Publicidade:

Instagram aperta o controlo a conteúdos inapropriados

É muito complexo impôr limites ao que quer que seja na Internet, mas mesmo assim o Instagram aperta o controlo e tem medidas contra conteúdos impróprios.

Instagram aperta o controlo a conteúdos inapropriados
Conteúdos patrocinados recebem mais atenção

Apesar de sempre terem existido regras e políticas restritas no que toca à partilha de conteúdos, o Instagram aperta o controlo e quer agora impedir que conteúdos menos próprios se espalhem por todas as contas dos utilizadores – incluindo aqueles com menos idade.

O que é “inaproriado” para o Instagram?


A regras de utilização de uma rede social variam de plataforma para plataforma, ainda que sejam mais ou menos comuns naquelas detidas pelo Facebook: nomeadamente o Instagram. Sendo esta uma das redes com mais fãs em todo o mundo, é natural que exista um tipo de filtragem próprio que impeça a publicação de conteúdos impróprios.

Mas o que é que o Instagram considera inaproriado? Todas as publicações que sugiram práticas sexuais ou incitem à violência, por exemplo. É claro que é impossível filtrar os milhões de posts que são publicados a cada segundo na plataforma, pelo que a ação da rede social vai incidir numa outra funcionalidade da mesma.

mulher usa instagram

O que vai mudar

O Instagram não consegue avaliar, em tempo real, quais as publicações consideradas “inapropriadas”, distinguindo-as das outras. Principalmente por esse motivo, a plataforma quer regular os conteúdos que são publicitados e que surgem no feed dos utilizadores com base nas suas preferências.

Isto significa que, se um utilizador seguir uma conta que publica conteúdos menos próprios, o Instagram não poderá, em situação alguma, impedir que isso aconteça. Por um lado, não pode proibir que o utilizador siga determinada conta, nem pode impedir que, do outro lado, não se publiquem os referidos conteúdos.

Assim sendo, posts de índole sexual ou que incitem à violência (física ou psicológica) não poderão ser impedidos pela rede social, mas vão ser impedidos de surgirem no feed de outros utilizadores que, não seguindo essas contas, não têm motivo para ter acesso às mesmas durante o seu tempo na plataforma.

A medida vai também ser implementada nas sugestões dadas pela aplicação, na barra de pesquisa e ainda na página de hashtags. Em declaração, o Facebook (dono do Instagram) afirmou implementar esta (e mais) medidas em todas as suas aplicações, garantido maior segurança e privacidade aos seus utilizadores.

Regras não se alteram

As regras implementadas inicialmente pelo Instagram não serão alteradas, pelo que apenas vai ser feito um reforço nas mesmas de modo a impedir a proliferação de conteúdo impróprio na aplicação. Assim sendo, a rede social vai continuar a eliminar todas as publicações que não respeitem as regras da comunidade.

Entre essas, estão as partilhas que incluam discursos de ódio, nudez e ameaças violentas. Para além da eliminação (quase imediata) desses posts, a ação do Instagram vai incidir em conteúdo sexualmente sugestivo e/ou violento, que será classificado como “conteúdo de baixa qualidade” e, assim, impedido de surgir no feed dos utilizadores.

Existem outras alterações associadas à plataforma que já estão, inclusive, em curso.

pessoas usam o instagram

Ação depende dos utilizadores

Com mais de mil milhões de utilizadores em todo o mundo, é natural que o Instagram não consiga controlar cada uma das contas de forma personalizada. Como tal, as novas regras que impedem o surgimento de conteúdo inapropriado só se aplicam àqueles que, de facto, não seguem (nem nunca seguiram) esse tipo de conteúdo na rede social.

Tudo depende, por isso, de cada utilizador. Aqueles que, por opção própria, seguem esse tipo de conteúdo, não serão impedidos de o fazer. Will Ruben, Product Manager do Instagram, afirmou que as novas regras não irão impedir a ação de ninguém dentro da aplicação.

Seguindo esse tipo de páginas, nada se irá alterar, pelo que as alterações apenas se vão aplicar àquelas contas que nunca procuraram, gostaram ou interagiram com esse género de conteúdo. Desta forma, resta saber se as novas medidas vão agradar todos os utilizadores.

Utilizadores não receberam bem a novidade

Atualmente, o Instagram não é muito bem visto neste sentido, sendo mesmo acusado por alguns utilizadores de ocultar (deliberadamente) informação e contas relevantes para os mesmos. Esta nova medida pode, inclusive, irritar algumas pessoas, que acabam por estar impedidas de aceder a conteúdo de forma livre.

Esta mudança significa que, ao seguir uma conta de um utilizador que partilha conteúdo considerado próprio pelo Instagram, todos os seus posts (ou a maioria) aparecem no seu feed da forma habitual. No entanto, se esse utilizador partilhar um fotografia/vídeo classificado como inapropriado pela rede social, será que a conta será sobreposta por outras?

Esta é a questão que está ainda por confirmar pela empresa que, baseando a sua ação num algoritmo próprio, deixa por saber se, em casos destes, estas contas serão substituídas por outras (que nunca tenham partilhado conteúdo inapropriado) no feed do utilizador.

A verdade é que, aqueles que são considerados instagramers ou influencers, e que baseiam a totalidade do seu rendimento no conteúdo que partilham nesta rede social, criticam a medida – já que esta vai impedir que os seus posts cheguem a mais pessoas.

Tal acontece porque o separador de pesquisas e o de hashtags serão dois dos mais afetados com a implementação desta medida. Por outras palavras, as publicações feitas pelos profissionais do Instagram vão aparecer a menos pessoas do que inicialmente, reduzindo o seu alcance e, consequentemente, o valor que poderiam lucrar com as mesmas.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.