Publicidade:

Desvendamos 7 mitos sobre a gravidez

"Uma grávida tem de comer por dois" e "deve manter-se longe dos gatos". Estes são apenas alguns dos vários mitos sobre a gravidez. Conheça-os.

Desvendamos 7 mitos sobre a gravidez
Será que as grávidas não devem fazer exercício físico?

Alimentar-se corretamente, evitar beber demasiado café, descansar o suficiente, não fumar nem beber… As recomendações aquando de uma gravidez são claras e, por norma, fáceis de cumprir. Contudo, ainda há muitos mitos sobre a gravidez, que podem gerar alguma confusão.

Será que a forma e o tamanho da barriga permitem descobrir o sexo do bebé? A grávida deve manter-se longe de gatos? Revelamos 7 mitos sobre a gravidez.

7 mitos sobre a gravidez


1. A forma e tamanho da barriga indiciam o sexo do bebé

forma da barriga

“Barriga redonda é menina, barriga pontiaguda é menino”. Este é um dos muitos mitos sobre a gravidez e, talvez, um dos mais comuns! Porém, este argumento não tem qualquer fundamento médico. Assim sendo, para informações fidedignas, é necessário recorrer às ecografias e respetivos exames complementares.

A verdade é que a forma da barriga varia entre grávidas e há dois fatores principais que determinam essa mesma forma, sendo eles a posição em que o feto se encontra e o tamanho/peso do mesmo.

2. Não faz mal beber um copo de vinho

gravidez e alcool

Álcool e gravidez não combinam, razão pela qual uma grávida deve evitar beber álcool, sobretudo no primeiro trimestre da gravidez. A verdade é que o álcool passa livremente pela placenta, acabando por afetar diretamente o feto.

Por outro lado, uma ingestão contínua e abusiva de álcool pode atrasar o desenvolvimento do feto, causando problemas congénitos, físicos e comportamentais.

Uma das principais razões apontadas para esta má relação prende-se com o facto do fígado do feto ainda estar em formação e desenvolvimento. Deste modo, vai implicar que a metabolização do álcool seja duas vezes mais lenta do que num fígado adulto.

3. Não deve fazer exercício enquanto está grávida

grávida e exercício

Um estudo da Escola de Medicina de Houston, nos Estados Unidos, revelou que mães que praticam atividade física durante a gravidez têm mais 50% de probabilidade de terem filhos com um estilo de vida saudável.

Contudo, desportos em que existe muito contacto físico ou risco de queda são desaconselhados, como é o caso de futebol, hipismo, mergulho e atividades semelhantes.

Como tal, se antes de estar grávida já tinha por hábito praticar exercício físico, pode e deve continuar a fazê-lo, mas com algumas adaptações de exercícios para grávidas e, sobretudo, com a supervisão de um profissional. Ainda assim, antes de iniciar a prática de exercício físico é recomendável que se aconselhe com o seu médico obstetra.

4. Os enjoos matinais só acontecem no primeiro trimestre

enjoos grávida

Infelizmente, os enjoos matinais das grávidas não são um dos mitos sobre a gravidez. São um dos sintomas mais frequentes durante a gravidez, sendo um fator comum a 80% das grávidas. De modo geral, têm maior incidência durante a manhã e vão diminuindo de intensidade ao longo do dia e também com o avançar da gravidez.

Porém, também aqui há exceções e a verdade é que há grávidas que sentem enjoos durante os 9 meses. Ainda assim, há sempre um lado positivo: as náuseas, geralmente, indicam que estamos perante uma gravidez saudável, havendo vários truques que podem atenuar esses enjoos.

5. Não deve lidar com gatos

grávida e gato

Os gatos estão associados a uma doença que é a toxoplasmose. Porém, isso não quer dizer que tem de se afastar do seu animal de estimação durante a gravidez.

Podem coabitar perfeitamente no mesmo espaço, desde que tenha alguns cuidados. Um desses casos é no momento de trocar a areia do seu gato, aí deve fazê-lo de luvas e lavar sempre bem as mãos no final.

Por outro lado, é importante ter em consideração que a toxoplasmose, para além do contato simples, também pode ser passada através da ingestão de alimentos contaminados. Assim, deve evitar comer carne crua e lavar bem as frutas e os legumes.

6. Todas as grávidas sentem-se felizes

grávida feliz

Este é, talvez, um dos mitos sobre a gravidez mais sensível e que inspira mais atenção. Mas a verdade é que nem todas as grávidas têm uma gravidez fácil e tranquila.

Se, por um lado, há mulheres que conseguem trabalhar até ao final da gravidez, por outro há também as que desenvolvem uma gravidez de risco e, por isso, têm de estar em repouso absoluto, muitas vezes desde o início da gravidez.

Por outro lado, caso tenha alguma doença crónica ou tome medicação, pode ser necessário reavaliar o estado atual da doença, uma vez que pode ser necessário alterar a medicação.

7. A cesariana é a melhor opção

parto

Por último, um dos maiores mitos sobre a gravidez: cesariana ou parto normal? Esta é, na verdade, uma questão que não é muito consensual.

Muitas grávidas preferem uma cesariana a um parto normal, porque existe a ideia de ser um processo menos doloroso. Contudo, este argumento não pode ser analisado de forma tão literal e isolado.

A cesariana deve ser apenas realizada quando existem razões médicas para isso, tais como: o mau posicionamento do feto; salvaguardar o bem-estar da mãe; problemas de dilatação, etc.

Por outro lado, é preciso ter em conta o tempo de recuperação. Se a cesariana decorrer sem complicações, a incisão abdominal cicatriza dentro de cinco a sete dias. Ainda assim, os músculos abdominais não devem sofrer esforço durante seis semanas (ao contrário das mulheres que têm partos naturais).

Ana Araújo Ana Araújo

Natural do Porto, Ana Araújo é apaixonada por viagens e pela cultura espanhola, razão pela qual já viveu em três cidades espanholas. Licenciada em Ciências da Comunicação e Mestre em Marketing, possui experiência profissional de mais de oito anos, tendo estado sempre ligada à área dos conteúdos.