Publicidade:

8 exercícios para a memória que vão fortalecer o seu cérebro

Os exercícios para a memória são tão importantes para o cérebro como a prática de atividade física. Conheça as nossas dicas.

8 exercícios para a memória que vão fortalecer o seu cérebro
Manter-se ativo é essencial

Não é só o corpo que precisa de exercício, a ciência já provou que exercitar a mente contribui também para a saúde mental e o bem-estar. Embora a atividade física seja igualmente importante, exercícios mentais simples podem ajudar a manter o cérebro ativo e a melhorar a memória à medida que envelhecemos. Fique a conhecer alguns exercícios para a memória.

À medida que envelhecemos, não perdemos apenas massa muscular, a capacidade de regeneração das células cerebrais também diminui devido ao envelhecimento. Mas, tal como os exercícios físicos ajudam a manter os músculos, seguir um estilo de vida saudável e fazer exercícios mentais regularmente e direcionados também pode aumentar a reserva cognitiva do cérebro.

Manter o cérebro saudável e ativo


Vários estudos já referiram a ligação entre o estilo de vida e o risco de demência, descobrindo que as pessoas ao adotar comportamentos saudáveis, reduzem significativamente o risco de demência.

Um estudo, publicado no PLOS ONE, em 2013, analisou 2.235 homens durante 30 anos e mediu a sua participação em cinco comportamentos de estilo de vida saudável: não fumadores, Índice de Massa Corporal ótimo, alta ingestão de frutas e vegetais, atividade física regular e baixo consumo de álcool. Os participantes do estudo que seguiram quatro ou todos os cinco comportamentos, registaram menos de 60% de risco de desenvolver problemas cognitivos e demência.

Além de uma boa nutrição, atividade física regular para promover a saúde vascular e ajudar a proteger o tecido cerebral, é essencial manter também o cérebro ativo e aprender coisas novas. As atividades sedentárias e relativamente passivas, como estar sentado em frente à televisão durante horas, podem prejudicar a saúde do cérebro com o passar do tempo.

Tipos de memória: curto prazo e longo prazo


A memória que utilizamos no dia-a-dia é, na verdade, a memória de longo prazo, mas também há importantes processos de memória sensorial e de curto prazo que devem ser trabalhados para que a memória de longo prazo possa ser estabelecida.

Estes dois tipos de memória têm o seu modo particular de atuação, no entanto cooperam no processo de memorização.

A memória de curto prazo guarda as informações mais imediatas e a de longo prazo armazena as informações mais relevantes que foram acontecendo ao longo da vida.

A de curto prazo é a mais afetada com o avançar da idade e, por isso, é aquela que deve ser trabalhada com regularidade para que sejam evitados os episódios de falha de memória.

8 exercícios para a memória que funcionam


Sem gastar dinheiro, é possível treinar a memória recorrendo apenas às atividades diárias. Pode, por exemplo, regressar a casa por um caminho diferente ou lavar os dentes com a mão oposta. Outra forma de exercícios para o cérebro são os jogos de palavras ou outros jogos simples, nomeadamente Sudoku, palavras cruzadas ou descobrir as diferenças entre duas imagens aparentemente iguais.

Perda de memória: esquecimento normal ou patológico?

1. Teste a sua memória

Faça a lista de compras e memorize-a. Cerca de uma hora depois, veja de quantos itens se consegue lembrar. A lista também pode ser, por exemplo, de palavras novas. Vá aumentando o desafio para continuar a estimular a atividade cerebral.

Tipos de demência: causas, manifestações e tratamentos >>

2. Tenha aulas de música

Aprenda a tocar um instrumento ou junte-se a um grupo coral. Aprender algo novo e complexo é ideal para ativar o seu cérebro.

3. Faça contas de cabeça

Não recorra ao papel e caneta ou ao telemóvel. Mentalmente, encontre a solução para os problemas matemáticos diários.

4. Faça um workshop de culinária internacional

Aprenda a cozinhar comida típicas de outros países, cozinhar implica o uso de vários sentidos – olfato, tato, visão e paladar – que envolvem diferentes partes do cérebro.

Falsas memórias: descubra aquilo de que se lembra é real ou ilusão >> 

5. Aprenda uma língua estrangeira

A leitura e a audição estimulam o cérebro e, além disso, um vocabulário rico é também associado a um risco reduzido de declínio cognitivo.

6. Crie associações de palavras

Visualize a grafia de uma palavra, depois tente pensar noutras palavras que comecem ou terminem com as mesmas duas letras, por exemplo.

7. Desenhe um mapa a partir da memória

Depois de visitar um novo local, ao chegar a casa, tente desenhar um mapa da área que visitou.

Como melhorar a memória em 9 passos >>

8. Desafie o seu paladar

Ao comer, tente identificar os ingredientes individuais na sua refeição, incluindo ervas e outras especiarias mais difíceis.

Vantagens que não deve esquecer

Agora que já conhece alguns exercícios para a memória, saiba que os benefícios de treinar o cérebro são muitos. Ao colocar em prática estas dicas, não só vai melhorar a memória como também vai melhorar a sua capacidade de visualização, a concentração e a capacidade de observação.

Lembre-se ainda que é essencial manter um estilo de vida saudável para manter o cérebro funcional, apostando na prática regular de exercício aliada a uma alimentação saudável. Consuma alimentos ricos em magnésio, vitamina E, ácido fólico, vitamina B12 e ómega 3, os nutrientes essenciais para melhorar a memória e que podem ser encontrados nos grãos, frutas e peixes.

Veja também:

Inês Silva Inês Silva

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior e com uma pós-graduação em Assessoria de Comunicação pela Escola Superior de Jornalismo do Porto, o seu percurso profissional foi sempre na área da comunicação com a criação dos mais diversos tipos de conteúdos.