Publicidade:

Os 10 livros preferidos das mulheres, mas que são para todos

Aproveite as suas merecidas horas de descanso para se dedicar às leituras dos 10 livros preferidos das mulheres. Há-os para todos os gostos!

Os 10 livros preferidos das mulheres, mas que são para todos
Tire tempo para si e para as leituras

Não é por sermos do dito sexo fraco que nos reduzimos aos mesmos interesses e inclinações. Por isso, nesta lista de livros preferidos das mulheres, procuramos trazer títulos que vos inspirem e vos façam sonhar, com protagonistas femininas ou autoras incríveis.

10 livros preferidos das mulheres: viagens pela ficção, romances, biografias, ficção-científica e crime


1. Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

Lizzie vive com a família, num pequeno burgo na parte rural de Inglaterra, durante o século XIX. Por ser mulher em idade casadoira e a segunda mais velha de cinco irmãs, é pressionada pela mãe para se casar. Mas ela é uma pessoa orgulhosa, com a sua própria opinião, idealista, não querendo casar-se apenas por segurança e interesse. E isto é especialmente notável, se pensarmos que as leis de sucessão na altura determinavam que a propriedade passava de um homem para o seu familiar masculino mais próximo. Ou seja, Lizzie, as irmãs e a mãe só teriam um teto enquanto o pai fosse vivo. O outro protagonista, Darcy, de uma classe social superior e bem mais abastada, quando conhece Lizzie e a família desta, é arrogante e preconceituoso, desdenhando deles. Eventualmente, o orgulho dela e o preconceito dele são ultrapassados à medida que se vão conhecendo melhor. Um dos livros preferidos das mulheres mais adaptados ao cinema.

 

2. Vigdis, a Indomável, de Sigrid Undset

A história passa-se entre a Islândia e a Noruega do século XI. Vigdis, uma rapariga bonita, filha única e mimada, é violada pelo homem por quem está apaixonada, daí nascendo o seu único filho. Por causa das vicissitudes da vida, Vigdis aguça a sua inteligência, torna-se mais corajosa e arrojada, defendendo a sua autonomia num mundo de homens, vingando-se de todo o macho que lhe fez mal ou à sua família. Este é daqueles livros pefeitos para quem procura a sua força interior e fazer frente aos obstáculos.

 

3. Dentes Brancos, de Zadie Smith

Este romance narra a história de dois amigos que se conheceram durante a Segunda Guerra, Archie Jones (inglês, branco) e Samad Iqbal (da Índia, antiga colónia britânica), e que se reencontram em Londres, depois de 30 anos. Agora, na década de 90, já têm família, filhos adolescentes e problemas. Este é um livro muito poderoso, que trata de temas sensíveis e sempre atuais como a imigração, as nossas raízes, raça, assimilação, fundamentalismo e confronto geracional.

 

4. As Coisas que os Homens me Explicam, de Rebecca Solnit

Este, sim, é um dos livros preferidos das mulheres (e não só), que se interessam por temáticas mais próximas das críticas e reivindicações feministas. Resumidamente, trata-se um conjunto de ensaios sobre a desigualdade de género e sobre as várias manifestações de violência dirigidas às mulheres. A realidade descrita pela autora é uma de tratamento condescendente, exploração, agressão e o assassinato, e é sobretudo relativa ao que se passa nos EUA. Não deixa de trazer reflexões interessantes que podem muito bem ser aportadas à nossa realidade portuguesa.

 

5. O Poder, de Naomi Alderman

Num futuro próximo, as mulheres ganham o poder de inflingir uma dor excruciante e matar com a mesma facilidade com que respiram. A mudança ocorre de repente, e uma nova ordem social emerge. Uma nova ordem em que são as mulheres que dominam e um homem não pode sair sozinho à noite em segurança. Para dar profundidade a este mundo, a autora explora-o através dos olhares de várias personagens femininas de distintas origens e estatutos sociais. Trata-se, no fundo, de um livro sobre as desigualdades de género que ainda marcam os dias de hoje.

 

6. Diário de Bridget Jones, Helen Fielding

Este é um dos livros preferidos mulheres mais marcantes da década de 1990, provavelmente o Chick Lit mais conhecido de sempre. Escrito na primeira pessoa, como se fosse um diário, este romance narra um ano da vida fabulosa, desastrada, divertida e catastrófica de Bridget Jones. Bridget é obcecada pela sua vida amorosa – ou pela falta de uma – e, apesar das exigências que tem consigo própria em relação ao seu peso, é indulgente no que toca a consumos de bebida e tabaco, já para não falar da sua queda para constrangimentos no trabalho. Toda a gente conhece a sua história por causa do filme, mas não há nada como ler o livro original para encontrar novas piadas.

 

7. Faça Acontecer – Lean In, Sheryl Sandberg

Ao contrário do que acontecia antigamente, as mulheres estão mais presentes no mercado “convencional” de trabalho. Sim, porque trabalho inclui trabalho doméstico, apesar não contar para cálculos de PIBs. Mas adiante, apesar de as mulheres estarem mais presentes no mercado, a verdade é que os cargos de chefia são em larga medida ocupados por homens. Ora, a autora é a excepção à regra e quer inspirar outras mulheres a que o sejam também. E olhe que esta não é uma mulher qualquer! Sheryl Sandberg é chefe de operações do Facebook. E antes disso, ocupou o cargo de vice-presidente dos grupos de vendas e operações online da Google, e foi ainda chefe de gabinete do Departamento do Tesouro do governo Clinton. É ou não é incrível?

 

8. Histórias de Adormecer Para Raparigas Rebeldes, Elena Favilli e Francesca Cavallo

Este é um livro pensado especialmente em jovens raparigas, e é uma ótima chamada de atenção para algumas das grandes mulheres que já passaram por este mundo, especialmente se repararmos que a História normalmente foca os homens. Mas, claro, toda a gente deve ter esta leitura o conhecimento não ocupa espaço, e a cultura geral também não.

 

9. Amor e Chocolate, Dorothy Koomson

Se gosta de literatura romântica e erótica, então tem de ler este. O romance acompanha a vida de Amber Salpone, diretora executiva de um festival de cinema, que tem a mania de atribuir um sabor de chocolate às pessoas consoante a sua personalidade e conduta. Ela e o melhor amigo Greg, um mulherengo de primeira, começam a aproximar-se, o que intimida Amber, que tem fobia a compromissos. No fundo, é um livro sobre a vida de cada um de nós, sobre relações, anseios e hesitações. E se está à procura de uma leitura para dar umas gargalhadas, não procure mais.

 

10. Em Parte Incerta, Gillian Flynn

O último título dos livros preferidos das mulheres é o Em Parte Incerta, ou Gone Girl, da estrondosa Gillian Flynn. Nick e Amy são o jovem casal perfeito, cúmplice, apaixonado. Pelo menos até ao dia que Amy desaparece, e as suspeitas recaem sobre o marido, que se torna alvo de escrutínio nos media. A relação deles deixa de parecer tão perfeita e Nick poderá ser, na verdade, um assassino.

 

Da nossa lista dos livros preferidos das mulheres, quais lhe interessam mais?

Veja também: