Publicidade:

O que comprar (e não comprar) em setembro: 6 produtos para anotar

Entramos na reta final do verão e esgotam-se algumas boas oportunidades de negócio - mas também se abrem novas portas. Saiba o que comprar (e não comprar) em setembro.

O que comprar (e não comprar) em setembro: 6 produtos para anotar
Chegou o fim do verão (e de algumas compras)

Chega setembro e, com ele, chega uma certa melancolia: o verão está na reta final, acabaram as férias, as crianças voltam à escola e todas as rotinas regressam para mais um ano de trabalho. O cenário parece deprimente, mas não é.

Garantimos que, se algumas compras já passaram da hora, ainda há muitas boas oportunidades à espera de serem aproveitadas. Se ainda não fez a lista de compras do mês e, quem sabe, até sobrou um pouco do subsídio de férias, nós damos umas ideias. Saiba o que comprar (e não comprar) em setembro.

O que comprar em setembro


1. Material escolar

o que comprar (e não comprar) em setembro

Se em agosto lhe dissemos para ir comprando aquelas coisas que quer mesmo escolher e não gosta de ficar com as sobras, agora chegou a hora de comprar o resto: canetas, cadernos, réguas, lápis de cor, dossiers… Todo o material escolar que não precisa de ser especial está agora em promoção e pronto para ser levado para casa.

2. Calçado de desporto

sapatilhas

Com as coleções de inverno à porta, as de verão já estão em liquidação para libertar espaço. Claro que não vai comprar agora umas sandálias ou uns chinelos de praia, mas o calçado de desporto não é assim tão diferente de uma estação para a outra e no ginásio ninguém dá conta se usar umas sapatilhas da coleção passada.

3. Fins de semana românticos

viagens romanticas

Não são bem um produto, mas é a hora deles: as férias já lá vão, estamos a entrar na época baixa e os preços começam a reduzir. Se pensar bem, o inverno ainda não vai chegar já e num país como o nosso as temperaturas ainda permitem perfeitamente assistir ao pôr do sol num prado alentejano ou visitar aqueles museus que no verão têm filas escandalosamente longas.

Se ainda lhe restam um ou dois dias de férias, junte-os a um fim de semana e aproveite um descanso mais tranquilo (e mais barato!) que no verão.

O que não comprar em setembro


1. Roupa e calçado da moda

roupas e calcado

As modas passam, já se sabe, e algumas são tão específicas que não há mesmo como aproveitá-las no ano seguinte sem que pareçam patetas. Estamos a falar de folhos gigantes, decotes com uma forma muito específica ou sapatos de modelos chamativos – se não tem a certeza de que no próximo verão ainda vai poder usá-los sem se sentir parado no tempo, não compre. Por muito grande que seja o desconto, vão sair-lhe muito caros se não conseguir usá-los mais que duas ou três vezes.

2. Roupa de inverno

roupa de inverno

Sabemos bem que já há lojas com casacos de inverno a espreitar em setembro, mas resista à tentação: se é barato, é o refugo da coleção passada e vai comprar peças desatualizadas ao preço das modernas; se é caro, está a pagar o dobro para ser o primeiro a ter peças daquela coleção.

Faz assim tanta questão de ser o primeiro a comprar um sobretudo sabendo que, tal como todas as outras pessoas, não vai usá-lo antes de novembro?

3. Carros usados

o que comprar (e não comprar) em setembro

Este não é um “fruto proibido”, mas convém estar atento. Não lhe parece estranho que alguém vá de férias e depois queira vender o carro? Para onde foi de férias? O que aconteceu? Se anda a ver carros usados, por esta altura deve ter o cuidado de se informar bem sobre a viatura, as viagens que fez e o uso que teve. Pense que ninguém dá nada a ninguém, por isso a regra deve ser “quanto maior a esmola, maior o cuidado”.

Setembro não é o mês ideal para umas boas compras – até porque o ano escolar está a começar e muitas famílias estão sobrecarregadas demais para passear em frente às montras.

As novas coleções ainda estão ao preço do ouro, as coleções antigas estão muito escolhidas e, a menos que use tamanhos pouco comuns, vai ter dificuldade em encontrar bons negócios que ainda ninguém tenha visto. O melhor é acalmar um pouco as compras e guardar o orçamento para novembro, quando já vai poder começar a pensar na festa maior do ano!

Veja também: