Publicidade:

Fale-nos das suas qualidades: como responder a esta questão

“Fale-nos das suas qualidades” é uma das interpelações mais comuns em entrevistas de seleção. Sabe como responder?

Fale-nos das suas qualidades: como responder a esta questão
A questão "fale-nos das suas qualidades" não deve ser desvalorizada

Sabe qual é a melhor forma de responder à afirmação “fale-nos das suas qualidades” numa entrevista de emprego? Esta questão pode fazê-lo brilhar, é certo. Todavia, se não estiver preparado para responder, poderá também prejudicar as suas hipóteses de conseguir ser o candidato escolhido para a oferta em causa.

Em entrevistas de emprego, por vezes, é às questões aparentemente mais básicas que os recrutadores dão a maior importância – e isto é algo que muitas vezes passa ao lado de quem é entrevistado.

Embora apareça no meio de tantas outras questões, “fale-nos das suas qualidades” é normalmente uma pergunta mais difícil de responder do que se pensa. A verdade é que uma resposta convincente pode fazer a diferença para o resultado final de uma entrevista de emprego.

Fale-nos das suas qualidades: uma “questão” desvalorizada?


entrevista

Uma das razões pelas quais se desvaloriza esta pergunta reside no facto de o candidato entender que já está indiretamente respondida no seu currículo ou na carta de apresentação. Mas cuidado: dar como garantido que não é necessário responder de forma convincente e completa a uma questão, porque a resposta surge no material de candidatura, é cair numa ratoeira!

Porquê? Em primeiro lugar, porque nada nos garante que o recrutador já tenha lido o currículo, e mesmo que o tenha feito, é perfeitamente natural que já não estejam presentes na sua memória as principais qualidades do candidato, especialmente tendo em conta que terá de passar os olhos por dezenas ou centenas de outras candidaturas.

Por muito que esteja tudo bem redigido na folha de apresentação, nada funciona melhor do que ouvi-lo da sua boca, pelas suas próprias palavras.

Outra razão que leva as pessoas a descurar investir numa boa resposta a esta questão é o facto de ela ser de índole sensível – ou seja, tem o condão de mexer com os nossos sentimentos.

Muitas pessoas acabam por não responder de forma completa e convincente, porque ficam facilmente emotivas. Ou seja, falar de nós próprios nem sempre é fácil! E mesmo quando temos bem a noção do nosso valor, nem sempre o conseguimos colocar em palavras.

O que pretendem saber os recrutadores com esta questão?

A principal razão pela qual os entrevistadores fazem essa pergunta é para identificar se as qualidades mais fortes vão de encontro dos valores da empresa e das responsabilidades inerentes ao trabalho. A resposta a esta pergunta é um bom indicador do grau de autoconfiança do candidato, o que geralmente é considerado um aspeto importante para o bom desempenho profissional.

Como responder de forma adequada?


entrevista

Para não ser apanhado desprevenido ou achar que sabe como responder, atente à possível lista de respostas, pois são estas as palavras que normalmente os recrutadores querem ouvir da sua boca.

1. “Eu sou bom a resolver problemas!”

O talento para solucionar problemas é universalmente valorizado e pode ser aplicado a qualquer trabalho ou área de atividade. Muitas pessoas não se lembram de responder desta forma, pois estão normalmente mais concentradas nas suas competências específicas, ou mais técnicas, como por exemplo “eu sou bom a redigir textos sobre finanças”.

Mas a verdade é que para a pessoa que está do outro lado da mesa, e que poderá ter interesse em contratá-lo, existem outros aspetos mais importantes, qualidades ou competências transversais que assumem primazia sobre as mais específicas.

E resolver problemas é mesmo uma grande qualidade para a generalidade dos recrutadores. Isto acontece porque eles sabem que saber resolver problemas implica ter pensamento crítico, pensamento estratégico e competências de liderança.

Mas, é claro, não basta ficar-se por “eu sou bom a resolver problemas”. A melhor forma de complementar e argumentar esta ideia é dando exemplos de situações em que tal aconteceu – se for no contexto de empregos anteriores, melhor.

Por exemplo, “durante a minha experiência na empresa X, consegui convencer um cliente importante a não desistir de ficar connosco, depois de lhe apresentarmos um projeto ainda mais ambicioso do que a concorrência. Ele não teve escolha!”.

2. “Sou um bom comunicador”

Ter competências fortes de comunicação pode também ser fundamental para conseguir o emprego. Mais uma vez, não é a só da habilidade de falar de que se trata aqui – esta questão traz, por si só, outras igualmente importantes para qualquer posto de trabalho, como a capacidade de liderar, criticar, delegar tarefas, pedir ajuda, mediar conflitos e apresentar produtos ou serviços aos clientes.

3. “Sou bom a gerir o tempo”

O tempo, como se sabe, no mundo dos negócios, que agora se move em grande parte a uma velocidade assombrosa, vale ouro. Um trabalhador que seja exímio numa determinada tarefa e que também sabe gerir bem o tempo, cairá facilmente nas boas graças do recrutador.

Esta é uma excelente oportunidade para dar a conhecer que valoriza o tempo, que o sabe gerir, e que o encara como sendo mais do que simplesmente respeitar prazos.

Uma nota para os “workaholics: alguns candidatos cometem o erro de querer mostrar que são viciados no trabalho e que o colocam à frente de tudo. Mas muitos recrutadores não valorizam essa atitude, pois na realidade reflete uma grande incapacidade para gerir o tempo e dedicar-se a diferentes dimensões da sua vida em simultâneo.

Na verdade, é ao demonstrar que consegue manter um equilíbrio entre todas as atividades da sua vida com o trabalho que se vai valorizar mais perante um recrutador.

4. “Sou honesto”

Mais uma vez, esta frase é música para os ouvidos dos recrutadores. A integridade e a transparência são muito valorizadas, talvez agora mais do que nunca, e proferi-lo não vai soar desenquadrado, se for dito com naturalidade.

Todas as pessoas cometem erros, e é importante que se perceba – caso venha a cometer algum – de que forma é que normalmente lida com essa situação.

5. “Sou determinado!”

Aqui está uma qualidade que demonstra que não vai desistir facilmente dos desafios, e que, por muitos contratempos que possam surgir, estará sempre de face levantada, pronto para se reinventar e levar os colegas atrás de si e do propósito da empresa.

O que não deve fazer


Jamais vá para uma entrevista de emprego sem se preparar. Até pode pensar que, como está a falar de si mesmo, saberá tudo o que deve dizer, mas acredite em nós: numa situação de pressão, a memória pode falhar e a sua resposta pode arruinar a entrevista de emprego.

Além disso, há diferentes tipos de qualidades, umas que são mais interessantes para determinadas funções e para determinadas empresas. Como tal, há que saber quais vai selecionar para referir na entrevista – isto pode ser a chave para dar a resposta certa.

Então já sabe: conheça-se bem e invista na preparação!

Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.

Saiba tudo sobre emprego