Publicidade:

8 marcas de carro que já não existem: recorde-as

Recorde ou fique a conhecer 8 marcas de carro que já não existem e, também, os seus modelos mais emblemáticos que ficaram para a história do mundo automóvel.

8 marcas de carro que já não existem: recorde-as
Conheça a história destas marcas automóvel já desaparecidas

Muitas são as marcas de carro que já não existem, mas que gravaram na memória dos verdadeiros apreciadores da indústria e do design automóveis, tempos inesquecíveis de gerações muito próprias. Se é um destes entusiastas, embarque connosco nesta viagem a um passado distante, onde o design automóvel era de uma supremacia inigualável.

Há modelos famosos que ficaram registados em filmes, anúncios e fotografias, cuja produção estagnou, mas vale sempre a pena recordá-los e prestar-lhes tributo. Contudo, algumas marcas nem sempre obtiveram a melhor gestão por parte dos seus representantes. Classicamente, uma marca nasceu sempre através da visão do seu criador, mas nem sempre as premissas inicialmente instaladas foram manifestadas ao longo das gerações seguintes.

Conheça algumas das marcas de carros que já acabaram, perceba os motivos para o seu fim e alguns dos seus modelos mais memoráveis.

8 marcas de carros que já não existem, mas vale a pena recordar


Embora os seguintes carros sejam exemplos de modelos de marcas de carros que já não existem, podemos afirmar que, na memória de muitos, estes carros permanecem bem vivos. Recorde alguns clássicos que deixaram de existir nas estradas.

1. Triumph 

A Triumph foi inicialmente uma das marcas da BMC/Leyland/Austin-Rover/MG Rover. A marca designava-se por Triumph Motor Company e era britânica, tendo encerrado atividade após quase 100 anos, em 1984.

Em 1984, a BMW adquiriu a Triumph, mas apenas a parte dedicada à produção de motas.

Um modelo inesquecível, do tempo das 4 rodas da Triumph é o Spitfire, um modelo famoso que foi produzido entre os anos de 1962 e 1980.

 

2. Plymouth

Nenhum apaixonado pelo mundo automóvel ou, mais especificamente pelos “Muscle Cars” – aqueles com potência, tamanho e performance elevadas –, pode desconhecer ou não sentir saudades da Plymouth e do seu carismático último modelo: o Prowler. Com um visual incrível e arrebatador, este modelo era suficiente para colocar a marca Plymouth a correr pelos jornais e campanhas televisivas por todo o mundo e foi um autêntico embaixador da “liberdade louca” sobre rodas.

Emblemáticos foram também os seus icónicos modelos Hemi Cuda, GTX, Superbird e Road Runner. Imagine o que seria vê-los de novo nas estradas…

 

3. TVR

Outra das marcas de carro que já não existem é a britânica TVR. Esta era uma construtora independente de carros, que se focava em carros desportivos, especialmente naqueles com modelos compactos, leves e equipados com motores de potência elevada.

Um dos modelos inesquecíveis desta marca, cuja sigla derivou do nome do seu fundador, Trevor Wilkinson, foi o famoso TVR Sagaris de 2004.

Esta marca foi descontinuada em 2012, após algumas dificuldades financeiras sofridas pela empresa.

A boa notícia é que, em junho de 2013, esta empresa renasceu, pelas mãos do empresário Les Edgar, que prometeu manter esta essência mais irreverente da marca, com motores dianteiros muito potentes, tração traseira e com a mínima assistência tecnológica possível.

Desde 2015 que a marca tem lançado novos modelos. Fica no ar a questão: será possível voltarmos a ver um Sagaris nas ruas ou, mesmo, uma evolução do mesmo?

 

4. Tucker

Com experiência em veículos militares e aeronaves, Preston Tucker aproveitou o fim da guerra para se aventurar no segmento automóvel. O seu famoso modelo 48, também designado por Torpedo, inclui recursos inovadores para a época.

A marca acabou por deixar de existir, após Tucker ter sido acusado de criar o projeto unicamente como angariação de fundos para proveito próprio, enganando investidores. Esta suposta fraude levou Tucker a julgamento e ele perdeu a causa.

 

5. Puma

A marca Puma – uma construtora de automóveis brasileira – tem o seu primeiro modelo GT Malzoni, concebido pelo próprio Rino Malzoni. Ele foi projetado especificamente para competições, no início dos anos 60. Deste modelo, foi lançada uma versão de rua, produzida entre 1964 e 1966. Esta versão passou, mais tarde, a incorporar a plataforma “a ar” dos Volkswagen.

No fim de vida, a empresa dedicou-se ainda à produção de camiões. Contudo, em 1990 fechou portas.

 

6. Saab

A marca Saab é outra das que merecem destaque na nossa lista das marcas de carro que já não existem. Vítima da falência da General Motors, em 2009, esta marca era o combinar de segurança com uma personalidade afincada.

Dos seus modelos mais carismáticos, destaca-se o 900 Turbo. Este modelo foi o verdadeiro “responsável” pela loucura turbo na década 80.

Uma boa notícia para quem conhece e admira esta marca é que, tal como no caso da TVR, esta marca pertence agora a outro proprietário, uma empresa chinesa chamada National Electric Vehicle Sweden AB que, até ao momento, dedicou-se à produção e lançamento de carros Saab 9-3 com motores elétricos.

 

7. Delahaye

A Delahaye é uma marca que nem todos conhecem e, talvez, só os maiores apreciadores de automóveis, da velha guarda, a conheçam. Contudo, os que a conhecem sabem que podem classificá-la como uma das melhores fabricantes francesas de sempre.

A marca Delahaye nasceu em 1895 e fechou em 1954. No seu período de vida, lançou modelos com ótimo desempenho, que se distinguiam dos demais pela sua aerodinâmica incrível, sendo um bom exemplo disso mesmo o roadster 135 MS, de 1938 de 135 cv.

 

8. Pontiac

Igualmente vítima da falência da General Motors, em 2009, a marca Pontiac não poderia faltar nesta nossa lista das marcas de carro que já não existem e o motivo é bastante evidente.

A norte-americana Pontiac, fundada em 1926, era bastante popular pela qualidade dos seus modelos e por desenvolver carros de alta cilindrada que não exigiam um grande investimento.

Memorável foi o facto de ter sido esta a marca responsável pela criação do primeiro Muscle Car da história, o famoso GTO, em 1964.

Após o seu auge, que consideramos ter sido o lançamento da última geração do GTO e do G8 – ambos carros desportivos de tração traseira e motor V8, como um Muscle Car que se preze deve ter –, a marca acabou por desaparecer do mercado em 2010.

Outro dos modelos também inesquecíveis que a marca lançou foi o Pontiac Firebird.

 

Se a nostalgia chegou a si e, caso não tenha sido a primeira vez que ouviu falar de alguma destas marcas, a boa notícia é que algumas delas estão novamente em boas mãos e prometem colocar a sua história em crescimento.

Marcas de carro que já não existem passaram a existir novamente graças a alguns “resgates” de grupos sólidos que decidiram dar uma nova vida a algumas delas. A Bugatti é um desses casos, cuja “ressuscitação” deveu-se à insistência do grupo Volkswagen em querer recuperar todo o elitismo e a arte de conceber automóveis, reconhecidos à construtora francesa.

Mas, independentemente do que existiu ou ainda existe, o importante a reter é que o que nasce, prevalece; e o que se mantém, restaura-se; mas mesmo o que “vai”, fica na história e “vira” mito como é o caso destas marcas de carro que já não existem.

Veja também: