Publicidade:

9 museus a visitar em Lisboa gratuitamente

Se está pela capital, fique a conhecer os melhores museus grátis a visitar em Lisboa. Surpreenda-se com o espólio que estes núcleos guardam e exibem.

9 museus a visitar em Lisboa gratuitamente
Aprenda coisas novas, sem gastar um cêntimo

Desde julho de 2017, que os museus sob tutela da Direção Geral do Património Cultural oferecem entrada gratuita a todos os cidadãos que visitem um dos espaços aos domingos ou feriados, até às 14h. Contudo, hoje quisemos apresentar-lhe os melhores museus grátis em Lisboa, seja qual for o dia ou a hora em que se desloque a esse espaço.

Globalmente, nesta lista vai poder encontrar núcleos municipais que exibem um património local que, ainda assim, é de interesse de todos e, portanto, merece uma visita atenta. Além disso, os melhores museus grátis a visitar em Lisboa constituem, muitas vezes, uma boa surpresa, pois guardam pequenas preciosidades e têm, frequentemente, a amabilidade de proporcionar uma visita guiada a custo zero! Descubra já quais os melhores museus grátis a visitar em Lisboa.

9 museus que pode visitar na capital sem pagar nada


1. Espaço Memória Teatro Experimental de Cascais

Este museu foi inaugurado em 2004 e trata-se do único núcleo museológico privado de teatro, existente em Portugal. Aqui, conta-se a história deste grupo de teatro, marcado por figuras importantes da cultura portuguesa, tais como Carlos Paredes, Luís Pinto Coelho, Almada Negreiros, Júlio Resende, Natália Correia, Daniel Sampaio ou Michel Giacometti. Além da exposição permanente, há mostras temporárias que homenageiam, sempre, artistas portugueses. Não se esqueça de marcar a sua visita e não se preocupe: é de borla!

Morada: Avenida Marechal Carmona, Cascais

Contactos: 214 867 933

 

2. Museu do Dinheiro, Baixa Pombalina

Como o nome indica, este museu dedica-se à história do dinheiro, mas não cobra nem um cêntimo na entrada. Em finais do século XVIII, era aqui a Igreja de São Julião, mais tarde caixa forte e estacionamento do Banco de Portugal e, desde 2016, Museu do Dinheiro. Um espaço pleno de interatividade, onde é possível ficar a conhecer a evolução do dinheiro e a sua relação com a sociedade, bem como descobrir o Núcleo de Interpretação da Muralha D. Dinis (construída no século XIII). Se desejar, pode ainda cunhar uma moeda à sua imagem e tocar numa barra de ouro de 12kg!

Morada: Largo de S. Julião

Contactos: 213 213 240 / [email protected]

3. Museu Nacional do Desporto, Santa Maria Maior

O Museu Nacional do Desporto, no Palácio Foz, é, desde setembro, de entrada gratuita. Aqui, pode ver recriado o local de trabalho do Professor Mário Moniz Pereira – o “senhor atletismo” – e visitar uma sala dedicada ao tenente António Augusto da Silva Martins, atleta olímpico em 1924 e campeão de tiro. O espaço foi inaugurado em 2012, no centenário da primeira participação portuguesa nos Jogos Olímpicos. Aqui, é contada a história do desporto português, dispondo o museu de uma biblioteca com cerca de 60 mil itens, entre os quais, o primeiro livro de desporto – De Arte Gymnastica, de Hieronymi Mercurialis (1569).

Morada: Palácio da Foz – Praça dos Restauradores

Contactos: 213958629 / [email protected]

4. Espaço Memória – Tipografia Popular do Seixal, Grande Lisboa

Este espaço trata-se de uma extensão do Ecomuseu Municipal do Seixal e funciona como uma homenagem à Antiga Tipografia Popular A. Palaio, Lda., fundada em 1955 pelo mestre António Palaio. Aqui pode conhecer as antigas técnicas das oficinas tradicionais de tipografia, com máquinas como as Minerva, por exemplo, hoje praticamente em desuso. Independentemente do seu método de funcionamento, elas representam belos exemplares, acompanhados por magníficas xilogravuras, zincogravuras e cavaletes.

Morada: Praça Luís de Camões, 39-41

Contactos: 210 976 112

 

5. Museu da Saúde, Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Desde 2017 que o antigo Serviço de Neurocirurgia do Hospital de Santo António dos Capuchos acolhe a exposição “800 anos de Saúde em Portugal”. Esta mostra dá a conhecer cerca de 400 peças vindas de várias instituições parceiras, tais como a Cruz Vermelha Portuguesa ou o Museu de História Natural e da Ciência. A abertura deste espaço foi uma iniciativa do Ministério da Saúde e do Instituto Ricardo Jorge. Só há visitas às quartas-feiras e com marcação prévia, mas a boa notícia é que terá um guia à disposição e não terá de pagar nada!

Morada: Alameda de Santo António dos Capuchos, 1169

Contactos: 217 526 479 / 217 508 159 / [email protected]

6. Sala de Arqueologia, Oeiras

Instalada na Fábrica da Pólvora de Barcarena, a Sala de Arqueologia é, desde 1995, um espaço pertencente à Câmara Municipal de Oeiras. Trata-se de um complexo repleto de espaços verdes, como o Jardim da Caldeira dos Engenhos ou do Jardim das Oliveiras, contando, ainda, com um pequeno museu que apresenta o espólio recolhido ao longo de duas décadas nas escavações arqueológicas levadas a cabo no antigo povoado pré-histórico de Leceia, considerado um dos mais importantes povoados Calcolíticos (da Idade do Cobre) da Península Ibérica. Nesta Sala, pode acompanhar o quotidiano do povoado, conhecer os artefactos que utilizavam e descobrir o culto da fertilidade.

Morada: Município de Bombarral – Praça do Município

Contactos: 262 609 020 / [email protected]

7. Núcleo Museológico do Posto de Comando do MFA, Carnide

Este museu está instalado no Regimento de Engenharia nº 1 da Pontinha, precisamente o mesmo local que acolheu o Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas. Podemos considerar que foi a partir daqui que foi comanda a Revolução dos Cravos, ou seja, o 25 de abril de 1974. Foi também neste espaço que estiveram detidos Marcelo Caetano, Silva Pais (diretor da PIDE) e o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Ruy Patrício.

O espaço foi criado em 2001 pela Câmara Municipal de Odivelas e recria, integralmente, a Sala de Operações, exibindo para tal equipamentos como rádios, telefones e transmissores, armas, munições ou mapas. Só tem de agenda a visita e conhecerá o espaço com a ajuda de um guia, sem gastar um único euro!

Morada: Estrada da Pontinha, Quartel

8. Espaço Memória dos Exílios, Cascais

Sabia que Cascais e o Estoril serviram de exílio a reis e aristocratas e foram zona de cruzamento de espiões, tudo isto durante a Segunda Guerra Mundial? Pois pode descobrir tudo neste espaço dedicado à memória, onde estão expostos documentos e fotografias que atestam esta circunstância histórica. O núcleo tem a sua sede no segundo andar da Estação de Correios, edifício datado de 1942, da autoria do arquiteto modernista Adelino Nunes.

Morada: Avenida Marginal, 7152, Estoril

Contactos: 214 815 930 / [email protected]

 

9. Núcleo Museológico Luís Serra, Grande Lisboa

Na sede do Grupo Musical e Recreativo da Bemposta, em Bucelas, irá encontrar este núcleo que guarda o espólio recolhido ao longo de três décadas pelo Rancho de Folclore e Etnografia “Os Ceifeiros da Bemposta”. Aqui encontrará trajes, alfaias e transportes agrícolas, ferramentas, loiças, utensílios de cozinha ou mobiliário e figuras em tamanho real. Nas salas contíguas a este núcleo, poderá ainda ficar a saber mais sobre a história desta coletividade, exposta nas salas da Vida da Coletividade e de Troféus.

Morada: Rua da Capela – Bemposta

Contactos: 219 694 039 / [email protected]

Explore os melhores museus grátis a visitar em Lisboa ou, se não estiver pela capital, procure na sua cidade quais os dias gratuitos para visitar os museus locais. Há ainda núcleos museológicos com ingressos a preços simbólicos que vale a pena ficar a conhecer, até porque o investimento na cultura nunca é um desperdício. Ponha pés ao caminho e desvende os segredos que guardam os melhores museus grátis a visitar em Lisboa.

Veja também: