Publicidade:

O melhor leitão assado fora da Bairrada. Onde pode comer?

Este prato é considerado uma das 7 Maravilhas Gastronómicas de Portugal e sabe sempre bem. Mas onde pode comer leitão assado fora da Bairrada?

O melhor leitão assado fora da Bairrada. Onde pode comer?
Existem vários locais em Portugal para comer leitão

Se antigamente o seu consumo era apenas associado a dias festivos e a uma zona do país, hoje há vários momentos e locais para comer leitão assado fora da Bairrada.

De Norte a Sul do país há diversos restaurantes para usufruir desta delícia gastronómica que é um excelente embaixador do que de melhor se come em Portugal. Como é óbvio, ninguém contesta a “paternidade” da região da Bairrada no que ao leitão diz respeito. Mas a verdade é que este já se transformou num prato que galgou as fronteiras regionais, entrando no roteiro da gastronomia nacional.

Por isso é que um pouco por todo o país é possível comer leitão assado de grande qualidade, a maior parte da vezes com a designação “à bairrada” bem visível. De Norte a Sul o leitão assado é uma iguaria a que muito pouca gente resiste.

6 locais para comer leitão assado fora da Bairrada


Monte dos Leitões, Guimarães

Na cidade onde nasceu Portugal, também se come bom leitão, nomeadamente no Monte dos Leitões, onde este prato é preparado com todo o rigor que o tradicional método exige.

O leitão é proveniente de um fornecedor da Bairrada e depois assado em forno, tal como se quer.

Manjar dos Leitões, Póvoa de Varzim

Num prédio moderno, à beira da antiga estrada nacional 13 e com estacionamento à porta encontra-se o Manjar do Leitões. É este o local para comer leitão na Póvoa de Varzim.

“Os leitões são de bom tamanho, assam em fornos próprios com o tempero, o calor e o tempo adequados, ao almoço e ao jantar, e chegam à mesa com a pele estaladiça, a carne macia, o sabor delicioso, acompanhados com batatas fritas finas, também estaladiças, e salada”. É a promessa do espaço, que já nos criou água na boca.

O Zé Pacheco, Gondomar

Situado em Baguim do Monte, bem perto do centro do Porto, “O Zé Pacheco” há mais de 30 anos que é uma referência nacional na confecção e venda para fora de leitão assado.

A aventura começou com a venda de leitões vivos pelas feiras a norte. Mais tarde, o fundador, José Gadelho Castro, decidiu arranjar um espaço para começar a confecionar a iguaria, naquela que foi uma ação considerada bastante inovadora. Hoje, é um dos espaços de referência na região do Grande Porto.

Rui dos Leitões, Coimbra

Este restaurante é uma casa de aspeto tradicional com salas amplas, onde pode desfrutar de um excelente leitão da Bairrada, considerada a especialidade do local, assim como o Bacalhau à Casa, Costeleta de Novilho ou Bife à Casa.

Com o peso em vivo a oscilar entre os seis e os oito quilos e de tenra idade (entre um mês a mês e meio de idade), o leitão sai do leite materno para se transformar numa iguaria preparada para que possa desfrutar de grande sabor.

Dom Leitão, Lisboa

O restaurante Dom Leitão bem pode regozijar-se com a qualidade do serviço que tem vindo a prestar, o que o torna num dos melhores espaços para comer leitão assado fora da Bairrada.

Para ajudar à fama, o restaurante também recebe algumas das melhores vozes do fado português, o que torna possível desfrutar no mesmo local de tantas coisas boas nacionais.

Antiquários dos Leitões, Loulé

No Sul também é possível desfrutar de um delicioso leitão, mais propriamente em Loulé, onde se localiza o restaurante Antiquários dos Leitões.

O local possui uma ementa pequena, o que permite “garantir a qualidade dos cozinhados aqui preparados”.

Além do leitão, pode também comer bacalhau, bife e frango, acompanhados de uma grande variedade de vinhos de qualidade.

Por que é o leitão da Bairrada tão popular?


Leitão assado

Tudo começa pelo tipo de carne utilizada. Antes demais, é preciso ter em conta que o peso ideal do animal em vivo é entre 7 a 8kg e as raças de maior qualidade são Bísara e Malhado de Alcobaça.

Depois segue-se o tempero, cuja tradição implica o uso de alho, sal pimenta, salsa, toucinho, banha de porco e folha de louro. Depois de bem untado com a pasta preparada, introduz-se os temperos, que devem também ser introduzidos na barriga e nas restantes partes vazias do animal. Em seguida, cosem-se os rasgos e realizam-se umas picadas na pele e nas coxas para a pele ficar bem estaladiça enquanto assa.

No processo de cozedura, nada melhor do que utilizar um forno a lenha, de preferência aquecido também com cascas ou madeira de eucalipto ou vides, até à temperatura de 300ºC. O leitão deverá assar lentamente durante cerca de 2 horas em espeto de louro, que deve ser rodado lentamente, para que asse de forma uniforme. Durante o processo ainda se deve borrifar o leitão com vinho branco da Bairrada, para tornar a pele mais estaladiça e impedir que esta queime.

Quando cozinhado, o leitão da Bairrada deve ser consumido quente ou morno para que os seus aromas fiquem mais intensos. Mas o empratamento também é algo bem tradicional e o que confere a fama a esta refeição. O leitão deve ser servido com a pele virada para cima, sem sobrepor a carne e acompanhado de rodelas de laranja.

A preparação do processo do leitão da Bairrada é complexa, mas que resulta num prato final cheio de sabor e história.

Veja também: