Publicidade:

Os 12 erros mais comuns a ser evitados no Curriculum Vitae

Num processo de seleção, o seu Curriculum Vitae, tal como o de outros, terá apenas uns minutos de atenção. Por isso, saiba quais os erros a evitar.

Os 12 erros mais comuns a ser evitados no Curriculum Vitae
Consiga o currículo perfeito

O Curriculum Vitae (CV) é uma ferramenta decisiva para encontrar emprego e, muitas vezes, grandes candidatos ficam pelo caminho por cometerem erros básicos. Habitualmente, a primeira vez que um recrutador olha para um currículo não perde muito tempo com essa tarefa. Só depois, numa segunda fase, é que vai ao pormenor, mas, entre essas duas fases, já muitos foram para o lixo.

Tentar causar uma primeira impressão forte pode ser excecionalmente difícil, mas não é uma missão impossível. Para isso, é determinante evitar erros e captar imediatamente a atenção de quem recruta. Reunimos uma lista dos erros mais comuns a evitar para que o seu currículo se destaque pela positiva. Continue a ler.

Curriculum Vitae: 12 erros comuns e como evitar


curriculum vitae

1. Apresentar erros ortográficos ou gramaticais

Pior primeira impressão que esta é impossível. Perante erros ortográficos e gramaticais, não parece plausível que um empregador vá confiar em alguém que envie o curriculum vitae com este tipo de erros. Uma imagem descuidada, falta de atenção ao detalhe e pouco preocupado vai ficar-lhe imediatamente associada.

Use um corretor ortográfico, mas lembre-se que nem sempre são detetados erros e que não é possível identificar o uso indevido de palavras. Peça a amigos para lerem e leia e releia o seu curriculum. A gramática pode ser ajustada lendo em voz alta: se não soar bem, provavelmente não estará correto.

2. Focar-se nos deveres e não nas conquistas

Destaque as conquistas e realizações profissionais, não mace o recrutador com uma descrição de funções e deveres. Pense em campanhas de sucesso, novos procedimentos, aumento de vendas e o valores específicos para os quais contribuiu nas suas funções atuais e anteriores. Nem todos os cargos tem dados mensuráveis, mas pense nas razões e exemplos que causaram impacto e o que poderá trazer para seu novo empregador.

3. Entregar um CV mal formatado

Apresentar um curriculum vitae mal formatado, com tipos e tamanhos de letra, por exemplo, excessivamente diversificados pode prejudicar a leitura. Se não é da área do design, o seu currículo não deve ser uma obra de arte. Usar fontes como Arial ou Times New Roman, num template limpo, é tudo o que precisa.

Se enviar por email, certifique-se de que é fácil de ler no ecrã e que está guardado num formato de ficheiro reconhecido e que pode ser aberto como um anexo de email, por exemplo, um documento do Word ou ficheiro PDF. Se for entregar o curriculum vitae em mão, tenha especial atenção à qualidade do papel e impressão.

4. Usar clichés

O uso de termos como “bom comunicador”, “atitude capaz” e “team player“, sem os fundamentar com fatos ou exemplos, acrescentará muito pouco valor ao seu currículo e quem o estiver a ler, vai descartá-lo imediatamente. Esqueça o uso do jargão e destaque as principais competências e alicerce-as com exemplos válidos para dar credibilidade ao seu currículo.

5. Incluir informação falsa ou incorreta

Datas que não coincidem e histórias estranhas, vão deixá-lo sem palavras se for apanhado pelo potencial empregador.

Também é preciso ter em atenção as informações pessoais incorretas, se se enganar a escrever o número de telefone ou endereço de email, não vai ser possível contactá-lo. Portanto, verifique tudo.

6. Ser demasiado curto

Não existe nenhum tamanho fixo para um curriculum vitae. Cada um teve o seu percurso profissional e académico e, por isso, diferentes experiências. No entanto, não apresente um curriculum demasiado curto, ocultando, ainda que sem intenção, informação essencial. Como linha orientadora use, no máximo, duas páginas.

7. Ser demasiado longo

Por outro lado, o seu currículo também não deve ser um romance. Se o empregador não estiver convencido depois de ler as duas primeiras páginas, não vai ser persuadido pelas próximas quatro. Mantenha-o conciso e lembre-se que menos é mais.

8. Colocar detalhes pessoais (irrelevantes) no início

É um erro muito comum. A primeira parte (cabeçalho) do currículo é muito importante, pois é o primeiro impacto para o recrutador. Desperdiçar esta oportunidade com detalhes irrelevantes como a data de nascimento, morada completa, número da carta de condução, do cartão de cidadão, etc., não é uma boa opção. Coloque, apenas, nome, cidade, contactos (telefone e email) e, eventualmente, um link para site pessoal ou perfil de Linkedin.

9. Não estar adaptado ao cargo

Adapte o seu curriculum vitae a cada cargo que está a concorrer. Embora alguns possam ser semelhantes, haverá algum foco diferente que deve destacar. Esse mesmo foco deve ser enfatizado no seu curriculum vitae. Liste competências, responsabilidades e realizações especificamente relacionadas com essa função. Evite a abordagem “tamanho único” e adapte-se para atender aos requisitos específicos.

Além disso, dar um nome ao seu ficheiro de CV como: “José Pereira – II.pdf” dá-lhe o tal carácter de demasiado genérico, mostrando que só muda a versão do ficheiro para cada cargo.

10. Utilizar longos parágrafos para descrever experiências anteriores

Em vez de usar longos parágrafos para descrever as suas experiências profissionais, sociais, académicas anteriores, opte por listas com bullet points, por exemplo, vai facilitar a leitura ao recrutador.

11. Apresentar “brancas” temporais

Os intervalos de emprego e desemprego podem ser vistos negativamente. No entanto, muitas vezes, esses podem ser períodos nos quais aprendeu e desenvolveu capacidades e competências importantes que podem ser usadas na função a que se está a candidatar.

Agrupar funções semelhantes sob títulos como “freelancer” ou “contrato de trabalho”, declarar frequência de formações ou períodos de viagem é muito melhor que manter espaços em branco. Deixar para o empregador adivinhar pode resultar em conclusões menos abonatórias e o seu currículo acabar, assim, na pilha de rejeição.

12. Incluir uma fotografia desadequada

Uma fotografia desadequada para ser inserida num curriculum vitae é, ainda, um dos erros mais comuns. Escolha uma fotografia com cariz profissional, pois é precisamente por isso que está a ser avaliado. Fotografias em ambientes informais ou excessivamente formais para o cargo, devem ser de todo evitadas.

Veja também:

Inês Silva Inês Silva

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior e com uma pós-graduação em Assessoria de Comunicação pela Escola Superior de Jornalismo do Porto, o seu percurso profissional foi sempre na área da comunicação com a criação dos mais diversos tipos de conteúdos.

Saiba tudo sobre emprego