Publicidade:

5 filosofias de vida aplicadas à casa para inspirar na decoração

Há uma mão cheia de filosofias de vida aplicadas à casa que podem mudar o espírito e a cara do seu lar. Com qual delas mais se identifica?

5 filosofias de vida aplicadas à casa para inspirar na decoração
Qual será o segredo da felicidade?

Passar o tempo no aconchego do lar, divertir-se nos domingos preguiçosos, curtir longos fins de semana no nosso espaço, reunir amigos e família para momentos bem passados. A forma como vivemos a nossa casa pode ter impacto na forma como vivemos as nossas vidas. E há truques ligados com a decoração que podem ser o segredo da felicidade. Tem dúvidas? Então conheça as 5 filosofias de vida aplicadas à casa e prepare-se, pois vai cair de amores por uma delas.

Descubra estes segredos simples e fáceis de colocar em prática para renovar as energias do seu cantinho favorito.

Filosofias de vida aplicadas à casa: uma delas tem a sua cara


filosofias de vida aplicadas à casa

1. Hygge

O conceito nórdico de bem-estar e conforto pode ser aquilo que procura para ajudar na decoração da sua casa. Tem sido, aliás, crescente o interesse dos apaixonados por decoração pelo estilo de vida scandi, especialmente desde que Noruega, Dinamarca e Islândia (nesta mesma ordem) foram considerados pela ONU como os países mais felizes do mundo.

Beber um chá em silêncio, acender a lareira numa noite fria, preparar a casa para cada nova estação, reunir os amigos que mais gosta. Tudo o que provoca a sensação de bem-estar e conforto é chamado de Hygge, uma palavra que ainda não tem tradução no português, mas que já desperta imensa curiosidade porque parece ser, a par das cordialidade e das excelentes políticas sociais, o segredo da felicidade dos nórdicos.

No inverno, os dinamarqueses, por exemplo, vivem numa temperatura média de 0º e têm cerca de 4 horas de “dia”. Por isso mesmo, saber ocupar e usufruir da casa, prezando os convívios, é uma das bases da filosofia de vida Hygge.

Passar o tempo entre uma fatia de bolo e uma conversa, um jogo de tabuleiro e uma cerveja, um livro e uma manta são algumas das rotinas que o povo daquela parte do globo guarda como um dos grandes segredos da felicidade.

Mas, afinal, como podemos aplicar o conceito Hygge em casa?

Como decorar com a filosofia Hygge

Para começar, crie ambientes acolhedores, com mantas, velas e flores. Se gosta de receber os amigos e aposta nos detalhes da decoração, está no caminho certo. Cozinhar é uma paixão? Preparar comfort food é um dos grandes prazeres de quem vive de forma Hygge.

 

 

Ter poucos, mas excelentes artigos de decoração é um dos lemas e a regra dita que tenham história e valor sentimental. Uma peça de época, comprada ou herdada, ou um original assinado são excelentes objetos para ter em casa e ser Hygge. Beber um chá na louça antiga da avó tem muito mais valor, certo?

A última dica para quem quer adotar um estilo de vida Hygge é: tenha tempo para si. Por isso, ao decorar a casa, será especialmente importante dar valor ao seu conforto. Passar o tempo a ler um livro ou relaxar em longos banhos são boas formas de passar o tempo consigo mesmo. Para ser Hygge pode, por exemplo, decorar a casa de banho com velas e plantas ou investir no conforto de uma biblioteca em casa.

 

2. Lagom

A nova tendência no que toca às filosofias de vida aplicadas à casa é Lagom. Inventado pelos suecos, o conceito prega a necessidade de trazer mais equilíbrio para as nossas vidas. A forma de viver dos nativos da Suécia ensina que o segredo da felicidade está em “acertar na medida” para tudo.

Se não precisa de falar ou se a sua palavra não se faz necessária, cale; se já cumpriu o horário de trabalho, encerre o expediente; se trabalhou horas seguidas e o corpo pede uma pausa, tire um tempo para o café; se já está satisfeito à mesa, arrume os talheres. A filosofia quer a quantidade certa de tudo, nem mais e nem menos, nem muito e nem pouco; apenas o suficiente. Sensatez é  palavra de ordem. E

Como decorar com a filosofia Lagom

Na filosofia Lagom não se vai às compras sem que haja uma real necessidade. Para os suecos, comprar algo para a casa é algo que acontece de forma pensada e ponderada. O truque para decorar de forma Lagom é pensar na funcionalidade dos objetos.

Não é por ser uma filosofia sueca que a base será o minimalismo nas cores. Antes pelo contrário, o estilo Lagom na decoração pede cor, apostando essencialmente numa palete neutra. Cinzento claro, azul profundo e tons vibrantes de laranja e verde são bem vindos. Tudo, sempre, com equilíbrio.

A luz natural nos ambientes é um dos traços fortes de uma decor Lagom, por isso, aposte em cortinados claros. Materiais naturais devem ser utilizados como forma de nos conectarmos à natureza, por isso aposte em madeira, algodão e lã. O tricot é visto muitas vezes em mantas e almofadas. Plantas e ilustrações com temas botânicos são fundamentais neste estilo de decoração.

 

 

Os móveis, por sua vez, querem-se úteis e funcionais. Mobílias vintage assumem papel de destaque. Para finalizar, mas não menos importante, uma das principais regras da filosofia Lagom é poupar, por isso, invista na economia de energia e fuja ao desperdício utilizando formas de energia renovável.

3. Wabi-Sabi

Nasce no Japão do século XV e traz-nos, até hoje, ensinamentos que nos levam a valorizar a beleza das coisas imperfeitas. O conceito da filosofia Wabi-Sabi tem como base os ideais do zen-budismo, pregando que devemos aceitar a impermanência de tudo. Está presente na cerimónia do chá e nas mais variadas artes nipónicas, como a cerâmica, o ikebana (arranjos florais), o jardim zen e o bonsai.

Hoje, temos os traços da filosofia Wabi-Sabi refletidos num estilo de decoração que valoriza o cuidado despojado, o imperfeito, o rústico, o monocromático e o aspeto natural das peças. O que importa é o processo e nunca o produto final. Tal como no slow living, a regra é: desacelerar e concentrar naquilo que realmente é importante e tantas vezes deixado de lado.

Como decorar com a filosofia Wabi-Sabi

Decore com objetos simples e robustos. Use e abuse de tecidos orgânicos, madeira, argila e peças metálicas. Dê valor à imperfeição de peças rústicas e que transmitam humildade. Paredes grossas e ambientes com toques texturizados são vistos com frequência, por isso, valorize uma parede de tijolos expostos ou o chão industrial, de concreto inacabado.

 

 

 

Se tiver um jardim, decore-o com pedras de diferentes tamanhos e correntes de água.

4. Feng Shui

Esta é outra das filosofias de vida aplicadas à casa mais conhecidas que nos vem do Oriente. Significa, literalmente, vento e água. Surge na China de há 3 mil anos e consagra-se como a filosofia que é especialista em atrair as melhores energias, descartando as que não interessam. E o que esta arte estuda? Basicamente, a filosofia Feng Shui analisa como os ambientes onde trabalhamos e vivemos têm influência na forma como vivemos e como nos sentimos.

As suas raízes estão na cosmologia oriental e no princípio “yin e yang“, as duas forças antagónicas que pertencem ao céu e à terra. Para a filosofia Feng Shui, podemos solucionar problemas profissionais, pessoais, emocionais, financeiros e de saúde através da análise e correção de elementos presentes nos espaços, como mudar os móveis de lugar, ter uma planta natural ou trocar a cor de uma parede, por exemplo. Isso porque, ao olhar para as cores e disposição de objetos num ambiente, é possível detetar estagnações e excessos de energias que interagem com o campo energético dos humanos. Ao mudar a energia de onde vivemos mudamos, consequentemente, a energia que nós próprios guardamos.

Como decorar com a filosofia Feng Shui

Para atrair saúde, bem-estar, prosperidade e boas energias aí para casa, pode seguir as receitas da filosofia Feng Shui. Para isso, deve saber que a harmonia assume um papel da maior importância, bem como a disposição dos móveis e decoração são fundamentais para alcançar o objetivo.

No quarto: use cores claras, que privilegiem o descanso; dê especial atenção à simetria no quarto do casal (lados iguais na decoração do espaço); escolha uma cama com cabeceira; tenha cortinas que vão do chão ao teto; não deixe os pés da cama voltados para a porta.

 

Na sala: coloque cadeiras e sofás voltados para a porta, de forma a receber quem entra; almofadas macias e coloridas devem complementar assentos macios e confortáveis. Cores vibrantes podem ajudar a fazer a energia circular, mas apenas em pontos decorativos ou numa parede de um espaço amplo.

 

Os espelhos: os espelhos têm grande importância para a filosofia Feng Shui, mas tenha atenção, porque devem estar bem posicionados e ser amplos. No quarto não devem refletir a cama; na sala, devem ser colocadas junto à mesa de jantar para “multiplicar” o alimento e atrair prosperidade; devem ocupar paredes do hall de entrada ou corredores, para provocar a sensação de amplitude e promover a circulação da energia.

 

A organização: uma casa bem organizada contribui para aumentar a clareza mental. Aposte em cestos e caixas de arrumações e evite o caos.

5. Minimalismo

O minimalismo é uma das filosofias de vida aplicadas à casa que mais tem conquistado fãs ao redor do globo.

Sabia que, quando o assunto é decoração, o estilo escandinavo bate recordes de buscas na barra de pesquisas do Pinterest? Isso mostra que há, em todo o mundo, um forte interesse pela forma de viver desta cultura, que tem como lema o velho conceito de “menos é mais”, sendo o minimalismo um dos traços principais da sua identidade.

Mas saiba que nem tudo na cultura scandi se resume a procurar viver com o mínimo possível. Além de dar especial valor ao design e à qualidade dos materiais escolhidos, o povo dos países nórdicos vive com base naquilo que os historiadores chamam de “religião da alegria”, celebrando a vida e multiplicando, ao longo da sua história, crenças e contos tradicionais onde pregam a importância dos convívios em família e a força da mãe natureza. Acreditam, inclusive, que a natureza pode interferir nas nossas vidas, afetando a saúde financeira e espiritual, por exemplo.

Como decorar com a filosofia minimalista

Com base nestas crenças, encontramos um minimalismo escandinavo aplicado à decoração de casas com cores neutras, elementos naturais e shapes geométricos, em ambientes amplos para reunir amigos e família. Poucos itens, mas de excelente qualidade, decoram de forma orgânica espaços elegantes, completos e repletos de significados.

 

 

 

Já conhecia todas estas filosofias de vida aplicadas à casa? Já pensou que talvez o segredo da felicidade pode estar, também, na forma como vive a sua casa?De entre as várias filosofias de vida aplicadas à casa que lhe mostramos aqui, tente encontrar a que tem mais a sua cara e aposte nos truques de decoração que podem fazer a diferença na sua forma de estar no mundo.

Veja também:

Luana Freire Luana Freire

Estudou Jornalismo e Assessoria de Imprensa no Brasil, transferindo a paixão, bagagens e coração para o Porto, onde estudou Ciências da Comunicação na UP. Mãe, simpatizante do feminismo, devoradora de novidades, louca por viagens, boa música, boa conversa e boa comida. Mulher das letras, é adepta da escrita criativa e acredita que a palavra, com todas as suas máscaras e possibilidades, é infinita e capaz de mudar o mundo de quem a lê, ouve, toca, espalha e constrói.

Limpeza e Arrumação