Publicidade:

O que fazer com o subsídio de Natal em 2018

Com o mês de dezembro a aproximar-se, chega o tempo de pensar o que fazer com o subsídio de Natal. Já pensou? Nós damos uma ajuda!

O que fazer com o subsídio de Natal em 2018
Já decidiu o que fazer com o subsídio de Natal este ano?

Agora que muitas pessoas voltam a receber por inteiro um salário-extra no fim do ano, está na altura de pensar o que fazer com o subsídio de Natal em 2018. Recomendamos que reflita bem antes de aplicar essa quantia de dinheiro no que quer que seja. Antes de mais, a primeira grande decisão é: vai gastar tudo em prendas de Natal? Quer a resposta seja sim ou não, saiba que existem formas inteligentes e ponderadas de gerir o subsídio. Nós damos uma ajuda.

Já decidiu o que fazer com o subsídio de natal este ano?


Chegados à época de Natal, saber que vamos receber “a dobrar” no final de novembro poderá dar-nos algum conforto financeiro. Esse dinheiro-extra poderá servir para saldar algumas das nossas dívidas, ajudar a comprar as prendas de Natal, e ainda deverá sobrar algum para poupança ou para satisfazer algum capricho pessoal. É muito comum que o  frenesim e a pressão consumista levem a decisões precipitadas e a compras por impulso, fazendo com que se acabe por gastar o dinheiro de uma assentada só.

Conscientes disso mesmo, estão neste preciso momento milhares de comerciantes, marcas, marketeers e vendedores a engendrar mil e uma formas de fazer com que gaste esse bendito e suado (sim, não se esqueça disso!) dinheiro-extra. Então, o que fazer com o subsídio de Natal?

Subsídio de Natal: tudo o que precisa de saber

O que fazer com o subsídio de Natal – sugestões de gasto, poupança e investimento

Aqui ficam as nossas sugestões para uma boa gestão do seu dinheiro no mês do Natal.

Aproveitar os bónus, ofertas e descontos especiais de Natal, mas com precaução!

Para quem se pergunta o que fazer com o subsídio de Natal mas quer uma solução inteligente, pode fazer todo o sentido antecipar as compras para o mês de novembro. Mesmo que nessa altura ainda não tenha recebido o subsídio, pode adiantar uma parte do salário para aproveitar promoções que estejam em vigor antes de os preços subirem definitivamente.

Analise bem as promoções em vigor e saiba identificar as que vale a pena aproveitar

Mas com tanta oferta de descontos, é fundamental que seja cuidadoso. Por um lado, para não acabar por gastar ainda mais do que previa, fazendo mais compras do que o necessário, apenas porque se quer aproveitar os descontos para comprar mais produtos. Aproveite os descontos para comprar aquilo que pensava comprar mesmo que não existisse uma rebaixa. Por outro lado, é fundamental saber analisar e escolher as promoções que encontra, pois muitas vezes não passam de um golpe de marketing, e os produtos não estão na realidade mais baratos do que noutras épocas do ano. É importante estar atento.

Antes de gastar o que quer que seja, atenda às dívidas pendentes

Este poderá ser um pensamento que lhe cortará um pouco as asas, mas verá que a médio prazo se revelará uma boa medida, que provavelmente até lhe resolveu algumas dores de cabeça. Usar o dinheiro do subsídio de Natal para saldar dívidas não tem o glamour da ideia de passar um dia inteiro no shopping a comprar tudo o que lhe apetece, é bem verdade. Mas ter a oportunidade de finalmente ver a sua dívida resolvida poderá ser tão ou mais libertador do que gastar o dinheiro futilmente. Livre-se do pesadelo de ver o “homem de fraque” à sua porta um dia destes!

Doe uma parte a instituições de caridade

Por muito que possa parecer “hipócrita” só fazê-lo nesta altura do ano, lembre-se que também é apenas nesta altura do ano que tem a oportunidade de receber um salário inteiro extra. Além disso, isso não é uma razão para não o fazer. Não ceda a sentimentos de culpa, e seja generoso pelo menos agora. Escolha uma causa ou instituição com a qual se identifique e seja generoso!

Invista na sua conta poupança

Se já tem uma conta poupança, dedique-lhe uma parte destes rendimentos. Podem ser 10%, ou 20%, você decide o que acha mais adequado, mas qualquer quantia poderá fazer a diferença mais tarde quando vier a precisar desse dinheiro. Se ainda não tem uma conta poupança, crie uma. É agora o momento! Tenha em mente que poderá vir a ter uma emergência financeira.

Entre as emergências financeiras poderão estar a morte de um membro da família, uma emergência médica, a perda de um emprego ou o reparo inesperado de um carro devido a um acidente ou a uma calamidade. Os especialistas em gestão financeira recomendam que tenha em poupança 6 vezes o valor do seu ordenado para fazer face a uma situação de necessidade. Este montante permite-lhe sobreviver 6 meses sem rendimentos, o que, vendo bem, não é assim tanto tempo.

Invista na sua formação pessoal e profissional

Se ainda não sabe bem o que fazer com o subsídio de Natal, aplique-o na sua educação. Aumentar as suas competências poderá ser um ótimo investimento pessoal, pois poderá dar-lhe mais possibilidades não só de enriquecer o currículo como de poder a vir a ser mais valorizado no seu trabalho, e consequentemente a poder vir a ter um aumento salarial.

Invista numas mini férias

Proporcionar um fim de semana de qualidade a si e à sua família é uma boa maneira de usar o subsídio de Natal. Pense que, acima de tudo, o leitor e a sua família merecem passar algum tempo de qualidade, como recompensa de todos os esforços que têm vindo a desenvolver. Leve a sua família a jantar no vosso sítio favorito sem olhar à conta.

9 vilas de Natal para conhecer com a família >>

Invista nos seus filhos

Aproveite para rechear as contas poupança dos seus filhos nesta altura. O seu futuro agradecerá.

Invista em melhorar o equipamento de trabalho

Se lhe dá jeito ter um laptop ou algo que o ajude a ser mais eficiente no seu trabalho, não hesite.

Dê prendas com significado e valor

Quando comprar as prendas de Natal para oferecer, pense de forma racional. Em primeiro, analise se o que vai oferecer tem algum grau de utilidade, se permite valorizar a pessoa em questão ou se tem algum significado. Muitas vezes somos compelidos a comprar coisas que não têm qualquer valor, para o outro ou para nós, e isso redunda irremediavelmente no ato de “dar por dar” – um ato sem conteúdo.

Invista

Se se interessa pela saúde do seu futuro financeiro, pode estar na altura de consultar um especialista em investimentos e tomar a decisão de não apenas poupar, mas também investir e multiplicar o seu dinheiro. Há quem invista em ações, em bitcoin, em imobiliário… Desafiamo-lo a pensar no seu dinheiro a longo prazo! Planeie os seus investimentos!

Compre prendas de forma sustendada

Pense nas verdadeiras necessidades das pessoas a quem vai oferecer prendas. Muitas vezes as crianças são inundadas de tantos brinquedos de todos os tamanhos e feitios, que não terão disponibilidade para usufruir de todos eles, além de poderem não ter espaço em casa para os ter.

Pense no desperdício que será as crianças verem-se obrigadas a dispensar alguns brinquedos para o lixo…  Fale com as outras pessoas da família e informe-se sobre o que estão a equacionar dar às crianças lá em casa, de forma a poderem dar prendas de forma sustentada.

Compre local!

Evite as grandes superfícies comerciais e escolha comprar no Comércio Local e Tradicional. O ambiente e a sua comunidade agradecem!

Festas Felizes!

Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.