Publicidade:

Inscrição no Centro de Emprego: procedimentos e vantagens

A inscrição no centro de emprego é fundamental para quem está desempregado ou prestes a entrar no mercado de trabalho. Saiba tudo.

Inscrição no Centro de Emprego: procedimentos e vantagens
Saiba o que deve fazer, passo a passo

inscrição no Centro de Emprego é um passo fundamental para todos os que estão ou prevêem ficar desempregados, assim como para aqueles que pretendem candidatar-se ao primeiro emprego.

Do acesso ao subsídio de desemprego – para desempregados, após trabalharem durante tempo igual ou superior a 1 ano – ao Plano Pessoal de Emprego (PPE) realizado em conjunto entre o candidato e um técnico do IEFP, a inscrição no Centro de Emprego é muito importante. Só dessa forma é possível garantir apoio da segurança social e orientação técnica especializada para o (re)ingresso no mercado de trabalho.

Se não sabe como e porque deve fazer a sua inscrição no Centro de Emprego, nós apresentamos-lhe toda a informação de que necessita. Saiba quais os procedimentos, passo a passo e descubra as vantagens.

Para fazer a sua inscrição no Centro de Emprego, antes de mais, deve saber qual o balcão da sua área de residência. Depois, é só seguir as indicações, passo a passo.

Como e porque deve inscrever-se no centro de emprego


centro de emprego

Como fazer?

A inscrição no Centro de Emprego pode ser feita de duas formas:

  • de forma presencial – no centro de emprego da sua zona de residência;
  • Online – no portal do IEFP.

Se optar pela inscrição online poderá ser necessário deslocar-se ao centro de emprego, de forma a completar o processo. Porém, ao inscrever-se através do portal, o tempo começa a contar de imediato e o seu atendimento no serviço de emprego para requerer subsídio de desemprego é posteriormente agendado, evitando filas de espera.

Ainda assim, para que possa beneficiar do acompanhamento de um gestor de carreira, o melhor é deslocar-se ao balcão mais perto de si.

Há prazos?

No que diz respeito à (re)integração no mercado de trabalho, não existem prazos a cumprir. No entanto, quanto mais cedo fizer a inscrição no centro de emprego, melhor, sobretudo se falamos de desempregados que contam com mais de 1 ano de trabalho, visto que para requerer o subsídio de desemprego, o comprovativo de desemprego involuntário tem de ser apresentado no prazo máximo de 90 dias após a data de despedimento.

Também algumas medidas de apoio à contratação exigem que o candidato tenha estado inscrito durante um período de tempo mínimo. Portanto, logo que seja possível, inscreva-se.

Quais os requisitos?

Para se inscrever no centro de emprego, deve cumprir os seguintes requisitos:

  • possuir capacidade e estar disponível para o trabalho;
  • ter a idade mínima para trabalhar (16 anos) e ter cumprido a escolaridade obrigatória.

Além disso, deve dispor de um dos seguintes documentos de identificação atualizados:

  • bilhete de identidade ou cartão de cidadão + cartão de beneficiário da segurança social + cartão de contribuinte – se for cidadão nacional;
  • bilhete de identidade/cartão de cidadão de cidadão estrangeiro ou passaporte – se for cidadão de um país do Espaço Económico Europeu;
  • título que permite a sua permanência em Portugal e possibilita o acesso ao emprego – se for cidadão de país fora do Espaço Económico Europeu.

Os requerentes de prestações de desemprego devem ainda comprovar que se encontram na situação de desemprego involuntário, ou seja, por razões alheias à sua vontade.

Inscrição no centro de emprego: 6 vantagens

Apesar de não poder garantir o emprego ideal e com a rapidez desejável, a inscrição no centro de emprego representa um fator relevante no processo de procura, preparação e obtenção de trabalho.

Apresentamos algumas das vantagens de estar inscrito no centro de emprego:

1. Acesso a cursos de formação gratuitos (alguns deles financiados) do IEFP, para diversas áreas e graus de formação, de forma a complementar e adquirir competências profissionais (e pessoais).

2. Acompanhamento pessoal de um gestor de carreira, que o poderá apoiar na criação de um Curriculum Vitae (CV) adequado aos objetivos, assim como o desenvolvimento de um Plano Pessoal de Emprego (PPE), com etapas específicas e adequadas ao perfil do candidato, para o reintegrar no mercado de trabalho.

3. Consulta e candidatura às ofertas de emprego publicadas no portal do IEFP, para trabalhar em Portugal ou no estrangeiro, no setor privado ou público;

4. Divulgação automática do CV do candidato junto de diversos potenciais empregadores relacionados com a(s) área(s) de interesse.

5. Informação e apoio para acesso aos mecanismos de proteção social em caso de desemprego, como o subsídio de desemprego e/ou outros.

6. Informação sobre apoios ao empreendedorismo – criação do próprio posto de trabalho.

Plano Pessoal de Emprego (PPE)

O Plano Pessoal de Emprego (PPE) é o conjunto de etapas necessárias à (re)integração do desempregado no mercado de trabalho, contemplando:

  • ações para obtenção de emprego;
  • exigências mínimas na procura ativa de emprego;
  • ações de acompanhamento e avaliação a desenvolver pelo serviço de emprego.

O PPE é elaborado autonomamente pelo candidato, no caso da inscrição online para emprego, sendo posteriormente validado pelos serviços conjuntamente pelo desempregado e pelo gestor de carreira, no caso da inscrição presencial. Ao longo do percurso de inserção, o PPE pode ser reformulado/reajustado, terminando quando o desempregado encontra emprego e/ou quando a inscrição no serviço de emprego é anulada.

A par de todas as vantagens, em especial o apoio na procura de um (novo) trabalho, deve juntar determinação, empenho e foco. Perceba quais os caminhos possíveis, tire o máximo partido de tudo o que estiver ao seu alcance e trace um bom plano. Só pode correr bem.

Para ter acesso a mais informações aceda ao portal do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) >>

Descubra qual o centro de emprego da sua zona de residência e não deixe para amanhã o que pode fazer hoje.

Veja também:

Elsa Santos Elsa Santos

Formada em comunicação, conta com uma vasta experiência na área. Do jornalismo ao marketing digital, a escrita é o elo comum. Apaixonada por histórias, tem desenvolvido, nos últimos anos, diversos projetos de storytelling, copywriting e locução. É mãe de duas crianças, o que não lhe dá superpoderes, mas a obriga a estar permanentemente ligada.