Honda Civic: a evolução de um modelo com 40 anos de história

Dez gerações e 20 milhões de unidades depois, o Honda Civic ainda surpreende pelo design, tecnologia, motor e baixos consumos. Espreite a evolução do modelo.

Honda Civic: a evolução de um modelo com 40 anos de história
Um dos modelos mais icónicos da indústria automóvel

Até para os apaixonados das quatro rodas, o Honda Civic é um automóvel que precisa de apresentação. Isto porque o modelo nipónico tem uma história incomum, assente não só numa vontade de desenvolver a melhor tecnologia automóvel, mas também num compromisso social, do qual herda o nome – Civic (em português, “cívico”). Tem ainda a curiosidade de ser um palíndromo, uma vez que o nome do modelo pode ser lido de trás para frente sem que se mude o seu sentido.

Honda Civic: a história por trás da máquina

Honda-Civic Fonte: Divulgação Honda

A meio de um crescimento económico notável, o Japão acolheu a Exposição OSAKA e preparou-se para os Jogos Olímpicos de Inverno de Sapporo de 1972. Estes eventos internacionais contribuíram para que o país acelerasse a construção de infraestruturas de transportes, a qual, por sua vez, alimentou a rápida transição para uma sociedade urbanizada e simbolizada pelo automóvel. Foi a partir deste momento que o Japão assumiu a posição de uma das mais importantes nações fabricantes de automóveis.

Essa rápida urbanização criou, contudo, um grave problema: a poluição. Apesar de, na época, se concentrar apenas em veículos desportivos de alta competição, a Honda assumiu a tarefa urgente de desenvolver um novo e económico carro de passageiros que se tornaria uma parte central da vida das pessoas e que tinha a ambição de se tornar um veículo pouco poluente. A marca japonesa começou, então, a desenvolver a primeira geração Honda Civic.

O processo de desenvolvimento do Honda Civic contrastava completamente com a tradição da marca. Em vez de seguir o processo de produção normal do automóvel com base na visão do fundador Soichiro Honda, a equipa do Honda Civic viajou por vários mercados mundiais, ganhou experiência e conhecimentos locais e então começou a criar um carro que se tornou icónico até aos dias de hoje.

O sucesso do design compacto

Na época, o design tradicional (compartimento do motor, táxi e tronco) era o padrão principal para os carros compactos, mas a Honda escolheu audazmente um frontengine, frente-roda especificação de “unidade, 2 caixas” como conceito para um carro mundialmente básico.

Dois anos depois de tentativas e erros extensivos, tempo incrivelmente curto naqueles dias, o desenvolvimento estava completo e o Honda Civic fez sua estreia, com um modelo de duas portas em julho de 1972, seguido de uma versão de três portas em setembro.

A série lançada foi um grande sucesso, especialmente entre os jovens. Por três anos consecutivos, de 1972 a 1974, o Honda Civic ganhou o prémio Car of the Year Japan, consolidando firmemente o seu nome no mercado japonês.

Em 1972, a Honda também começou a exportar o Honda Civic para os Estados Unidos, e a sua inovação ganhou aceitação internacionalmente. As exportações para o Canadá começaram em 1973 e, entre 1976 e 1978, o Honda Civic foi o carro de importação mais vendido por 28 meses consecutivos neste país.

Engenharia CVCC (Compound Vortex Controlled Combustion)

O Honda Civic com engenharia CVCC, lançado nos Estados Unidos em 1974, foi fundamental para consolidar a sua reputação internacionalmente. Praticamente todos os fabricantes consideravam que as restrições dos Estados Unidos relativamente à Lei de Ar Limpo eram impossíveis de cumprir, mas a marca japonesa, que tinha chegado tarde ao mercado automóvel, provou o contrário.

Encarou a legislação como uma oportunidade de ouro, não só para proteger o meio ambiente e cumprir o seu compromisso social, mas também para se juntar aos líderes na linha de frente da tecnologia.

A este respeito, é de sublinhar que, desde a primeira vez que entrou nas corridas na Ilha de Man TT em 1954, a Honda usou a pista como um campo de testes, fazendo um excelente progresso tecnológico nas áreas de velocidade e durabilidade, além de maximizar a segurança.

A Honda também aprendeu muito sobre estabelecer e encontrar metas difíceis através das suas atividades de corrida e rapidamente dominou os princípios da combustão do motor. O mecanismo CVCC foi o resultado do desenvolvimento de produtos através das atividades de competição da Honda.

O motor CVCC foi alvo de vários elogios não só pelas emissões limpas, mas também pela excelente eficiência de combustível, e a Honda mais tarde ofereceu estas tecnologias a outras empresas.

Até aos dias de hoje, a marca japonesa seguiu uma política inabalável em cumprir as obrigações sociais e oferecer as tecnologias que beneficiam o mundo. E esta política começou com o mecanismo CVCC.

A evolução de um modelo com 40 anos de história

O Civic é um dos pilares da Honda, sobretudo porque se confunde com a identidade, objetivos e ambição da marca japonesa. Já na sua décima geração, o Honda Civic não só se tornou a base para os automóveis compactos da Honda, mas desde então prevaleceu por largos períodos, tornando-se num verdadeiro “carro para as pessoas”, como o próprio nome sugere.

Esta é, sem dúvida alguma, uma história de sucesso, até porque, recorde-se, o Civic foi o 4º automóvel mais vendido do mundo em 2017. Espreite a evolução do primeiro até ao mais recente dos Civic (só os hatchback) na sua versão Type-R.

1973: Honda Civic RS

Este modelo, de design simples, tinha apenas 3,55 metros de comprimento e distância entre eixos de 2,20 m. O motor 1.2 de quatro cilindros obtinha boa potência para o seu porte (60 cv no Japão, 50 cv nos EUA) e não precisava de muito esforço para movimentar os seus 650 kg. O RS tinha versões de duas e três portas com o mesmo formato, sendo que o consumo era também um destaque deste modelo.

 

1979: Honda Civic 1500 SL

Sem perder a sua identidade, a segunda geração do Honda Civic foi lançada em julho de 1979 com linhas mais arredondadas e maiores dimensões. O três-portas agora media 2,38 metros entre eixos e 3,81 m de comprimento. Continuavam duas as opções de motores, ambas CVCC: de 1.3 com 55 cv (EUA) ou 72 cv (Japão) e de 1.5 com 67 ou 80 cv, respetivamente.

 

1985: Civic 1500 Si AT

Neste modelo da terceira geração, as linhas retas dominavam o design, tanto na versão hatch como na sedan. Este Si  tinha motor de até 135 cv no Japão, mas apenas 91 cv nos EUA.

 

1985: Civic CRX Si AS

Chamado de GT entre os europeus, este modelo foi considerado um verdadeiro desportivo. Performance, economia e estabilidade eram algumas das suas principais características. Com uma velocidade máxima de 222 km/h, poucos carros se aguentavam ao lado deste CRX.

 

1989: Civic Si-R EF

Este modelo de quarta geração foi um sucesso. Com uma excelente aerodinâmica e com alterações na suspensão em relação aos modelos anteriores, este Civic surge com o motor do CRX e 108 cv.

 

1992: Civic Si-R EG6

A quinta geração do Civic surge com linhas bem mais arredondadas com faróis de perfil baixo. O 1.5 e o 1.6 incluía uma ampla linha de motores potentes.

 

2001: Civic Si EP3

Mais refinado e elegante, este Civic de sétima geração surge em 2001. A versão Type-R apresenta-se com cinco portas e motor 2.0 de 160 cv, enquanto que o de três portas passava a 215 cv.

 

2007: Civic Type-R FN2

Este Type R, de oitava geração, surge equipado com motor de 2.0 e 200 cv. Foi um modelo com bastante sucesso não só no Japão e Estados Unidos, mas também na Europa.

 

2016: Civic Type-R FK2

Com motor turbo de 2.0 e 310 cv, este modelo de nona geração passava dos 0 a 100 km/h em apenas 5,7 segundos. O design bem mais desportivo fez as delícias dos amantes da Honda, uma vez que as linhas pareciam agora acompanhar a verdadeira dimensão da máquina do Type-R.

 

2017: Civic Type-R FK8

Na Europa, este modelo de décima geração vem equipado com motores de três e quatro cilindros sobrealimentados, culminando nos 320 cv do 2.0 litros turbo do Civic Type-R.

Em termos de dimensão, é o maior de todos os Civic já produzidos, ultrapassando os 4,5 metros de comprimento, praticamente um metro mais longo do que o primeiro Civic. Apesar disso, o novo Civic apresenta consumos muito semelhantes ao da primeira geração.

 

O Honda Civic em Portugal

Ao longo das ultimas 9 gerações, só em Portugal o Honda Civic vendeu mais de 92000 unidades. Esta décima geração é o programa de desenvolvimento mais extenso e que exigiu maior investimento da Honda e atualmente, está disponível com motor 1.0T / 1.5T gasolina e 1.6 diesel. Para mais informações sobre a máquina ou mesmo para marcar um test drive, consulte a página oficial da Honda em Portugal.

Veja também: