Publicidade:

Escolher o carro certo: 7 pormenores importantes

Escolher o carro certo é fundamental. É uma decisão que não tem impacto apenas no momento em que o compra, mas durante todo o tempo que o mantiver.

Escolher o carro certo: 7 pormenores importantes
O carro mais giro pode não ser o mais indicado

Há vários factores a ter em consideração no momento de comprar um carro. Para que não lhe escape nada importante, destacamos algumas coisas a que deve prestar especial atenção para escolher o carro certo.

7 dicas para escolher o carro certo

escolher-o-carro-certo

Toda a gente quer ter um carro bonito. Mas, em primeiro lugar, temos que ser práticos e pensar nos nossos objetivos, no nosso orçamento (para comprar e manter a viatura), entre outros pormenores que, se ignorarmos na fase da compra, nos podem vir a trazer problemas no futuro. Por isso, foque-se nas questões que vamos enumerar antes de pensar na estética.

1. Pagar o carro

Antes de se atirar de cabeça para a compra de um carro cheio de pormenores tecnológicos e muito moderno, olhe bem para a sua conta bancária e perceba se o consegue pagar. Caso o pretenda pagar às prestações, lembre-se das suas despesas mensais e pense no valor que sobra, para confirmar se ainda resta dinheiro suficiente para mais uma prestação.

Lembre-se das dificuldades em encontrar emprego, por isso também deve ter em consideração a duração do seu contrato e qual a probabilidade de que este seja renovado, caso esteja previsto ter de pagar prestações do carro por um período prolongado.

Se a sua poupança ou o seu rendimento mensal não permitem extravagâncias, não descarte a hipótese de comprar um carro seminovo ou usado e, se possível, certificado.

Confirme também que vai pagar o preço justo pelo carro e não um valor inflacionado.

2. Manter o carro

Algumas pessoas, especialmente quem nunca teve um carro, por vezes pensam no valor que um carro custa, mas esquecem-se de fazer as contas ao valor que se vai gastar anual e mensalmente com o mesmo. É preciso fazer contas ao combustível, às inspeções, às revisões, ao seguro, às portagens (para quem faz percursos maiores ou, simplesmente, não evita esta despesa), sem falar dos imprevistos.

Não se esqueça de fazer uma simulação de quanto pode gastar e se tem a possibilidade de arcar com essa despesa.

O tipo de combustível irá dizer muito sobre o valor que vai gastar no dia a dia, por isso quando comparar carros com preços diferentes pense também neste pormenor. Às vezes pode estar a comprar um carro mais barato, mas a médio ou longo prazo acabar por gastar mais dinheiro do que se tivesse comprado um carro mais económico.

3. O que precisa

Por muito que gostemos de carros com um certo estilo ou características, será despropositado comprar um 4X4 se só andamos na cidade. Escolher o carro certo passa por avaliar o tipo de uso que lhe vai dar, por que sítios vai conduzir maioritariamente, em que tipo de estradas, e procurar um carro que tenha melhor desempenho nesse tipo de ambiente.

Pense também em pormenores como o tamanho da mala, o número de lugares e todos os outros pormenores que sejam relevantes, de acordo com o seu perfil e tipo de utilização que dará ao carro.

4. Informe-se

Se o carro for usado, recolha todas as informações possíveis. Se não perceber muito sobre o assunto, faça-se acompanhar por alguém da sua confiança que saiba aconselhá-lo.

Pergunte por que motivo o dono está a vender o carro e certifique-se de que todas as reparações necessárias foram feitas.

5. Test drive

Não há nada como conduzir o carro que pretende comprar. É importante perceber como se sente a conduzir a viatura que tem em vista, porque pequenos pormenores podem fazer a diferença. E desta forma também poderá testar a capacidade e potência do carro.

O ideal é que conduza nas condições em que, por norma, pretende usar o carro. Teste a caixa de velocidades, os travões, a suspensão e, claro, o conforto.

Para ser perfeito e ter mesmo a certeza de estar a escolher o carro certo, leve um mecânico da sua confiança ao test drive, para que este lhe dê a sua opinião, caso o carro seja usado.

6. Pense bem

Não tome uma decisão no primeiro dia em que vir o carro. Vá para casa pensar, troque ideias com outras pessoas e pondere pós e contras. Se sentir muita pressa por parte do vendedor, desconfie.

Dizem que a almofada é boa conselheira e não é mentira. Dormir sobre o assunto dá-nos tempo para refletir sobre questões que no momento podem não nos ocorrer ou para nos apercebermos de alguma coisa que na altura nos tenha escapado, por isso não tenha pressa.

7. Preocupações ambientais

Para algumas pessoas, escolher o carro certo passa por optar por uma viatura que não seja tão poluente. Se assim for, talvez deva dar preferência a um elétrico ou a um híbrido, de forma a reduzir a pegada ecológica.

Para além de todos os critérios que mencionámos, para escolher o carro certo, sugerimos ainda que fale com alguém que perceba de carros, que tenha experiência de condução e, idealmente, que tenha ou já tenha tido o carro que está a pensar comprar. Estas serão as pessoas que melhor o poderão ajudar, dando-lhe uma opinião com conhecimento de causa.

Veja também: