Publicidade:

Facebook tem nova ferramenta que impede convites a pessoas mortas

A ferramenta do Facebook ainda não foi lançada, mas vai utilizar Inteligência Artificial para impedir o envio de convites a pessoas que já tenham morrido.

Facebook tem nova ferramenta que impede convites a pessoas mortas
A ferramenta baseia-se em IA

A tecnologia está muito avançada, mas não ao ponto de tomar decisões que só os humanos conseguirão levar a cabo. Quando um amigo da sua rede de contactos morre é necessário que uma pessoa (nomeada pelo próprio) notifique o Facebook desse falecimento. A rede social está a desenvolver uma ferramenta para impedir que esses perfis continuem ativos no caso dessa notificação não acontecer.

Facebook usa Inteligência Artificial em nova ferramenta


facebook

A nova funcionalidade da rede social mais utilizada em todo o mundo quer antever situações constrangedoras e que, no fundo, devem ser evitadas o mais rapidamente possível. Quando um pessoa do seu registo de amizades morre, pode, na prática, continuar a convidá-la para eventos criados no Facebook, por exemplo.

A plataforma permite que nas definições de cada perfil, defina a pessoa que terá a responsabilidade de desativar o seu próprio perfil em caso de morte. Ora, a verdade é que a maior parte dos utilizadores não tem conhecimento desta funcionalidade, pelo que nem sequer sabe dessa possibilidade.

De facto, pode nomear uma pessoa para ser o seu contacto legado no caso da sua morte. No caso de não o fazer, isso não significa que ninguém possa denunciar o seu perfil e notificar o Facebook do falecimento, isto porque a rede social permite que qualquer pessoa o faça.

O que é uma conta memorial

Uma conta memorial é a designação atribuída pelo Facebook a perfis de pessoas que já faleceram. Esta é uma ação que não desativa a conta em questão, mas permite que amigos e familiares partilhem as suas melhores memórias em relação a determinada pessoa.

Foi esta a forma que a rede social encontrou de homenagear as pessoas que criaram conta na plataforma e a utilizaram em momentos da sua vida. No entanto, uma conta memorial continua de certo modo ativa, pelo que pode estar sujeita a receber convites por parte de outras pessoas. Muitas vezes pessoas que nem têm conhecimento do falecimento da pessoa.

O que acontece é que, para além disso, o perfil continuará a surgir em qualquer contexto, seja em pesquisas, em comentários, em históricos de identificações. E é precisamente isso que o Facebook quer evitar ao criar uma nova ferramenta para impedir que esse perfil continue a aparecer, seja em que situação for.

O que vai mudar

A empresa de Zuckerberg garante que este é um caso sensível e que trata com o maior dos cuidados e respeito, e que é nesse sentido que pretende garantir que uma conta memorial não surge indevidamente no feed das pessoas a qualquer momento.

Recorrendo à ajuda da Inteligência Artificial, o Facebook está a trabalhar para melhorar o seu algoritmo de modo a impedir que o perfil de um familiar ou amigo falecido surja, por exemplo, numa pesquisa ou até como hipótese (válida) de convite para um evento criado a partir da própria rede social.

Sheryl Sandberg, Chief Operating Officer do Facebook, afirma que esta nova ferramenta era uma medida lógica e que vem no seguimento do “feedback recebido por parte de pessoas de diferentes religiões e origens culturais, assim como de especialistas e pessoas ligadas a profissões de elevada responsabilidade”.

facebook

Fonte da Imagem: Facebook/Divulgação

Ferramenta introduz mais novidades

Para além de impedir que o perfil de uma pessoa já falecida surja em pesquisas e em outros situações, está também confirmada a criação de uma funcionalidade designada por Tributes Section. Tal como o próprio nome indica, este será o espaço onde poderão ser partilhados os melhores momentos da pessoa em questão.

Estes tributos podem ser partilhados por amigos ou familiares num espaço criado propositadamente para o efeito. Esta é uma secção que fará parte da conta memorial da pessoa em questão, enquanto todas as restantes secções permanecem inalteráveis.

Outra das novidades é a atribuição de mais autonomia e controlos ao contacto legado que, desde 2015, está encarregue da gestão do Facebook da pessoa que faleceu. No entanto, e de acordo com opiniões recebidas por parte de vários contactos legado, as funcionalidades disponíveis eram escassas.

É nesse sentido que o Facebook prevê também a disponibilização de mais controlos, entre eles a moderação de publicações e comentários, para além da estipulação de quem pode ver aquilo que é partilhado numa conta memorial. Estas são funcionalidades que vêm acompanhar outras já existentes, como a possibilidade de alterar a foto de perfil.

No entanto, os menores que tenham conta criada na rede social não podem, por regra, nomear um contacto legado. Com esta nova ferramenta, será possível os pais de um menor (de 18 anos) pedirem ao Facebook para se tornarem nos seus contactos legado oficiais.

Amigos e familiares têm prioridade

Com a nova ferramenta baseada em Inteligência Artificial (IA), apenas os amigos e familiares podem pedir ao Facebook que um perfil seja transformado em conta memorial. Até agora, qualquer pessoa o podia fazer. Os perfis que não tiverem sido transformados em “memorial”, contarão com a ajuda preciosa da IA.

É aqui que esta tecnologia funcionará mais, isto porque, através de complexos algoritmos, vai impedir que o perfil em questão apareça em situações constrangedoras, impedindo também que possa convidar a pessoa para um evento ou que receba um notificação do seu aniversário.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.