Publicidade:

Etiqueta no trabalho: 9 dicas aplicáveis a qualquer profissão

Para uma vida profissional em harmonia, devemos seguir algumas normas de etiqueta no trabalho. Vamos conhecer algumas que são incontornáveis.

Etiqueta no trabalho: 9 dicas aplicáveis a qualquer profissão
As 9 regras de etiqueta no trabalho transversais a todas as áreas profissionais

Para viver harmoniosamente em todas as áreas da vida é importante o equilíbrio entre a liberdade individual e a liberdade dos outros. Na vida profissional, este princípio mantém-se: a regras de etiqueta no trabalho devem ser sempre consideradas. E fazê-lo pode mesmo ser favorável ao seu progresso profissional.

9 regras de etiqueta no trabalho transversais a todas as áreas


Como pessoas, somos todos diferentes. No entanto, para vivermos confortáveis, felizes e em harmonia em sociedade temos que nos adaptar e cumprir várias normas. O mesmo sucede no trabalho.

A etiqueta no trabalho é um código de conduta próprio instituído entre os trabalhadores de um mesmo setor de atividade, empresa ou profissão. Mesmo sem tomarem consciência de que existe de facto um código de conduta no meio onde desenvolvem a sua atividade profissional, muitos trabalhadores apropriam-se dele simplesmente por intermédio do contacto pessoal e profissional no dia a dia.

20 dicas de etiqueta para uma entrevista de emprego

Mais etiqueta no trabalho = mais integração = mais felicidade!

Quando as regras de etiqueta profissional são bem aplicadas, aumenta o grau de satisfação e conforto sentido pelos trabalhadores; na verdade, tudo flui melhor: desde as tarefas e obrigações próprias do trabalho até à relação entre as pessoas.

Um código de conduta é composto por um conjunto de comportamentos “esperados” ou “expectáveis” por parte dos trabalhadores do mesmo setor ou profissão. São esses comportamentos que, ao serem aplicados no contexto profissional, impedem que os trabalhadores se sintam frequentemente ofendidos ou embaraçados com as ações e palavras dos seus colegas e superiores, ou consigo próprios.

As regras de etiqueta no trabalho nunca são verbalizadas ou redigidas

O código de conduta vigente em cada empresa é assumido, como já vimos, de forma tácita por todos e cada um dos colaboradores. O seu processo de integração e “aculturação” implica, precisamente, o ajuste dos comportamentos e atitudes ao que é valorizado na empresa.

Daqui decorre que, na maioria das vezes, as regras de etiqueta no trabalho são comunicadas e aprendidas informalmente, sem que as mesmas se encontrem expressas por escrito. Se muitas empresas possuem um regulamento interno, raras são aquelas que expressam num documento escrito as suas regras de etiqueta no trabalho.

dress code como sinal visível de entendimento das regras da empresa

E então, por exemplo, as empresas poderão não verbalizar ou escrever de que forma devem vestir-se os colaboradores. No entanto, é altamente provável que estes se apercebam da existência de um dress code e da importância de o respeitar.

O primeiro momento em que se tem esta perceção é, muitas vezes, a entrevista de emprego. Já reparou como é tão valorizada a boa apresentação do candidato no momento da entrevista? Esta valorização da boa aparência deve-se ao facto de o entrevistador querer confirmar, na entrevista, que o candidato está pronto para aceitar o dress code e restantes regras de etiqueta vigentes na sua empresa.

O facto de um profissional se vestir de forma adequada ao seu trabalho é uma forma de demonstrar que compreende e respeita o código de conduta. Imaginemos um trabalhador de uma empresa do setor bancário que aparece no escritório de fato de treino, quando todos os seus colegas se vestem de fato e gravata – esse trabalhador não cumpriu as normas de etiqueta no trabalho, mesmo que estas não estejam realmente escritas em lado nenhum, ou mesmo que não tenham sido discutidas verbalmente.

Apenas o facto de todos se vestirem de fato no local de trabalho é indicador da existência de uma regra de etiqueta no trabalho já instituída e que é importante não apenas para os colegas e superiores, mas para alguém mais importante do que estes – o cliente.

Quebrar regras de etiqueta no trabalho – sim ou não?

Então se a etiqueta de trabalho nunca é discutida nem surge escrita em lado nenhum, quais as consequências para o trabalhador que não cumpre ou não se ajusta? Num caso destes, normalmente, as consequências serão sentidas, mas de forma indireta.

Em maior ou menor grau, a sua reputação perante os colegas, superiores e clientes deverá sofrer algum tipo de penalização, mesmo que ninguém fale do assunto. Em último caso, poderá mesmo ser reprimido disciplinarmente pelo superior.

As incontornáveis regras de etiqueta no trabalho

1. Prestar atenção à forma como apresentamos o nosso nome e o nome dos outros

Quando nos apresentamos a outras pessoas no contexto de trabalho devemos, antes de tudo, ser coerentes. Não se apresente com o seu nome completo, mas também não diga só o nome próprio.

O primeiro nome e o último deverão identificá-lo perante os colegas, superiores, fornecedores e clientes. Quando apresentar um colega numa reunião, por exemplo, use o mesmo critério. Não diga apenas “Este é o João”, mas sim, “O meu colega João Cerqueira acompanha-me nesta reunião”. Evite nomes ou apelidos difíceis de pronunciar e, se na sua empresa for valorizado o título profissional (Doutor, Engenheiro, Arquiteto), use-o, mesmo que não concorde.

2. Causar uma boa primeira impressão

As pessoas muitas vezes formam impressões sobre os outros numa questão de segundos, por isso é importante garantir que se apresente de forma profissional, e, mais uma vez, coerente. Se receber alguém enquanto está sentado, levante-se.

Esteja consciente e atento à sua linguagem corporal e a como os outros podem percebê-lo. É sempre boa ideia ficar em pé, manter contacto visual e sorrir! Esteja atento ao código de vestuário no local de trabalho e vista-se de acordo com o mesmo.

3. Não agradeça de forma exagerada, durante uma conversa

Há pessoas que durante uma conversa dizem “obrigado”  demasiadas vezes, talvez porque queiram transmitir a ideia de que são pessoas humildes. Mas dizê-lo repetidamente pode transmitir insegurança. Agradecer duas vezes durante uma conversa será o suficiente para passar a mensagem, de forma a não causar uma má impressão.

4. Cumprimente toda a gente e trate todos de forma igual

Tenha atenção em cumprimentar não só quem já conhece mas também quem ainda não conhece.

5. Mantenha o telemóvel desligado em reuniões

Não leve consigo o telemóvel para uma reunião, ou então deixe-o no bolso e desligado. Mesmo que esteja em silêncio, poderá vibrar e mesmo assim quebrar uma conversa, ou no mínimo, distrair a sua atenção. Enquanto trabalha, certifique-se de que o não usa um toque de telemóvel muito alto ou estridente, de forma a que não irrite os colegas.

dress code

6. Ter boas maneiras

Seja diplomata. Por muito mal que o seu dia esteja a correr, não se esqueça de dizer “obrigado” e “por favor” sempre que se justificar. Ser gentil e prestável mostra que quer saber dos outros, e espera o mesmo tratamento em relação a si.

7. Não aponte o dedo diretamente a alguém, muito menos em forma de acusação

Esta é uma forma não verbal de demonstrar agressividade, embora nem sempre seja assim. Mesmo que a sua intenção ao apontar o dedo não seja a de mostrar agressividade, a outra pessoa poderá interpretar como tal.

Conheça 8 regras de etiqueta para profissionais nas redes sociais >>

8. Se convocar um almoço de negócios, lembre-se que lhe ficará bem ser você a pagar a conta

Não é uma regra, mas cai sempre bem. Se formos nós a convidar, apenas deveremos deixar que seja ao outro a pagar a parte dele se ele insistir. A situação normal é que quem convida, deve tomar a iniciativa de pagar a conta.

Ao fazê-lo, especialmente se se tratar de um almoço de negócios que se irá repetir mais vezes, estamos também de uma forma subtil a introduzir uma regra de etiqueta – da próxima vez será a outra pessoa a pagar a conta.

9. Use uma linguagem cuidada quando escreve

A linguagem deve ser sempre cuidada, mesmo nas conversas mais informais. Mas é ainda mais importante o rigor na linguagem quando escreve um email ou uma comunicação institucional da empresa. Os erros ortográficos e gramaticais são proibidos, mas cuidar do texto é muito mais que isso. Cumprimente e despeça-se no início e no fim da mensagem, respetivamente, use frases curtas e num tom claro e educado.

Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.

Saiba tudo sobre emprego