Publicidade:

A não perder: Escher e Banksy na Alfândega do Porto

As exposições de Escher e Banksy na Alfândega do Porto permitem conhecer de perto algumas obras de dois originais talentos internacionais.

A não perder: Escher e Banksy na Alfândega do Porto
Arte urbana e ilusões de ótica na Alfândega

A Invicta acolhe, neste momento, duas exposições que asseguram pela sua qualidade inúmeros visitantes. Explorar as exposições de Escher e Banksy na Alfândega do Porto é testemunhar o génio, a criatividade e a rutura artística que agradam a qualquer geração.

A obra de ambos os artistas é muito distinta entre si, mas em comum têm a enorme curiosidade e o profundo interesse que ambos os artistas suscitam no público, pois os dois contribuíram de forma indelével para dilatar os limites da arte.

Enquanto Banksy é um artista urbano com um sentido crítico apurado e um ativismo político corrosivo, Escher foi um inovador pelos recorrentes desafios visuais que explorou. A geometria, a ilusão de ótica e a realidade impossível adquirem na arte de Escher um protagonismo bem distinto do que foi proporcionado por qualquer outro artista.

Exposições de Escher e Banksy na Alfândega do Porto: genialidade


O Centro de Congressos da Alfândega do Porto tem uma reputação internacional inatacável que muito deve orgulhar o país, recebendo frequentemente prémios como o Business Destinations Travel Awards (2014, 2015 e 2017!). Ao longo dos anos, tem oferecido inúmeras exposições de elevada qualidade não só aos portuenses, mas aos portugueses e aos turistas que procuram as suas instalações.

O edifício histórico foi recuperado pelo arquiteto Souto de Moura (personalidade que já recebeu o Prémio Pritzker, em 2011, e o Leão de Ouro da Bienal de Veneza, em 2018) e está localizado bem no centro histórico do Porto, na margem do rio Douro. Os 36.000 m² de área útil, com um total de 22 espaços multifuncionais, asseguram condições invejáveis. Neste espaço, os congressos podem atingir as 3000 pessoas e as exposições podem ter à sua disposição 10.000 m².

Por tudo isto, é fácil perceber por que não pode mesmo perder as exposições de Escher e Banksy na Alfândega do Porto.

Exposição Escher (28.02 a 28.07)


Maurits Cornelis Escher (1898-1972) ou, simplesmente, M.C. Escher foi um dos mais arrojados e criativos artistas mundiais. As suas ilusões de ótica e construções impossíveis deixam-nos, normalmente, boquiabertos. O Centro de Congressos da Alfândega do Porto recebe uma exposição que tem conhecido enorme sucesso nos Estados Unidos da América e, também, em inúmeras cidades da Europa.

Em cooperação com a Fundação Escher e a Arthemisia, esta exposição que chegou à Invicta tem a curadoria de Mark Valdhuisen e do especialista Frederico Guidiceandrea. São 135 as obras do génio holandês que estão em exposição, entre elas as memoráveis “Mão com esfera refletora” (1935), “Olho” (1946), “Três mundos” e “Casca”(1955) ou “Laço de união” (1956).

 

 

View this post on Instagram

 

A post shared by ESCHER Porto (@escherporto) on

Horários das visitas
Todos os dias: das 10h às 20h

Preço dos bilhetes
Entre os 4€ e os 13€. (Pode comprar online, aqui)
Reservas e pedidos de grupo: [email protected] | +351 915 305 751

Banksy’s Dismaland and Others (19.01 a 31.03)


Mas quem é Banksy? Poucos conhecerão a verdadeira identidade do artista, que tem permanecido um autêntico mistério. O que só intensifica a curiosidade pela extensa obra deste criativo urbano.

Trata-se de um artista de rua que possui obras em inúmeros pontos do globo. Grafiti, stencil, ativismo político são palavras relacionáveis com a sua arte que fazem perceber que mais do que ser apenas um artista genial, é um transformador (e revolucionário) da arte e da sociedade. Expoente máximo da arte urbana mundial, este brilhante artista tem entre as suas obras mais emblemáticas “Girl With a Baloon”, “O leilão e a autodestruição” (no qual, uma obra “autodestruiu-se”, imediatamente após ser vendida em leilão), “Kissing Coppers” (onde dois polícias estão a beijar-se) ou “Soldier throwing flowers” (no qual um soldado atira flores em vez de uma granada).

A exposição tem o nome “Banksy´s Dismaland and Others by Barry Cawston” e revela um pouco do percurso do artista que tem já mais de 25 anos de carreira, sendo que é a primeira vez que Banksy tem uma exposição em solo nacional. No total, são 44 fotografias de grande dimensão. Entre as obras presentes estão “Walled Off Hotel” (2017) ou “Flower Thrower” (2005), mas também imagens do parque temático “Dismaland” (2015), que satiriza os parques da Disney, com todo o seu universo e respetivo império.

As fotografias de Barry Cawston não são o único atrativo desta exposição, que conta também com uma série de trabalhos de artistas portugueses que, sendo jovens, aproveitam a oportunidade para construir o seu nome na arte urbana.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Banksy (@banksy) on

Horários das visitas
Segunda a sexta-feira: das 10h às 19h
Fins de semana e feriados: das 10h às 19h
Terças-feiras: encerrado

Preços dos bilhetes
Adultos (>12): 11€
Crianças (5 aos 11 anos): 6€ (crianças até aos 4 anos: grátis)
Pack família (2 adultos + 2 crianças entre os 5 e 12 anos): 28€

Reservas e pedidos de grupo: [email protected]
Compre os seus bilhetes, aqui.

Para além destas exposições de Escher e Banksy na Alfândega do Porto, há muito mais para explorar e acompanhar na programação prevista para 2019.

Saiba mais informações sobre a agenda do espaço, aqui.