Publicidade:

Encontrar emprego no estrangeiro: 8 sites

À procura de emprego no estrangeiro? Saiba onde começar e quais ferramentas tem ao dispor para encontrar oportunidades de trabalho lá fora.

Encontrar emprego no estrangeiro: 8 sites
Passo a passo para trabalhar fora de fronteiras

Quer encontrar emprego no estrangeiro? Por onde começar? Se já se informou sobre as condições de vida e de trabalho no país de destino, sobre a documentação necessária a reunir antes de ir para fora, e, sobretudo, sobre onde encontrar ofertas de emprego válidas e fidedignas… Está no caminho certo.

Mas, se ainda tem imensas dúvidas que rondam o tema, chegou ao sítio certo: aqui está o seu ponto de partida para a internacionalização de carreira, com o passo a passo simples para encontrar emprego no estrangeiro.

Vamos começar?

Emprego no estrangeiro: passo a passo


Apesar dos números do desemprego terem descido nos últimos semestres, Portugal continua a ser o quarto país da Europa com maior desemprego jovem. Não é, por isso, de espantar que muitos continuem a sentir vontade de aplicar os seus conhecimentos e competências em empresas estrangeiras. No entanto, para conseguir um emprego no estrangeiro, é preciso saber como procurar.

emprego no estrangeiro

8 sites para procurar emprego no estrangeiro

A perspetiva de trabalhar noutro país oferece desafios adicionais. Por onde começar? Selecionámos alguns exemplos de sites que atualmente constituem uma mais valia na procura de emprego internacional.

1. LinkedIn

Na procura de emprego no estrangeiro é fundamental ter a oportunidade de conhecer bem a empresa e, se possível, o recrutador que vai gerir o seu processo de seleção. As redes sociais – e o LinkedIn em particular – proporcionam hoje uma proximidade nunca antes verificada entre candidatos e recrutadores.

Aprenda a usar esta ferramenta, coloque o seu perfil na língua do país de destino, conecte-se a recrutadores no seu setor, siga empresas do seu interesse e mantenha-se ativo – utilize a ferramenta semanalmente, para que o seu perfil se torne visível.

2. Facebook Marketplace

O Marketplace é uma nova ferramenta do Facebook que permite colocar e visualizar anúncios. Se abrir o Marketplace no seu telemóvel ou computador, as primeiras ofertas que verá são de objetos: mobiliário, roupa, entre outros. Mas, a verdade é que se pesquisar por empregos, eles também por lá andam. Explore!

3. Wer-kennt-wen

Se prefere países com clima mais frio e sabe falar Alemão, esta é a rede a explorar.

4. Mixi

Quer ir para o Japão? Pode fazer sentido conhecer o Mixi.

5. Indeed.com

Esta rede agrega listas de ofertas de empregos advindas de outros websites, de anúncios de classificados, de jornais, blogs, associações, entre outros. Ideal para quem procura trabalho em países como o Canadá, França, Alemanha, Índia, Espanha, Reino Unido, entre outros.

6. Eures

Este Portal Europeu de Mobilidade Profissional, criado pela Comissão Europeia, disponibiliza um apoio muito completo e valioso a quem trabalha ou quer trabalhar num país da União Europeia. Dispõe de uma rede de mais de 850 conselheiros, que mantêm um contacto diário com candidatos a emprego e empregadores em toda a Europa.

Desempenha, particularmente, um papel importante na resolução de todo o tipo de problemas no domínio da mobilidade pendular transfronteiriça. É um site extremamente útil para recolher informações prévias à sua partida – como, por exemplo: em que países é aconselhável colocar uma fotografia no CV? Qual é o salário mínimo no país para onde quer emigrar?

7. Qbis

Se pretende ir para a Holanda ou Alemanha trabalhar nas áreas de logística, indústria alimentar, indústria metalúrgica, construção civil, tecnologias da informação ou agricultura, a Qbis é o sítio certo. Trata-se de uma empresa de recrutamento que ajuda os candidatos da Lituânia, Letónia, Roménia, Polónia e Portugal.

8. Carreiras internacionais

Criada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, desenvolvida pelo CIEJD – Centro de Informação Europeia Jacques Delors, esta rede dá acesso a oportunidades de emprego e estágio na União Europeia, no Conselho da Europa, na OCDE, nas Nações Unidas e na NATO.

Como são realizadas as candidaturas?

Optando por uma destas redes de procura de emprego, deverá remeter as candidaturas electronicamente, através de formulários, ou por email. Mesmo tratando-se de um modo rápido e fácil de enviar o seu currículo, é bom ter em mente que isso não é sinónimo de menor exigência na correção da sua candidatura.

Um email de candidatura bem elaborado deve ser breve e conciso, sem deixar de explicitar que está qualificado para a função a que se candidata e que pode ser uma mais-valia para a empresa.

Não se esqueça: crie um email “profissional” para a procura de emprego.

Veja também: