Publicidade:

Faz like nos seus posts? Isso é falta de Netiqueta

Não é por estar atrás de um telemóvel ou computador que deve ser menos educado do que em situações sociais. Explicamos-lhe tudo sobre "netiqueta".

Faz like nos seus posts? Isso é falta de Netiqueta
Regras de educação na Internet

Netiqueta” é o novo conceito em que deve pensar enquanto navega na Internet. Diz respeito a, nada mais nada menos, às regras do mundo web que pouca gente conhece. Contamos-lhe tudo o que precisa de saber sobre esta nova realidade, bem como as regras de ouro que deve adotar.

Netiqueta: o que é e para que serve


internet

Pensando na palavra em si, é relativamente fácil perceber aquilo a que se refere, e que “temas” junta num só termo. “Net” e “Etiqueta” são as palavras que deve ter em mente no que diz respeito a uma nova realidade que, aos poucos, se tem propagado por toda a Internet.

As regras de netiqueta podem ser muito úteis na era que atravessamos, até porque a tecnologia e Internet têm melhorado e introduzido novidades a cada dia que passa. Nada melhor do que acompanhá-las, desde que mantendo sempre a boa educação e discrição, não “à mesa”, mas na Internet.

O facto de estarmos permanentemente ligados através das mais variadas forma de comunicação faz com que em algumas situações se percam as regras mais elementares da boa educação. A verdade é que são enviadas mensagens e feitos telefonemas à velocidade da luz, de uma forma que nunca se julgou possível.

Quem alerta para esta nova realidade e, por conseguinte, para a necessidade de nos mantermos educados ainda que comuniquemos por intermédio de dispositivos eletrónicos, é James Ivory, professor de Comunicação na Virginia Tech.

Em entrevista ao USA Today, Ivory afirma que assim que “as pessoas deixam de falar cara a cara, a primeira coisa que se perde é a riqueza da comunicação não verbal”, algo que se pretende evitar com a adoção das regras de netiqueta.

O facto de comunicarmos à distância leva a que, lentamente, deixemos de perceber como o faríamos “cara a cara”, ignorando tudo o que faríamos numa situação dessas. Não falar com uma pessoa que esteja diretamente à nossa frente faz com que sejam evitadas várias formas de interpelação.

Os veículos que permitem esta comunicação 24 sobre 24h00 baseiam-se na Internet e assumem a forma de aplicações na maior parte das vezes. Mas a verdade é que com ou sem essa ligação, as chamadas e as mensagens já eram feitas.

De facto, a forma como o fazemos nos dias de hoje duplicou, já que podemos escolher as aplicações através das quais queremos falar com os nossos amigos ou familiares. Na maior parte das vezes, nem são utilizadas palavras para que essa comunicação se estabeleça.

Instrumentos como os emojis ou os GIFs levam a que não seja precisa comunicação escrita para que se passe determinada mensagem. Ainda que por um lado esta seja uma ótima forma de dar início a uma conversa ou de salvar momentos mais constrangedores, nem sempre é aplicada da forma mais educada.

Ora, a entrevista realizada pelo media americano ao especialista em comunicação levou o USA Today a estabelecer 15 diretrizes que, na sua ótica, são essenciais para a manutenção de uma comunicação fluída e, sobretudo, sem espaço para a falta de educação.

15 regras de ouro de netiqueta


social media

De modo a evitar situações desagradáveis, como aquelas que acontecem nas redes sociais, sobretudo no Twitter, plataforma na qual o USA Today mais se baseou para estabelecer estas diretrizes , tenha em consideração as seguintes regras de etiqueta digital:

1. Não utilize o FaceTime para tudo, prática muito comum nos EUA. Em vez de fazer uma vídeochamada, ligue para a pessoa em questão ou envie-lhe uma mensagem;

2. A não ser que queira (mesmo) terminar uma conversa sem ser indelicado, não escreva palavras como “ok” ou “lol”, pois isso irá passar a ideia de que não tem interesse naquela conversa ou pessoa;

3. Se alguém comentou uma publicação sua nas redes sociais, certifique-se que responde à(s) pessoa(s) em questão;

4. Se recebeu um email que pede a sua resposta, utilize o mesmo veículo de comunicação para responder (não ligue à pessoa nem envie uma mensagem). Respeite a forma de comunicação utilizada inicialmente;

5. Nas redes sociais, evite gostar das suas próprias publicações. É um bocadinho estranho;

6. Não pedinche. Os seus amigos só devem gostar ou comentar os seus posts se quiserem;

7. Não demore horas a responder a alguma coisa se não tiver motivo para isso;

8. Não deixe mensagens na caixa de correio;

9. Se alguém lhe colocar várias perguntas numa só mensagem de texto, certifique-se de que responde a todas;

10. Evite publicações “lamechas” e exageradas, como aquelas fotografias com citações inspiradoras;

11. Se não quiser ligar a alguém para dar os parabéns ou desejar um Feliz Natal, fique-se pela mensagem. Não há problema nenhum;

12. Se faz parte de uma conversa de grupo, evite conversas a dois que excluam as outras pessoas. Aliás, se puder, evite completamente conversas de grupo;

13. Nunca dê uma má notícia por mensagem;

14. Se não receber resposta imediata à sua mensagem, não desespere, porque nada aconteceu;

15. Se tem tempo para stories e/ou snapchats, também tem tempo para responder a mensagens.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.