as tradições são rainhas e senhoras.

Veja também: