Publicidade:

Grávida pode beber Coca-Cola? Descubra a resposta

Grávida pode beber Coca-Cola? Se vai ser mãe e é apaixonada pela bebida gaseificada, vai gostar de saber por que deve, ou não, evitá-la.

Grávida pode beber Coca-Cola? Descubra a resposta
Afinal, que mal tem a Coca-Cola?

Já é uma informação conhecida: à mesa, as grávidas devem interromper os maus hábitos alimentares e limitar o consumo de cafeína. No entanto, qual é a futura mamã que resiste a um cafézinho, a um chocolate ou a um refrigerante? Para a gestantes que são apaixonadas pela bebida gaseificada mais popular do mundo, fica a dúvida: grávida pode beber Coca-Cola? Eis a resposta que procurava.

A boa notícia é que não é preciso deixar de beber Coca-Cola, dizer adeus ao chocolate ou abandonar o café que dá início ao dia. Como o problema está na dose, o segredo é estar bem informada e apostar na ponderação. Descubra mais neste artigo e tire todas as suas dúvidas.

Grávida pode beber Coca-Cola? Saiba a resposta


gravidez e Coca-Cola

Ainda que qualquer refrigerante não seja proibido na dieta das grávidas, a verdade é que esta é uma excelente altura para substituir o consumo de alimentos artificiais por tudo o que seja mais natural – ou seja, é hora de entregar-se aos sumos naturais de frutas.

Ainda assim, se é apaixonada por Coca-Cola, saiba que a bebida não é, de todo, proibida às grávidas. Mas, então, de onde vem o mito da proibição? A resposta a esta pergunta é simples: como os refrigerantes à base de Cola contêm cafeína – tal como os chocolates – o seu consumo deve ser regulado.

E, então, qual é a quantidade máxima de cafeína a ser ingerida por uma grávida (por dia)? O equivalente a aproximadamente 2 cafés expressos.

Mas, há controvérsias…

A verdade é que, mesmo após décadas de estudos sobre o assunto (que apontavam resultados diferentes), a ciência ainda não chegou a um consenso. Isso quer dizer que ainda não se sabe, exatamente, qual quantidade de cafeína é segura durante a gravidez. Sendo assim, muitos médicos e nutricionistas acreditam que o melhor caminho é evitar o consumo – ou reduzi-lo consideravelmente -, pecando pela cautela.

Porque cafeína e Coca-Cola devem ser evitadas na gravidez?

Os estudos apontam que a cafeína presente na Coca-Cola, nos chocolates e, claro, no café, quando consumidos em excesso, podem aumentar o risco de aborto espontâneo e fazer com que o bebé tenha baixo peso. Mas, antes mesmo que fique arrepiada com estas informações, é preciso saber que estes são riscos considerados baixos e, por isso mesmo, a maior parte dos especialistas acredita que o segredo está em não exagerar na dose.

A grávida pode beber café? Saiba a resposta aqui >>

Que comidas e bebidas contêm cafeína?

Cafés, chocolates, refrigerantes à base de Cola e chás são alguns dos produtos onde as grávidas vão encontrar cafeína. Alguns medicamentos para as dores, alergias e constipações também incluem a cafeína nas suas fórmulas. Lembre-se: se está grávida, não deve ingerir qualquer medicação sem orientação do médico de família ou obstetra.

A quantidade de cafeína em chás e cafés pode variar bastante, dependendo da marca, da maneira como são feitos, mais fortes ou fracos, e do tamanho da xícara em que são servidos. Veja a lista abaixo para ter uma ideia aproximada da proporção de cafeína em algumas bebidas e alimentos:

Alimento Quantidade Cafeína
Café expresso 30 ml 40-75 mg
Descafeinado 240 ml 2-12 mg
Chá mate 240 ml 27 mg
Ice Tea 355 ml (1 lata) 70 mg
Refrigerantes à base de Cola 350 ml (1 lata) 30-35 mg
Refrigerantes light à base de Cola 350 ml (1 lata) 45 mg
Chocolate ao leite 50 g 20-40 mg

 

Para a grávida e para o bebé, qual é o efeito do consumo da cafeína?

Por ser um estimulante, a cafeína aumenta o ritmo cardíaco e também o metabolismo – ou seja, afeta diretamente a forma como o bebé se sente na sua barriga, além do seu peso. Sabemos que este efeito estimulante pode mesmo não ser saudável para o bebé, mas o consumo regulado não deve ser descartado – especialmente se o organismo da grávida mostrar-se ressentido com a falta da cafeína. Dores de cabeça são um bom sinal de que a gestante pode estar a sentir falta do seu habitual café. Por isso, saiba que beber um cafézinho por dia não tem mal algum – especialmente se estiver com as tensões reguladas.

Sabemos que o bem-estar do bebé é fundamental para a futura mamã, mas não é só esta questão que se coloca, afinal, uma grande quantidade de cafeína pode provocar mal-estar às gestantes. O seu poder diurético vai exigir mais idas à casa de banho, por exemplo, mas ainda há mais, como o agravamento dos estados de insónia (tão comuns na gravidez).

Café e chás com cafeína, quando consumidos durante as refeições, podem, também, prejudicar a correta absorção de ferro –  por isso, evite-os durante, meia hora antes e meia hora depois delas. A baixa de ferro durante a gestação pode resultar numa anemia.

Gravidez de gémeos: quais os sintomas? Saiba tudo sobre este tema >>

Como deixar de consumir cafeína? 7 dicas

Sabia que a própria natureza pode dar uma ajudinha nesse quesito? Muitas mamãs sentem enjoo só de lembrar do café, especialmente durante o primeiro trimestre da gravidez. Mas, se este não é o seu caso e quer mesmo fazer uma pausa no consumo de cafeína, temos dicas a não perder.  Lembre-se apenas que deve cortar a cafeína aos poucos.

Confira as nossas dicas…

  1. nos chás, reduza a quantidade de cafeína de uma forma simples: deixe o saquinho por menos tempo na água – um minuto será suficiente para que o chá ganhe sabor e não peque pelo excesso de cafeína;
  2. substitua o chá de compra pelos chás caseiros, feitos à base de limão e mel, ou de casca de laranja, por exemplo;
  3. se não consegue passar os dias sem um café, adote os instantâneos e faça-os com menos pó;
  4. para evitar sintomas de abstinência, como fadiga, dores de cabeça e tonturas, reduza a quantidade de café aos poucos;
  5. o desejo por café pode ser facilmente “enganado” se beber um descafeinado;
  6. se adora refrigerantes, troque a Coca-Cola ou o Ice Tea por bebidas de limão ou água com gás, por exemplo;
  7. e nada de beber energéticos, que têm altas doses de cafeína.

Agora que já sabe que grávida pode beber Coca-Cola, não esqueça que isso não é desculpa para os exageros – antes pelo contrário. Aproveite o momento para adotar melhores hábitos alimentares e guarde o desejo por cafeína para daqui a uns meses. A gravidez vale qualquer esforço.

Veja também: