Publicidade:

6 empregos para a geração millennials

Nasceu entre o início dos anos 80 e o fim dos anos 90? Então, vai gostar de conhecer os melhores empregos para a sua geração: a geração millennials.

6 empregos para a geração millennials
Geração millenials: quem são e como querem trabalhar?

Se tem entre 24 e 35 anos, este artigo é para si: descubra quais são os empregos mais adequados às características da geração millennials – também conhecida como Geração Y.

Sim, “os trintões” – ou quase – têm exigências específicas e estão a fazer com que o mercado repense toda a estrutura pré-concebida. Estarão as empresas preparadas para eles?

Geração millenials: quem são e como querem trabalhar?


Em contexto empresarial, os millenials são um dos grupos demográficos sobre que mais se tem falado nos últimos anos. Já ouviu o termo? A geração millenials é composta pelos jovens nascidos entre os inícios dos anos 80 e o fim dos anos 90, e tem apresentado desafios crescentes às empresas, pelas suas características e exigências em relação ao modo como querem trabalhar.

Mudança de mentalidades

Aquilo que demarca mais a geração millennials das anteriores – Geração X e Baby-Boomers – é a forma como aborda a questão do emprego. Para um millennial mudar de emprego é algo natural e que é expectável que aconteça várias vezes ao longo da carreira. Tendo em conta essa tendência natural para mudar de emprego e para desenvolver múltiplas capacidades, quais são os empregos que melhor encaixam neste perfil?

geração millennials

Requisitos dos empregos para a geração millenials

Tudo aponta para que um bom emprego para um millennial tenha que preencher requisitos como: ser conciliável com a vida pessoal, possibilitar trabalhar remotamente e não num único escritório, ser bem remunerado, proporcionar benefícios e compensações além do salário, e ser um trabalho com um propósito que vá além do lucro e crescimento da empresa.

6 melhores empregos para millenials


Vamos conhecer alguns dos melhores empregos para a geração millennials.

1. Programador

Os jovens que preenchem a faixa etária millennial estão, praticamente desde que nasceram, em contacto com a Web. A tentar acompanhar a revolução digital, as empresas necessitam de integrar millenials para desenvolvimento de software, mas têm alguma dificuldade em retê-los devido à extrema competitividade entre empresas no mercado.

2. Web Designer

O trabalho na área do design proporciona a realização de tarefas com elevado valor estético, e, atualmente, aplica-se à conceção de websites para todos os tipos de empresas e setores de atividade. Este trabalho pode ser feito remotamente e a gestão do tempo de trabalho cabe inteiramente ao web designer – o que é perfeito para um millenial.

3. Service Design e Design Thinking

O “desenho” de serviços cada vez mais user-friendly, eficientes e úteis, aplicando os princípios do design, é uma área de futuro. Requer mentes em busca constante de soluções para os problemas e desafios das pessoas e dos serviços – e, claro, muita criatividade!

4. Músico

Não nos referimos aqui à Música como performance, mas à música que pode ser integrada nos mais variados contextos – websites de empresas, anúncios de televisão, toques de espera telefónica personalizados.

Os músicos profissionais podem, hoje em dia, direcionar as suas carreiras também para a criação de ambientes para restaurantes, hotéis, centros de congressos, entre outros. E podem, ainda, optar por compor eles mesmos as músicas ou apenas por gerir algoritmos que o façam por si.

5. Editor e operador de vídeo

Estes profissionais trabalham em cinema, televisão, publicidade e criação de conteúdos promocionais corporativos. Mais um trabalho que exige muita flexibilidade e mobilidade, já que muitas vezes estes profissionais têm em mãos diversos trabalhos para múltiplos clientes, com deadlines apertadas e horários desconcertantes.

6. Intérprete e tradutor

Se a multidisciplinaridade é uma caraterística imediatamente atribuída à geração millennials – então, a capacidade para conhecerem várias línguas é grande. Uma grande percentagem destes profissionais trabalha em regime de freelancer, o que mais uma vez permite alcançar essa tal flexibilidade que dizemos ser a característica mais vincada da geração nascida entre inícios de 80 e fins de 90.

Veja também: