Publicidade:

Top 10 das mulheres mais influentes do mundo

Têm fama, dinheiro, cargos de relevância e as suas opiniões contam muito. Conheça as mulheres mais influentes do mundo.

Top 10 das mulheres mais influentes do mundo
Angela Merkel lidera a tabela há 7 anos

São mulheres consideradas poderosas porque se destacam na sua área profissional, influenciam opiniões, têm relevância na política e na sociedade, ou até porque ditam tendências. São vários os critérios para a escolha das mulheres mais influentes do mundo.

A lista das 100 mulheres mais poderosas e influentes do mundo é feita, todos os anos, pela revista de economia Forbes (veja a lista completa aqui). O dinheiro que possuem, o número de aparições nos media, o impacto na sociedade ou área de negócio e esferas de influência são os quatros campos avaliados para a seleção.

A publicação elege as 100 que sobressaem pelo estilo, personalidade ou o cargo que ocupam. Entre elas estão nomes como o da chanceler alemã Angela Merkel, a cantora Beyoncé, a mulher de Bill Gates (Melinda Gates) e a apresentadora norte-americana Oprah Winfrey. Conheça as principais e quais as novidades no ranking.

Top 10 das mulheres mais influentes do mundo

1. Angela Merkel

Pela sétima vez consecutiva, a chanceler alemã Angela Merkel lidera a tabela da Forbes das mulheres mais influentes do mundo. Merkel carrega nos ombros grandes responsabilidades políticas. Voltou a vencer as eleições na Alemanha sendo, por isso, líder do país mais poderoso da União Europeia (UE). É, aliás, tida como a líder da UE.

 

2. Teresa May

A primeira-ministra britânica entra direta para o segundo lugar da lista, destronando Hillary Clinton (agora na 63ª posição) que perdeu as eleições para a presidência dos Estados Unidos. Teresa May assume a liderança do Reino Unido tendo pela frente a difícil tarefa de conduzir o país rumo ao Brexit (saída da União Europeia) até 2019.

 

3. Melinda Gates

A esposa do fundador da empresa de software Microsoft é a copresidente da Fundação Bill & Melinda Gates, criada pelo casal. A Fundação é considerada a maior do mundo, tendo já doado mais de 41 mil milhões de dólares. A organização dedica-se a combater a pobreza, apoiar projetos relacionados com saúde, educação e acesso a tecnologia.

 

4. Sheryl Sandberg

A chefe de operações do Facebook, cargo que ocupa desde 2008, tem sido apontada como a principal responsável pelo aumento substancial de lucros da rede social. Sheryl Sandberg é autora de dois livros. Um deles, “Lean In”, deu origem ao nome da fundação que criou para apoiar iniciativas que visam promover o papel e voz das mulheres na sociedade.

 

5. Mary Barra

A CEO da General Motors têm mostrado o seu valor ao conseguir tornar rentável este gigante da indústria automóvel. Mary Barra aumentou em quase 10% os lucros da empresa em 2016 e tem mantido a General Motors na dianteira.

 

6. Susan Wojcicki

Começou como responsável de marketing na Google em 1999 e incentivou a que a empresa comprasse o canal de vídeo Youtube. Atualmente, e desde 2014, é CEO do Youtube, uma empresa que vale 90 mil milhões de dólares.

 

7. Abigail Johnson

Na área financeira destaca-se Abigail Johnson, a presidente da Fidelity Investments. A empresa dá trabalho a mais de 45 mil pessoas em todo o mundo e vale cerca de 17 mil milhões de dólares, o que faz desta mulher uma das mais ricas do mundo.

 

8. Christine Lagarde

Admirada por uns, odiada por outros onde as medidas de austeridade do Fundo Monetário Internacional (FMI) foram implementadas. Advogada de formação, Christine Lagarde é a diretora-geral do FMI responsável por manter a disciplina financeira.

 

9. Ana Patrícia Botín

Ana Patrícia Botín é presidente do Grupo Santander que detém o maior banco espanhol da atualidade, com 1o7 milhões de clientes. A empresária foi responsável pela controversa compra do Banco Popular por apenas 1€, após o ultimato dado pelo Banco Central Europeu, em Bruxelas, para evitar a queda do banco.

 

10. Ginni Rometty

De novo na área da tecnologia, destaca-se a CEO da IBM. Ginni Rometty tem impulsionado o crescimento da empresa que deixou de ser meramente um fabricante de computadores. Hoje em dia, a IBM está orientada a serviços cloud, big data e até inteligência artificial, áreas consideradas o futuro da tecnologia.

 

Outros destaques

Para além da queda abrupta de Hillary Clinton na tabela, há outros destaques na lista da Forbes das mulheres mais influentes do mundo. Em 2017, registaram-se 23 novos nomes na tabela, um número record.

Um desses novos nomes é Ivanka Trump. A filha do presidente norte-americano Donald Trump, que atua como conselheira da Casa Branca, entrou direta para a 19ª posição do ranking. A presidente da Estónia, Kersti Kaljulaid, é outra novidade (nº. 78). Apesar de liderar um país pequeno, ela tem feito uma revolução digital promovendo o uso de robots para entregas e dando a possibilidade aos eleitores de votarem online.

Na lista, há ainda nomes sonantes de famosas, nomeadamente na área do entretenimento. É o caso da apresentadora de televisão Oprah Winfrey, que ocupa a 21ª posição, e da cantora Beyonce Knowles, no 50º lugar.

Veja também:

Alexandra Nunes Alexandra Nunes

Alexandra Nunes é jornalista com experiência em imprensa e rádio. Depois de quase uma década a trabalhar na Rádio TSF partiu rumo ao Médio Oriente. A sede de conhecer novos mundos levou-a até ao Dubai, onde vive atualmente. Por lá, tem-se dedicado a explorar novas áreas da Comunicação e escreveu a biografia “Uma Mulher no Topo do Mundo” sobre a primeira portuguesa a chegar ao topo do Monte Evereste. É apaixonada por viagens, pessoas e as suas estórias.