Publicidade:

5 métodos de poupança: qual o melhor para si?

Saiba quais são os melhores e mais populares métodos de poupança para poder aplicar um deles no seu dia a dia. Veja a sua poupança crescer com sucesso.

5 métodos de poupança: qual o melhor para si?
Adira a um destes métodos para poupar com sucesso

É importante conhecer métodos de poupança para que seja possível aplicá-los no dia a dia. Muita gente vê estes métodos como um regime de corte no orçamento e, consequentemente, de vários sacrifícios para conseguir economizar.

No entanto, adotar métodos de poupança não significa ter de abdicar de inúmeras coisas às quais já se habituou, pois existem diferentes técnicas orçamentais que atendem a uma variedade de gostos.

Conheça algumas das técnicas mais populares e escolha aquela que se adequa ao seu quotidiano e às suas necessidades financeiras.

5 métodos de poupança que deve conhecer


metodos de poupanca

1. Orçamento tradicional

Este é um dos métodos de poupança mais conhecidos pela maioria das pessoas. Para colocá-lo em prática, deve fazer uma lista onde inclui os valores da sua renda e despesas mensais, para controlar melhor os gastos e perceber se está a ganhar mais do que aquilo que recebe.

Depois, deve estabelecer metas para quanto deseja gastar em cada categoria que criar nessa lista, como por exemplo alimentação, entretenimento e gasolina. Nunca gaste mais do que ganha, pois isso significa que não estará a poupar nada.

O Orçamento Tradicional é uma técnica mais indicada para pessoas organizadas e que têm mais tempo, pois assim não se esquecerão de ir atualizando a lista.

2. Orçamento 50/30/20

Este é outro dos métodos de poupança mais populares, sendo um plano simplificado no qual deve dividir as suas despesas em três categorias: necessidades, desejos e economias. Saiba que, do seu salário líquido, 50% deve ser destinado às necessidades, 30% aos seus desejos e 20% deve ser a poupança.

Poderá ser difícil para si perceber o que são as suas necessidades e os seus desejos, por isso iremos dar-lhe uma ajuda ao defini-los. As necessidades devem incluir aquilo que não pode mesmo deixar de ter no seu dia a dia.

É possível que ache que determinado bem alimentar seja uma necessidade, mas na verdade poderá ser apenas um desejo e não algo essencial para o ser humano (refrigerantes, álcool, leite com chocolate, iogurtes, chocolates, bolachas, entre outros). Já as frutas e os legumes são uma necessidade, por exemplo.

3. Orçamento 80/20

Outra técnica que deve integrar a lista de métodos de poupança é o Orçamento 80/20, sendo mais simples do que o 50/30/20. Neste método basta guardar 20% do seu salário líquido para a poupança e usar 80% no que quiser.

Mas não se esqueça de que 20% deverá ser sempre o mínimo que deve economizar para ter uma boa vida, ou razoável, quando se encontrar na idade da reforma.

No entanto, este orçamento pode ser modificado para 70/30, 60/40 ou até mesmo 50/50. Faça a sua escolha consoante as suas prioridades e estilo de vida para que poupar não se torne custoso para si. O que interessa é economizar sempre os 20%, no mínimo.

4. Método das Várias Contas Poupança

Tal como no Orçamento 80/20, a pessoa que coloca esta técnica em prática pode decidir quanto precisa de economizar, devendo colocar o dinheiro economizado em contas poupança de acordo com os seus objetivos.

Ou seja, essa pessoa poderá abrir várias contas poupança e atribuir a cada uma delas um nome com base em metas específicas como, por exemplo, “reparações futuras do carro” e “férias em Londres”.

Depois, terá de definir um valor como meta para cada uma dessas contas, como 500€ para viajar até Londres em janeiro e 700€ para as reparações futuras no carro, e ainda perceber quanto poderá economizar por mês até atingir os objetivos pretendidos. Vá depositando aos poucos o seu dinheiro nas contas poupança.

5. Ferramentas e Apps de Orçamento

Apesar deste não ser considerado um método de poupança, pois não é uma técnica orçamental, vale a pena partilharmos consigo esta ideia.

Muitas pessoas, em especial aquelas que desejam criar um orçamento com itens mais tradicionais, usam softwares, ferramentas e aplicações que ajudam na organização das suas finanças.

Já existem inúmeros programas do género, que acompanham os gastos do utilizador dentro de uma enorme variedade de categorias sem que seja necessário recorrer a papel e caneta, entre eles:

Meu Orçamento

Esta aplicação, disponível para Android e iOS no valor de 2,89€, permite gerir e administrar o seu dinheiro, ao dar-lhe a possibilidade de ver as suas despesas a curto longo prazo, como por exemplo o que já gastou até então e que despesas tem ainda de suportar até ao final do mês.

É possível criar ainda no Meu Orçamento – no qual não precisa de se registar nem aceder à Internet para usá-lo – limites de orçamentos mensais para poder controlar os seus gastos.

Money Care

A Money Care é uma das melhores apps para poupar, pois ajuda o utilizador a controlar as suas despesas pessoais. Esta app simplifica a gestão de receitas e despesas e permite ainda ao utilizador consultar a situação financeira para o mês atual e para os próximos meses, além de criar relatórios com as despesas. Custa 0.89€ e é compatível com iPad, iPhone e iPod Touch.

Goodbudget

Esta app consegue categorizar o orçamento por ‘envelopes’, ou seja, os utilizadores podem criar ‘envelopes’ para cada uma das categorias de orçamento, entre elas compras, transportes, alimentação e saúde, entre outros. Assim poderá saber quanto está a gastar em cada ‘envelope’.

A Goodbudget permite manter assim assim alguma disciplina nas despesas ao fazer com que o utilizador esteja atento ao orçamento.

Wally

Disponível para iOS e Android, a Wally mostra um quadro completo das despesas diárias, semanais ou mensais do utilizador, separando em simultâneo as despesas em diferentes categorias.

Esta app destaca-se por permitir fazer o scan de faturas e automaticamente importar os detalhes da compra, o que livra os utilizadores da tarefa de realizar a computorização de cada detalhe dos gastos, já que a aplicação guarda todas as faturas.

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.