Publicidade:

MB Way vai passar a ser pago? Só se quiser

Quer se saber se o MB Way vai passar a ser pago? Nós dizemos-lhe que depende… depende do que decidir fazer. Saiba porquê.

MB Way vai passar a ser pago? Só se quiser
A decisão é sua

O sistema de pagamentos por telemóvel está mais do que na moda e torna-se difícil encontrar alguém que ainda não tenha ouvido falar daquela aplicação de telemóvel milagrosa que até nos deixa levantar dinheiro na caixa multibanco sem cartão. Mas nas últimas semanas a questão tem subido de tom: o MB Way vai passar a ser pago?

O nosso conselho é que não fique alarmado, pelo menos para já. A teoria de que o MB Way vai passar a ser pago tem muito que se lhe diga, e não é de um dia para o outro que os bancos vão começar a ir ao seu bolso de surpresa. Vamos analisar o caso com calma.

O MB Way vai passar a ser pago?


MB Way vai passar a ser pago?

Começamos pela questão mais essencial de todas, e vai ficar surpreendido com a resposta: não, o MB Way não vai passar a ser pago. Pelo menos não a aplicação – mas é isso que o MB Way é: uma aplicação.

Vamos por partes, então. O MB Way é uma aplicação de telemóvel que lhe permite associar um ou vários cartões de débito e crédito ao seu número de telemóvel e utilizá-los mediante a autenticação num sistema seguro (que utiliza códigos PIN e até a sua impressão digital).

Uma vez associados os cartões, pode fazer com o seu telemóvel praticamente tudo o que, até aqui, fazia numa caixa multibanco, desde pagamentos a transferências e até levantamentos (claro que, neste último caso, teria sempre de ir a um multibanco para recolher as notas).

A excelente fama que o MB Way conquistou nos últimos meses não nasceu por acaso. Graças a todas estas funcionalidades, o nosso telemóvel tornou-se o nosso melhor amigo na hora de pagar: já não precisamos de andar com dinheiro no bolso, não temos dificuldade em transferir a nossa parte de um jantar de grupo para o amigo que o pagou, até conseguimos “ordenar” a uma caixa de multibanco, à distância, que entregue dinheiro ao nosso filho sem que ele tenha cartão para fazer levantamentos.

Esta aplicação que acabámos de lhe descrever é gratuita e assim vai continuar – essa é a promessa da SIBS, que é responsável pelo sistema.

Então, de onde surgiu a teoria de que o MB Way vai passar a ser pago? Surgiu de onde surgem as ideias de cobrar dinheiro aos clientes: dos bancos. São os bancos que ameaçam cobrar pela utilização do serviço MB Way, e não a plataforma em si. Assim, não é o MB Way que vai passar a ser pago, mas a integração dos serviços bancários com essa aplicação.

Então, vai pagar ou não?


Isso depende do seu banco. A aplicação MB Way é só um intermediário nas operações que realiza: quando, por exemplo, faz uma transferência através do telemóvel, continua a precisar que o seu banco liberte o dinheiro e o envie para outro bancoe é por essa operação que os bancos querem cobrar.

Na realidade, o que se procura aqui é uma equiparação das transferências feitas por MB Way às transferências feitas pelos serviços de homebanking – se os bancos cobram por umas, também querem cobrar pelas outras.

A boa notícia (ou má, para os clientes deste banco) é que, para já, só o BPI avançou oficialmente com a atribuição de um preçário às transferências por MB Way: 1,20€ por cada transferência a partir de maio de 2019. Dos outros 13 bancos aderentes não há notícias oficiais no mesmo sentido, embora seja de prever que é tudo uma questão de tempo até começarem, também, a querer lucrar com o conforto dos clientes.

Assim, se é cliente do BPI, a notícia é pouco animadora para si. No entanto, desde agosto de 2018 é possível realizar transferências MB Way através da BPI App e, neste canal, o preçário continua isento. Os clientes BPI também não pagam se dispuserem da Conta Valor BPI.

Se não é cliente do BPI, mantenha-se atento às atualizações do preçário do seu banco nos próximos tempos. Mais uma vez, repetimos: a teoria de que o MB Way vai passar a ser pago é falsa, pelo que, se notar que alguém está a cobrar-lhe comissões pelas transferências, esse alguém é o seu banco e não a aplicação que tem no telemóvel.

O MB Way vai passar a ser pago em todas as operações?


MB Way vai passar a ser pago?

Esta é uma boa notícia para todos – até para os clientes do BPI: mesmo que a cobrança desenfreada arranque, ela aplica-se só às transferências de dinheiro entre contas bancárias, ou seja, todas as outras operações do MB Way ficam a salvo.

As compras online com número de telemóvel, a utilização do MB Net, as compras com QR code e os levantamentos sem cartão continuam a ser serviços gratuitos, pelo menos enquanto as notícias de que a app MB Way vai passar a ser paga forem falsas. A única coisa que vai pagar comissões são as transferências.

Vale a pena continuar a usar o MB Way?


Perante tudo o que vimos antes, a conclusão é de que, para já, vale a pena continuar a usar a aplicação MB Way. Mesmo que o seu banco opte por começar a cobrar comissões nas transferências, pode sempre abrir conta noutro banco que não as cobre e associá-la ao seu telemóvel – e, sendo 14 os bancos aderentes ao sistema, é de prever que ainda encontre bancos “amigos” do cliente durante bastante tempo.

Mesmo que não queira abrir conta noutro banco, continua a valer a pena ter a aplicação no telemóvel, já que todos os outros serviços vão continuar gratuitos.

Veja também:

Marta Maia Marta Maia

Jornalista de formação, trabalhou no Público e na Fugas, mas logo passou para o lado do Marketing. Apaixonada pelo digital e por pessoas, é poupada por natureza e faz questão de tratar o dinheiro com o respeito que ele merece. Ecologista convicta, não dispensa música, livros e boas conversas offline.

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O E-Konomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].