Publicidade:

Foda à moda de Monção. Comer e chorar por mais

A Foda à moda de  Monção é um prato que já galgou fronteiras. Ocasião única para provar o delicioso cordeiro com arroz feito em forno de lenha.

Foda à moda de Monção. Comer e chorar por mais
É o prato mais emblemático da gastronomia de Monção

Sim, é dado a muitos trocadilhos, mas a questão aqui é meramente gastronómica e celebra um prato único no Alto Minho. A Foda à moda de Monção tem vindo a galgar fronteiras, arrastando todos os anos uma multidão de gulosos para uma feira que decorre sempre em Março. Há, inclusivamente, uma Confraria da Foda.

Não obstante a feira deste ano ja ter decorrido, como sempre na freguesia de Pias, qualquer altura é boa para se dirigir até Monção, sentar-se num dos muitos restaurantes do concelho e comer a Foda à moda de Monção. Como acontece um pouco por toda a região minhota, a probabilidade de entrar numa restaurante ao calhas e comer bem e beber melhor, é extremamente elevada. O mesmo acontece em Monção.

Foda à moda de Monção, uma história do Alto Minho


E afinal, o que é a Foda? Nada mais que um prato de cordeiro, feito em fornos a lenha, acompanhado por um arroz, também ele no forno, de sabor inigualável. Há muito tempo que se transformou numa referência absoluta da gastronomia de Monção, que adoptou a designação popular do prato. A Foda à Moda de Monção tem presença garantida em todas as ementas dos restaurantes do concelho

A história da “Foda”

Em tempos de antanho, os habitantes da região que não possuíam rebanhos, iam às feiras para comprarem o animal que haveria de providenciar o seu sustento. Como é óbvio, havia gado de qualidade e outro que, digamos assim, não primava pelas melhores carnes. Mas como o desenrascanço está no ADN dos portugueses, para que os animais parecessem gordos e nutridos, os criadores juntavam sal à forragem , obrigando o gado a beber água em grandes quantidades.

Chegados à feira, apresentavam um aspeto bem nutrido e saudável, fruto, claro está, de terem a barriga cheia de água. Quem não tinha conhecimento da manha, ia no engodo e acabava por comprar verdadeiros pipos de água. Só depois se apercebiam (regra geral já tarde e longe da feira) do logro, exclamando “que grande foda!” No Minho não se faz por menos.

O termo acabou por se tornar cada vez mais comum, com o prato a ganhar mesmo o nome de Foda à Moda de Monção. Mas não se assuste com estas artimanhas. A Foda é agora certificada, com as melhores carnes de cordeiro e uma verdadeira iguaria. Sempre confeccionada em alguidares de barro e forno a lenha.

Onde comer em Monção


Como já lhe dissemos, se falhou a feira, não se alarme. Pode comer a Foda à Moda de Monção em qualquer altura do ano num dos inúmeros restaurante do concelho. Tome nota destas sugestões.

Onde dormir em Monção


O concelho de Monção dispõe de uma vasta oferta em termos de alojamento, para todos os públicos e todas as carteiras. Fique aqui com as nossas sugestões.

O que visitar em Monção


Palácio da Brejoeira

É um dos grandes ex-libris de Monção, uma grandiosa construção em estilo neoclássico, datada do início do século XIX. Trata-se de uma casa senhorial, circundada por muros altos e com um frondoso parque de essências arbóreas pouco comuns, constituindo um  conjunto notável que seduz qualquer visitante. Para além do jardim, conta com 18 hectares de vinha da conhecida casta Alvarinho, base para um vinho de eleição, precisamente com o nome Palácio da Brejoeira.

brejoeira

Museu do Alvarinho

O vinho Alvarinho é omnipresente um pouco por toda a região. O Museu do Alvarinho, localizado na Casa do Curro, é um espaço que merece uma visita, ajudando a perceber as particularidades de uma casta única. Disponibiliza informação interativa sobre a origem, evolução e empresas ligadas a este vinho. É ainda um espaço onde pode adquirir algumas das melhores garrafas de Alvarinho.

museu alvarinho

Castelo de Monção

Do outro lado do rio Minho, está Espanha. Como tal, durante muitos séculos foi importante a fortificação do lado português, até para precaver algumas supresas de “nuestros hermanos”. Pois bem, o Castelo de Monção remonta aos alvores da nacionalidade, desconhecendo-se a data exacta do início da sua edificação, havendo notícias de um acrescento já no reinado de D. Dinis. A fortaleza abaluartada foi mandada edificar após a Declaração da Independência em 1640. Lá está, os espanhóis…

Muralhas Monção

Veja também: