Publicidade:

Dieta flexitariana: como saber se é a mais indicada para si

A dieta flexitariana promove um maior consumo de vegetais e uma redução do consumo de carne. Conheça os seus benefícios e contraindicações.

Dieta flexitariana: como saber se é a mais indicada para si
Os flexitarianos são semivegetarianos

Uma das suas resoluções para este ano passa por adotar um estilo de vida mais saudável? Iniciou a prática de atividade física regular mas não sabe qual o regime alimentar mais indicado para si? Conheça a dieta flexitariana e descubra se é aquilo que procura.

Em que consiste a dieta flexitariana?


As organizações vegetarianas não reconhecem esta dieta

É possível que nos últimos tempos tenha ouvido falar imenso da dieta flexitariana que, tal como o nome indica, é uma tentativa de fusão entre o conceito vegetariano e um conceito mais flexível.

Habitualmente definidos como semivegetarianos, os flexiterianos baseiam a sua dieta na ingestão de alimentos vegetais, sendo igualmente permitida a ingestão esporádica de peixe e carne. Assim sendo, a dieta flexitariana dá preferência a alimentos de origem vegetal, ao mesmo tempo que permite algumas exceções de consumo ocasional de peixe e carne.

As organizações vegetarianas não reconhecem esta dieta como um tipo de vegetarianismo, na medida em que apesar de existir uma diminuição do consumo de carne e peixe, a abstenção do seu consumo por completo não está presente.

De qualquer forma, a dieta flexitariana não deixa de ter a sua inspiração na dieta vegetariana, incentivando ao aumento do consumo de vegetais e cereais integrais, promovendo a redução gradual do consumo de carne, privilegiando o consumo da produção local, de alimentos sazonais e de produtos sustentáveis.

A quem inicia esta dieta é recomendado que comece por fazer uma pequena redução do consumo de carne. Posteriormente, a presença de proteína de origem animal na dieta tende a ser cada vez menor, sendo possível que as refeições de carne passem a ser muito pontuais.

Quais são os benefícios da dieta flexitariana?


benefício da dieta flexitariana

A dieta flexitariana tem como objetivo o aumento do consumo de vegetais e cereais integrais. Assim sendo, tem potencial para ser uma dieta rica em antioxidantes, fibra, vitaminas e minerais.

Mais ainda, tendo em conta que estimula a diminuição do consumo das gorduras saturadas existentes na carne, sobretudo na carne vermelha e gorda, pode contribuir para uma perda de peso eficaz e para um estilo de vida mais saudável (por exemplo, diminuição do risco de desenvolver doenças cardíacas e diabetes).

Apesar de habitualmente a carne ser a principal fonte de proteína da nossa alimentação, a dieta flexitariana parece não acarretar carências nutricionais ao incentivar a sua redução, na medida em que grande parte de nós consome carne ou proteína de origem animal em excesso. Logo, outro dos benefícios passa por reduzir esse consumo, sem o abolir totalmente.

Os seguidores desta dieta defendem que um dos seus grandes pontos positivos passa por não pretender atingir a perfeição, almejando antes uma evolução, uma mudança gradual, que tranquilamente fomenta novos hábitos alimentares. É simples, realista e fácil de cumprir, não implicando grandes alterações ao nível dos produtos que habitualmente todos temos em casa.

Em jeito de conclusão, à dieta flexitariana são apontados vários pontos fortes:

a) ausência de alimentos proibidos;

b) melhoria do estado de saúde geral;

c) diminuição do impacto ambiental, devido à redução do consumo de carne e peixe.

Todavia, apesar de serem vários os profissionais da área da nutrição que apontam estes benefícios, estão em falta dados mais robustos que os comprovem. Tendo em conta que dentro desta dieta existe uma grande diversidade de práticas alimentares (por exemplo, alguns flexitarianos apenas excluem carne vermelha, enquanto outros apenas a ingerem em ocasiões especiais), o estudo da relação entre esta dieta e o estado de saúde vê-se dificultado.

Como saber se a dieta flexitariana é a ideal?


Como saber se a dieta flexitariana é a ideal?

Se aquilo que procura é uma dieta flexível, sem fundamentalismos, completa, sem custos adicionais, sem alimentos alternativos difíceis de encontrar, a dieta flexitariana pode, de facto, ser indicada para si.

No entanto, convém ter em conta que apesar de todos os benefícios enumerados anteriormente, esta dieta também apresenta alguns pontos fracos. Por exemplo, o consumo de fritos e açúcares, à semelhança dos restantes produtos alimentares, também não está limitado.

Assim sendo, a melhor forma de descobrir se a dieta flexitariana é, ou não, a mais indicada para si passa por consultar um nutricionista. Um nutricionista é o profissional de saúde que trabalha no âmbito das ciências da nutrição e da alimentação, que tem toda a competência para orientar e vigiar a sua nutrição e a sua alimentação. Está capacitado para intervir ao nível da sua alimentação, no sentido de adequar a sua dieta, promovendo a saúde e prevenindo a doença.

Não se esqueça que a alimentação é um facto importante para o nosso bem-estar geral e que uma correta alimentação contribui em muito para um bom estado de saúde. Tenha também em mente que os regimes alimentares pouco saudáveis constituem uma das principais causas de doenças evitáveis e de morte prematura.

Assim sendo, mesmo que a dieta flexitariana pareça ser a mais adequada para si, antes de a iniciar, consulte o nutricionista e obtenha toda a informação de que necessita.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Além da Psicologia. é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que traga mais felicidade!