Publicidade:

16 truques para ensinar os filhos a poupar

Ensinar os filhos a poupar pode ser uma tarefa desafiante, mas também muito divertida. Aprenda 16 dicas que irão prender a atenção dos mais pequenos.

16 truques para ensinar os filhos a poupar
Faça com que a poupança seja uma atividade divertida

Ensinar os filhos a poupar é importante para o futuro deles, pois assim poderão usar o dinheiro economizado para abrirem uma conta poupança que lhes ajudará mais tarde a pagar os estudos, um carro ou uma casa.

Com os hábitos adquiridos também acabarão por gerir melhor o ordenado que receberem quando trabalharem. Aprenda algumas dicas para incentivá-los a amealhar dinheiro.

Como ensinar os filhos a poupar


1. Tenha uma abordagem divertida

ensinar os filhos a poupar

É importante ensinar os filhos a poupar de uma maneira divertida para conseguir cativar a atenção dos pequenos. Incentive-os a usarem um mealheiro e deixe-os escolhê-lo, pois será nele que irão guardar o dinheiro que vão recebendo.

Pode também jogar com eles jogos lúdicos relacionados com o tema, como o Monopólio, por exemplo, e contar-lhes ainda a famosa fábula infantil “A cigarra e a formiga”. Quanto mais os envolver nesta aprendizagem, melhor.

2. Explique que o dinheiro não cai do céu

As crianças devem entender que não é fácil obter dinheiro, pois para isso é necessário trabalhar. Explique-lhes que o dinheiro não cai do céu e que nem sempre é possível dar-lhes algo quando pedem, para que assim aceitem melhor um “não” e deem mais valor ao esforço que faz para lhes dar boas condições de vida.

3. Defina com eles um objetivo de poupança

ensinar os filhos a poupar

Torna-se mais atrativo para as crianças pouparem para um determinado objetivo, como comprarem algo que queiram muito, do que estarem a poupar sem saberem para quê. Defina com o seu filho um objetivo para essa poupança, podendo a criança querer usar as suas economias num brinquedo, num livro, numa consola ou numa viagem à Disneyland.

No entanto, deve explicar-lhe que estarão a poupar a longo prazo se decidirem optar por algo mais caro, como a viagem à Disneyland, o que leva mais tempo e paciência do que se optar pelo desejo de ter determinado brinquedo ou livro, algo mais facilmente realizável.

4. Use a estratégia de ter vários mealheiros

Se definirem diferentes objetivos de poupança, poderá ser útil o método de arranjarem um mealheiro para cada um desses objetivos. Um dos mealheiros pode servir para juntar dinheiro para adquirir um brinquedo, outro um livro e outro uma viagem à Disneyland, por exemplo.

As crianças podem ainda desenhar os objetos que desejam para colarem esses desenhos nos mealheiros correspondentes e, assim, recordarem para que serve cada um deles.

5. Um mealheiro transparente pode ser mais atrativo

Existem crianças que preferem mealheiros em forma de bonecos ou de animais, mas poderá ser mais estimulante para outras terem um mealheiro transparente, uma vez que este lhes permite verem a quantidade de dinheiro a aumentar em vez de terem de imaginar quantas moedas e notas estarão já lá inseridos. Pergunte aos seus filhos qual deles prefere.

6. Vão contando o dinheiro com regularidade

ensinar os filhos a poupar

Para que o processo de ensinar os filhos a poupar não se torne aborrecido para eles, é importante ajudá-los a irem contando as moedas que vão inserindo no mealheiro. Só desta forma poderão ver os frutos dos seus esforços enquanto economizam.

Esta contagem deve ser feita com alguma regularidade, podendo ocorrer sempre que colocarem mais dinheiro no mealheiro, por exemplo. Diga-lhes quanto ainda falta juntar para conseguirem atingir o objetivo estabelecido, se tiverem estabelecido algum, e incentive-os a não desistirem de alcançá-lo.

7. Compense-os de forma simbólica

ensinar os filhos a poupar

Além de ensinar os filhos a poupar, deve mostrar-lhes regularmente que os esforços deles dão frutos, podendo fazê-lo através de recompensas monetárias simbólicas.

Para que os pequenos percebam que custa ganhar dinheiro, atribua-lhes algumas tarefas domésticas, entre elas as de não deixar o quarto desarrumado, pôr a mesa e ajudar a levantá-la, por exemplo. Recompense-os depois com uma quantia simbólica, que terá como destino o mealheiro.

Desta forma, irão associar essas tarefas a um pagamento e aprenderão que não se ganha dinheiro sem trabalho. No entanto, tenha cuidado com a atribuição de tarefas, pois fazer os trabalhos de casa ou fazer a cama não são tarefas pelas quais devem ser recompensados, tendo de ser vistas como obrigações.

8. Dê-lhes uma mesada

ensinar os filhos a poupar

Se achar que o seu filho já tem idade para ter mesada (ou semanada, se preferir) e se tiver condições financeiras para lhe dar uma, pode aproveitar esta dica para ensiná-lo a ir gerindo o que recebe e deixá-lo tomar as suas próprias decisões para que se torne financeiramente responsável.

É importante que ele se lembre de não gastar o dinheiro todo para ir colocando algum no mealheiro, ou nos mealheiros, se tiver mais do que um.

9. Seja o exemplo

É contraproducente ensinar os filhos a poupar e, ao mesmo tempo, deixá-los verem o pai ou a mãe a serem consumistas, comprando várias coisas desnecessárias. Isto porque as crianças tendem a seguir o exemplo dos pais e é provável que também elas venham a ser consumistas.

Quando for às compras com eles, aproveite para lhes ensinar a definirem prioridades, separando o necessário do desnecessário, e pratiquem juntos o exercício de comparar os preços dos produtos, levando para casa os mais baratos, desde que tenham boa qualidade. Mostre-lhes o talão das compras e façam contas, inclusive a contagem do troco.

10. Ensine a importância de uma conta poupança

ensinar os filhos a poupar

Ao ensinar os filhos a poupar, não se esqueça que é fundamental explicar o que é uma conta poupança e o quão importante é criar uma para que o dinheiro nela inserido seja uma reserva para algum imprevisto ou compra necessária a longo prazo.

Se tem ou já teve uma conta poupança, pode contar-lhes a sua experiência, como por exemplo em que alturas já precisou de usar o dinheiro e de que coisas teve de abdicar para poupá-lo.

Assim, estará a transmitir-lhes hábitos de poupança e eles poderão ver em si um exemplo a seguir. Quando os seus filhos tiverem acumulado uma boa quantia, poderá ponderar se compensa criar-lhes uma conta poupança e, caso a resposta seja afirmativa, deverá levá-los ao banco para abrir conta com eles, de forma a serem integrados nesse processo.

11. Ensine-os a conhecer o mercado de consumo

ensinar os filhos a poupar

Antes de ensinar os seus filhos a poupar, é fundamental que os ajude a perceber como funciona a economia, qual a importância do dinheiro e que os alerte para algumas questões relacionadas com o consumismo e a publicidade, entre outras coisas.

É fundamental que os seus filhos estejam informados e tenham algumas noções de como funciona o mercado de consumo para depois conseguirem gerir melhor o dinheiro.

12. Dê-lhes responsabilidade

ensinar os filhos a poupar

Depois de ter ajudado os seus filhos a perceber melhor o mercado e o valor do dinheiro, é tempo de começar a responsabilizá-los. Mas de que forma é possível fazê-lo? É simples, siga os seguintes passos.

Ensine-os a gerir o próprio dinheiro: é fundamental que exista uma educação financeira desde cedo, mas só a partir de uma determinada idade é que a criança está apta a entender e a agir de forma a conseguir gerir o seu dinheiro. Nessa altura, combine um valor semanal ou mensal (uma semanada ou uma mesada) para que os seus filhos vão apreendendo a gerir o dinheiro num determinado espaço de tempo.

Dê-lhes objetivos: não há melhor forma de ensinar alguém a poupar do que traçando objetivos específicos, e com as crianças funciona da mesma maneira. Se incentivar os seus filhos a poupar para comprarem um brinquedo ou uma simples caixa de chocolates, vai fazer com que eles percebam que para atingirem o seu objetivo, poupar dinheiro é uma necessidade.

13. Esteja atento

Ensinar os seus filhos a poupar é uma tarefa desafiante, mas muito importante na educação. Dê-lhes liberdade para gerirem o dinheiro, mas fique vigilante.

Sempre que eles estiverem a agir bem, faça-os sentir isso, e vá acompanhando-os para que possa esclarecer dúvidas e dar-lhes conselhos quanto à melhor forma de agir face a decisões que possam enfrentar. É a melhor forma de os ajudar a ir pelo caminho certo.

14. Crie uma competição

ensinar os filhos a poupar

Quem é que nunca quis participar numa competição, apenas para obter uma sensação de vitória, de importância, e de satisfação? Ensinar os seus filhos a poupar pode envolver uma competição amigável, ou entre eles ou entre pais e filhos, desde que seja justa.

Como exemplo, o orçamento para fazer as compras para o jantar pode ser dividido, e quem conseguir arranjar o prato mais barato escolhe o que se come – prepare-se para enfrentar pratos bastante criativos.

Ao estimular uma competição está também a ajudar os seus filhos a associarem a diversão e a satisfação à poupança, e mesmo que um dia venham a ser milionários, provavelmente vão querer voltar a sentir a satisfação de poupar.

15. Fale abertamente sobre dinheiros com eles

ensinar os filhos a poupar

Pode não querer discutir o seu ordenado com os seus filhos, mas pode ser boa ideia falar com eles abertamente acerca da forma como poupa, como faz orçamentos e como faz com que seja possível a família ter a qualidade de vida que tem.

Pode até não ter estas conversas diretamente com os seus filhos, mas desde que eles entendam que o esforço é feito, reconhecem facilmente que a poupança é uma necessidade.

16. Deixe-os errar

É com os erros que se aprende. Inevitavelmente, os seus filhos vão cometer erros enquanto aprendem, e o melhor que pode fazer para ensinar os seus filhos a poupar enquanto eles erram, é ajudá-los a compreender o porquê de terem errado, e a perceberem que um caminho diferente teria sido mais benéfico. Enquanto são jovens, podem errar sem grandes preocupações.

4 regras importantes para ensinar os filhos a poupar


1. Entre no mundo infantil deles, e não o contrário

Se quer ensinar uma criança a poupar, tem mesmo de seguir a dica da abordagem divertida. O seu filho não irá ter paciência para uma aprendizagem monótona e cheia de conceitos económicos, pois não tem ainda idade para entender a realidade adulta.

Os pequenos só irão perceber os ensinamentos sobre dinheiro que lhes estão a ser transmitidos se isso for feito de uma forma prática e lúdica.

2. Não compre tudo o que o seu filho quer

É muito difícil incutir numa criança o conceito de poupança se ela recebe sempre com facilidade tudo aquilo que quer, pois não irá entender que existe um esforço por parte dos pais para a realização dessa compra.

O processo de ensinar os filhos a poupar também não ocorrerá com sucesso se o seu filho desistir de poupar para determinado objetivo que tenha estabelecido (compra de um brinquedo ou livro, por exemplo), e lhe der o que ele deseja. Dessa forma estará a recompensá-lo por ter desistido de um objetivo.

3. Explique que as marcas não têm importância

Não é bom habituar uma criança a usar sempre roupas de marca ou outros artigos de marca, como bens alimentares, por exemplo. Isso fará com que o seu filho olhe com “desprezo” para outros produtos, como os de marca branca, e gaste sempre mais dinheiro do que na verdade seria necessário. Assim será muito difícil que consiga poupar no futuro.

Os adultos são, muitas vezes, maus exemplos disso, querendo ter sempre roupa, telemóveis, automóveis e relógios da melhor marca possível, quando na verdade existem outras marcas que também valem a pena.

É importante explicar ao seu filho que ele não deve ceder à pressão social e ter medo de ser excluído de grupos na escola só por não usar o que essas pessoas consideram ter valor.

4. Não transmita a ideia do dinheiro ser o mais importante

Além de ensinar os filhos a poupar, transmita-lhes também que não serve de nada ter o dinheiro sempre guardado se não aproveitarem a vida. Por vezes, é importante usá-lo para lazer, pois experiências como viajar também enriquecem uma pessoa. Torne-os seres humanos financeiramente responsáveis mas sem que fiquem obcecados com o dinheiro.

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.