Publicidade:

Google Stadia: será o fim das consolas de jogos?

Google Stadia é o novo serviço de gaming baseado numa cloud. É mais uma forma de jogar online ou será este o novo paradigma das consolas?

Google Stadia: será o fim das consolas de jogos?
Vão as consolas tradicionais terminar?

Foi em março que a gigante tecnológica veio confirmar os rumores que já existiam em seu torno ao apresentar a Google Stadia, uma nova forma de jogar jogos online que promete revolucionar o mercado. Mas, afinal, o que difere este de outros modos de jogo na Internet? É isso que lhe explicamos neste artigo.

Google Stadia: uma nuvem de possibilidades


O futuro do gaming está a chegar e não se limita mais a uma box de jogos ou consola. É exatamente isso que a Google quer confirmar ao apresentar a Stadia, a sua nova abordagem à forma como são jogados os videojogos hoje em dia.

A Google Stadia é um serviço de jogos que funciona com base numa cloud que, por sua vez, está alojada em vários servidores espalhados pelo mundo. E é precisamente aqui que assenta a grande diferença desta “nova” forma de jogo em comparação com outras já bem conhecidas do público.

Como funciona a Google Stadia?

Em poucas palavras, e para que se perceba em que é que assenta o funcionamento da Stadia, esta é apelidada como a “Netflix dos jogos”. Se está familiarizado com esse ou outros serviços de streaming de filmes/séries, conhece o funcionamento do mesmo e sabe que não precisa de alugar ou comprar um conteúdo físico para que o possa ver em qualquer dispositivo (móvel ou não).

Ora, essa é precisamente a mesma base de funcionamento na qual assenta a Google Stadia que, através de uma cloud, disponibiliza uma série de jogos aos quais se pode aceder a partir de qualquer dispositivo com (boa) ligação à Internet.

É através dessa cloud que a Stadia disponibiliza o seu catálogo de jogos disponíveis que, à partida, estarão divididos em pagos e gratuitos. Desta forma, tudo o que precisa é de um controlador que, através de Wi-Fi, irá conectar-se à cloud do serviço para que jogar os videojogos que quiser.

controlador google stadia

Fonte da Imagem: Google/Divulgação

Por que é que a Stadia é diferente

Em primeiro lugar, porque não é uma consola propriamente dita, mas sim um serviço. Ao contrário daquilo a que estamos habituados a ver nas consolas tradicionais (como a PlayStation, Xbox ou Nintendo Switch), a Stadia não se faz acompanhar de nenhuma box que possa ser ligada a uma televisão.

Aquilo que também difere o serviço da Google dos restantes online, como é o caso da Nvidia GeForce Now ou da PlayStation Now, é a quantidade de servidores que existem espalhados por todo o mundo para que o tempo de reação entre dispositivos seja o mais escasso possível.

Falamos, por isso, do ato de carregar num botão do controlador Google e o tempo que poderia demorar até essa ação surgir no ecrã . Este é um fator de elevada importância uma vez que falamos de um serviço 100% baseado na Internet, cujo tempo de resposta importa para os utilizadores, no qual a Google trabalha para que seja praticamente nenhum.

Outro dos fatores que diferencia a Stadia é o facto de ter um controlador (o único objeto físico desenvolvido pela Google e que identifica o serviço) que se conecta à Internet via Wi-Fi, em vez de precisar de recorrer a um dispositivo móvel em primeiro lugar, como um smartphone ou tablet.

Este é um passo importante na medida em que noutros serviços de gaming em cloud aquilo que acontece é que assim que pressiona um botão, esse sinal é transmitido via Bluetooth para um dispositivo recetor (telemóvel ou tablet, por exemplo) e só depois para a conexão de Internet existente.

evento google stadia

Fonte da Imagem: Google/Divulgação

Onde poderá jogar

Basicamente, em qualquer lado, em qualquer dispositivo. A Google quer basear o funcionamento da Stadia no Chrome, o que significa que a possibilidade de jogar neste serviço é extensível a qualquer dispositivo: Smart TV, computador, tablet e smartphone.

Esta compatibilidade não está, contudo, confirmada para todos os sistemas operativos. Como seria de esperar, os dispositivos Android (agora desenvolvido pela tecnologia Google) estarão mais do que aptos para receber a Stadia, mas o mesmo não se confirma (pelo menos para já) no caso dos aparelhos iOS.

Quanto vai custar e onde se pode comprar

Estas são informações que a Google ainda não confirmou. Alguns rumores apontam, contudo, para que este seja um serviço pago mensalmente, precisando apenas de comprar o controlador numa loja física que, à partida, será qualquer uma das da especialidade.

Em comparação com a subscrição de serviços online como o da PS4 (14,99€/mês), por exemplo, tudo indica que a referente à Stadia não fugirá muito a esse mesmo preço. No entanto, a empresa ainda não deixou qualquer indicação relativamente a valores.

Espera-se que o serviço seja oficialmente lançado em 2019, mas a data não foi ainda confirmada. Talvez se conheçam mais informações na E3 2019 que acontece no mês de junho, em Los Angeles, onde serão apresentadas novas tecnologias e produtos.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.