Publicidade:

Gasolina 95 vs 98: quais as diferenças?

A grande batalha dos combustíveis: gasolina 95 vs 98. Saiba como é feita a gasolina e se vale a pena pagar a diferença entre as duas.

 
Gasolina 95 vs 98: quais as diferenças?
Saiba se serão mesmo diferentes ou se é um desperdício de dinheiro

Não é uma questão consensual. Alguns defendem que melhora a performance e o rendimento, outros dizem que é apenas um desperdício de dinheiro e não existe qualquer diferença entre os dois tipos de combustível. Mas afinal, será verdade ou será mito? Comparamos a Gasolina 95 vs 98, avaliamos os prós e os contras de cada um destes combustíveis para que possa decidir qual é o melhor para si e para o seu automóvel.

Existem vários tipos de gasolina no mundo. Desde gasolina de 87 octanas até Jet Fuel (combustível para aviação comercial), e embora todas elas provenham do petróleo, a diferença está nos componentes que são adicionados no processo de transformação do crude em combustível. Valerá a pena utilizar um combustível mais caro? Serão assim tão diferentes estes dois tipos de gasolina? Confira.

Gasolina 95 vs 98: conheça as diferenças

gasolina

A gasolina 98 é mais cara do que a gasolina 95, mas também importa realçar que esta é mais aditivada, o que significa que não só dará mais rendimento ao motor do seu carro, como também tem mais oxigenadores e detergentes, que melhoram a capacidade de combustão do motor, reduzem os resíduos produzidos pela gasolina, limpam o seu motor, e reduzem assim as emissões de gases poluentes.

Os motores dos carros mais vendidos em Portugal são trabalhados para funcionar a gasolina 95, portanto há quem defenda que colocar gasolina 98 não trará qualquer beneficio para o motor do seu carro. Esta teoria apenas está metade correta, uma vez que é baseada sobretudo na performance, e convenhamos que o motor de um carro “normal” vendido em Portugal é sobretudo criado para ser económico e não para debitar quantidades exorbitantes de potência. No caso de um carro desportivo com mais cavalos, ou até mesmo de um supercarro, caso coloque gasolina 98 ao invés gasolina 95, notará alguma diferença nas prestações do automóvel, e quanto maior for a potência, mais notará as vantagens de usar uma gasolina mais aditivada.

O debate entre gasolina 95 vs 98 está longe de ter um veredicto final, e apenas você poderá decidir qual é o melhor combustível para si, dependendo de qual é o seu automóvel e que tipo de condução pretende. No entanto, as diferenças entre a gasolina 95 vs 98 são pouco significativas, e a não ser que tenha um carro muito potente, não notará grandes vantagens em utilizar um combustível mais aditivado.

Por isso, e como veredicto final, comparando o custo/benefício, se para si o importante mesmo é poupar na carteira, o melhor conselho que lhe podemos dar é para que continue a utilizar gasolina 95 no seu carro, e sempre que quiser tente dar-lhe um “mimo” e pensar um pouco mais no ambiente, atestando o depósito com gasolina 98. Tanto um como outro só lhe agradecerão.

Como é produzida a gasolina

Vamos conhecer muito sucintamente como é que um produto negro e viscoso se transforma num líquido amarelado, azulado, lilás, vermelho ou transparente. O crude, ou petróleo, chega num estado quase puro às refinarias (no caso de Portugal, a Sines ou Leça da Palmeira) vindo de várias plataformas petrolíferas por via marítima. O petróleo é constituído por uma mistura de hidrocarbonetos (compostos orgânicos), e quando é retirado das jazidas geralmente vem contaminado com vestígios de areia, pedras, água, entre outros.

Depois de descarregado dos navios tem de ser decantado e filtrado, separando os vários componentes do crude, ficando um material limpo de impurezas e pronto para entrar numa torre de refinação, de onde todos os combustíveis existentes no mundo serão extraídos. Nesta torre de refinação, o petróleo passa por 3 etapas: a destilação, a conversão e os tratamentos finais.

Na destilação, o petróleo bruto é aquecido até ao seu ponto de ebulição (ponto em que passa do estado líquido para o estado gasoso) e à medida que vai diminuindo a sua temperatura, vão-se separando diversos hidrocarbonetos sob a forma de gases, que são armazenados em vários estágios da torre. Na parte mais quente da torre de refinação, a cerca de 600ºC são retirados os gases do petróleo para alimentar os navios e as plantas elétricas, sendo este o combustível menos refinado. A cerca de 350ºC o petróleo liberta gases para fabricar óleos lubrificantes. A 270ºC é refinado o diesel para os automóveis e automotoras. A 170ºC os gases libertados pelo petróleo são utilizados para produzir Querosene e Jet Fuel.

Quando os gases estão somente a 120ºC são armazenados para produzir gasolina para automóveis. A 70ºC são armazenados os gases para produção de nafta, utilizada em diversos produtos químicos. E por fim, no estágio mais alto da torre, as partículas mais refinadas e com menor densidade são utilizadas para produção de GPL (Gás de Petróleo Liquefeito), que é o combustível mais refinado e um dos combustíveis menos poluentes e que menos danificam o motor, sendo esta uma das suas principais vantagens.

É importante conhecer, um pouco mais ao pormenor, a fase do tratamento, mas desta vez apenas a parte relacionada com o a gasolina automóvel, para que possamos ver as diferenças entre a Gasolina 95 vs 98.

Depois de separados os gases para a produção de gasolina, estes gases são arrefecidos para voltarem ao estado líquido, e é a este líquido onde são adicionados os vários aditivos, como octanagem, oxigenadores, detergentes e corantes, que fazem com que o combustível tenha uma melhor ou pior qualidade, um maior ou pior rendimento, ou uma maior ou melhor performance. Devido aos diferentes aditivos que lhe são adicionados foi necessária fazer uma segmentação deste tipo de combustível.

Assim sendo, a qualidade da gasolina passou a ser associada à sua resistência à compressão. Entre os componentes da gasolina, o mais resistente à compressão é o 2,2,4-trimetilpentano, mais conhecido como isoctato. Por outro lado, o menos resistente é o heptano. Criou-se, então, uma medida da qualidade da gasolina, que ficou denominada como índice de octanagem ou índice de octanas, existindo desde gasolina de 87 octanas, a 89, 90, 91, 92, 95, 98 e até 100 octanas, sendo esta a mais alta, e apenas vendida em alguns países (na Europa, Itália e Alemanha são uns dos únicos que vendem este combustível de alta octanagem, e são por isso a par de Portugal, uns dos países com a gasolina mais cara do mundo).

Veja também:

Marvin Tortas Marvin Tortas

Licenciado em Ciências da Comunicação, homem do Norte, apaixonado por carros e com experiência em desporto automóvel. A seguir a mamã e papá, as palavras Ferrari, Mercedes, Audi e Fiat foram respetivamente as 3ª, 4ª, 5ª e 6ª palavras do seu vocabulário.

Também lhe pode interessar: