Publicidade:

Estabilizador de corrente: é seguro usar nos seus aparelhos eletrónicos?

Sabia que a principal função do estabilizador de corrente é proteger os seus equipamentos eletrónicos? Ele normaliza possíveis alterações de tensão.

Estabilizador de corrente: é seguro usar nos seus aparelhos eletrónicos?
Como funciona o estabilizador de corrente?

O estabilizador de corrente nada mais é que um equipamento criado para dar proteção aos seus aparelhos eletrónicos. Ele atua para combater possíveis variação na tensão – como as quedas de energia, que podem prejudicar a TV, a consola de videojogos, etc. Mas, será que realmente funciona? Vale a pena investir em alguns desses aparelhos? Saiba tudo neste artigo.

Falhas de energia e os estabilizadores de corrente


estabilizador de corrente

As redes elétricas, por mais distintas que sejam, estão todas suscetíveis a problemas que gostaria de evitar e que podem mesmo chegar a danificar os seus aparelhos eletrónicos – são, por exemplo, as famosas variações de tensão e as temidas quedas de energia.

Quando há problemas na rede elétrica, é bastante comum que existam alguns prejuízos materiais – a queima de aparelhos eletrónicos é um dos exemplos, bem como a perda de diversos alimentos perecíveis que estavam guardados no frigorífico. Quem não gostaria de ter a casa à prova destes inconvenientes? Para evitar que perca dinheiro em situações deste tipo, foram criados gadgets capazes de limpar, manter e estabilizar a energia que a sua casa recebe. O estabilizador de corrente é um dos exemplos deste tipo de equipamento.

Estabilizador de corrente: como funciona?


Os estabilizadores são pequenos aparelhos que, geralmente, integram uma chave que seleciona a tensão da rede elétrica, um fusível protetor, fichas de saída (para ligar e desligar os seus aparelhos) e mais uma chave que liga e desliga o próprio aparelho. Alguns modelos contam ainda com proteção da sua rede telefónica.

O que se espera destes aparelhos é que sejam, basicamente, capazes de controlar a tensão elétrica recebida através da rede, nivelando a voltagem e atuando para que qualquer descarga de energia não afete os aparelhos que tem em casa.

Como? No exato momento em que existe um aumento repentino – uma descarga – da tensão energética, os estabilizadores entram em ação para regular a energia distribuída por cada um dos aparelhos ligados. Quando a situação é inversa – ou seja, há uma queda na tensão -, os estabilizadores aumentam a carga energética e impedem que os eletrónicos se desliguem.

Em casos de necessidade, o próprio estabilizador “queima” para salvar o aparelho eletrónico que está sob a sua proteção. O responsável por este seu super poder é um pequeno fusível de proteção que entra em curto-circuito quando há situações de instabilidade na rede elétrica. O fusível, portanto, corta o fornecimento da energia, impedindo que quaisquer variações na voltagem elétrica sejam capazes de alcançar e prejudicar os seus aparelhos eletrónicos.

Posso confiar no estabilizador de corrente?

Será que o estabilizador de corrente é, de facto, eficiente? Atualmente, a sua utilidade tem mesmo sido questionada e há várias razões para tantas dúvidas. Tem sido comum ver algumas recomendações contra o não uso de um estabilizador para a proteger equipamentos de valor – principalmente os que têm fontes, como as consolas de videojogos.

A título de exemplo, a gigante Microsoft é uma das empresas que desaconselha o uso de estabilizadores. No site oficial, podemos ler que a empresa aconselha que os seus produtos sejam ligados diretamente à ficha, na parede. Como alerta, a Microsoft avisa que a fonte de alimentação dos seus equipamentos podem não funcionar da melhor forma se estiverem conectadas aos cabos de extensão e aos estabilizadores de corrente.

Também o tempo de resposta dos estabilizadores deixa a desejar – os 8,3 milissegundos ainda representam um período demasiado longo respostas às falhas na rede elétrica e isso pode significar a perda de aparelhos mais delicados. Especialistas no assunto chegaram mesmo a afirmar que a utilização dos estabilizadores pode danificar fontes de computadores, por exemplo.

TV LCD e LED: sabe qual escolher? Veja as nossas dicas >>

O estabilizador de corrente é realmente necessário?

O estabilizador foi criado em meados dos anos 40 para regular a tensão dos aparelhos que funcionavam com válvulas – eram os primeiros frigoríficos e as primeiras televisões do mercado que, eram diferentes dos aparelhos eletrónicos atuais, e não contavam com transistores.

Hoje, além de termos à disposição a tecnologia dos transistores, outras novas ferramentas abalam a credibilidade e a confiança que antes víamos nos estabilizadores de corrente. Os equipamentos modernos, por exemplo, já têm fontes de alimentação capazes de atuar automaticamente em diferentes redes – de 12o V a 220 V, por exemplo – e isso já é motivo suficiente para que os estabilizadores não sejam tão necessários. Os novos computadores e as novas consolas de jogos são bons exemplos de aparelhos que dispensam a utilização de qualquer estabilizador.

Como os aparelhos mais modernos têm mais recursos de proteção – uma exigência do mercado para evitar os problemas de tensão e dispensar o uso de estabilizadores -, hoje temos os nobreaks (offline e online) e os filtros de linha. Estes equipamentos mais recentes e de boa qualidade resolvem a maior parte dos problemas provocados pela instabilidade de qualquer rede elétrica. O resultado? Dispensam o estabilizador de corrente.

Conheça as vantagens de usar as lâmpadas LED >>

Nobreaks (offline e online) e filtros de linha: qual usar?

Os nobreaks offline, provavelmente, são ideais para se ter em casa, enquanto que os nobreaks online acabam por servir para estabelecimentos comerciais ou industriais, escritórios, servidores e hospitais.

O problema? Os nobreaks ainda são muito caros – especialmente os do tipo online. Isso é o que torna mais fácil e comum a escolha dos filtros de linha, que são eficientes e mais baratos.

13 aparelhos domésticos que gastam muita energia, mesmo quando não os usa >>

Usar ou não o estabilizador de corrente?

Como já vimos e diante das muitas questões que se colocam a sua eficiência, o melhor será não usar o estabilizador de corrente para proteger equipamentos de maior valor ou com tecnologia mais avançada. Para esta função, o melhor será escolher usar nobreaks e filtros de linha.

Para aparelhos de menor valor ou mais antigos (rádios, candeeiros, equipamentos de som) aconselhamos a utilização de um estabilizador de corrente – desde que os aparelhos em causa não tenham fontes. Uma das vantagens dos estabilizadores é funcionar, também, como extensores das fichas e oferecerem energia a mais de um equipamento ao mesmo tempo, sem qualquer risco de curto-circuito.

Veja também:

Luana Freire Luana Freire

Estudou Jornalismo e Assessoria de Imprensa no Brasil, transferindo a paixão, bagagens e coração para o Porto, onde estudou Ciências da Comunicação na UP. Mãe, simpatizante do feminismo, devoradora de novidades, louca por viagens, boa música, boa conversa e boa comida. Mulher das letras, é adepta da escrita criativa e acredita que a palavra, com todas as suas máscaras e possibilidades, é infinita e capaz de mudar o mundo de quem a lê, ouve, toca, espalha e constrói.

Limpeza e Arrumação